Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Respeito!


Autor: Eubalena ~ 16 de março de 2012. Categorias: animais, Mona em Família.


Nunca pensei em morar numa casa, mas resolvi que era hora de passar por esta experiencia por causa da minha filha e de seu amigo, o cachorro.

Sabe felicidade? Era isso que minha filha de 6 anos exalava. Ter um quintal para correr com seu cachorro, um viralatas de pouco menos de 2 anos adotado em um abrigo, era o paraíso para ela.

Um dia a menina brincava com seu vizinho na calçada em frente a casa sob a vigilância dos pais. Segundos depois de entrarem em casa, enquanto o pai fechava o portão da casa, o cachorrinho fugiu e atravessou a rua correndo. Uma van, em alta velocidade, atropelou e matou o cachorro instantaneamente e não parou para ver o que atropelou. “Porque um cachorro é só um cachorro…”

Claro, muitos dirão, não foi culpa da van, já que o cachorro fugiu. Sim, não existe culpa por ter atropelado o animal, o cão realmente fugiu por descuido de um adulto. Mas o motorista foi culpado por ter matado o cão. A velocidade na qual este motorista dirigia o impediu de parar o carro e também o impediria caso não fosse um animal (como se isso diminuísse a importância da vida e o amor que uma criança sentia por seu cão), o impediria se fosse uma criança, um ciclista, um cadeirante, se fosse eu, se fosse você.

E não pense que isso jamais acontecerá com você. Ninguém está livre de aparecer, do nada, uma criança na frente do seu carro, correndo atras de uma bola. Veículos são pesados. Imagine o que fez uma van em alta velocidade em um cão de 6kg? Não teria sido menos pior se fosse uma criança de 20kg.

Não adianta ficar triste, chorar, pedir desculpas. O importante é não desrespeitar o as leis de trânsito. Podemos não acabar com os acidentes, mas eles podem ser mais leves, menos graves e serem acidentes realmente, aquilo que acontece inesperadamente. Quando se corre, quando se bebe antes de dirigir, quando não se respeita as normas de trânsito, assume-se o risco de matar alguém, de morrer.

Segundo o DENATRAN – Departamento Nacional de Trânsito, a velocidade
máxima permitida para cada via é indicada por meio de placas. Onde não
existir sinalização, vale o seguinte:

Em vias urbanas:
•80 km/h nas vias de trânsito rápido.
•60 km/h nas vias arteriais.
•40 km/h nas vias coletoras.
•30 km/h nas vias locais.

A punição ao motorista não serve para nada se não existir a conscientização de todos. Os “pequenos” desrespeitos as leis de trânsito transformam os veículos em armas.

A palavra-chave para o trânsito é RESPEITO, respeito ao próximo, respeito às leis, respeito à sua vida. Só assim poderemos todos viver em paz: veículos, bicicletas e pedestres.

Divulgue, compartilhe! Vamos lutar por um trânsito melhor!


Intimidade é uma Merda!


Autor: Eubalena ~ 15 de dezembro de 2010. Categorias: Cantinho das Monas, Sem categoria.

Um dia conhemos alguém, trocamos telefone, e-mail, saímos para conversar e quando nos damos conta, a pessoa já é frequentadora da nossa casa e da nossa vida e, em alguns casos, dividindo a cama, mesmo estando, nós, com a perna cabeluda. E isso é o que chamamos de intimidade.

Mas o que é intimidade? Segundo o dicionário, é a qualidade de íntimo. Que, por sua vez,  é aquilo que atua no interior, doméstico, familiar.

Para muitos, intimidade é poder participar ativamente da vida de outra pessoa. Para outros é fazer xixi de porta aberta. Ou seja, a intimidade tem vários níveis. Mas, a única coisa que a intimidade faz, em qualquer um deles, é prejudicar um relacionamento.  Em outras palavras, intimidade demais atrapalha.

Intimidade e liberdade, apesar de parecerem se completar, não podem fazer parte do mesmo pacote. Ter intimidade com alguém não significa que temos liberdade para viver a vida junto com ela. Porque existe uma grande diferença entre fazer parte da vida de alguém e viver a vida de alguém.

Mas por que intimidade acaba com relacionamentos? Pelo simples fato dela, na grande maioria dos casos, causar preguiça. Preguiça de reacender a chama sempre. E isso não cabe somente aos relacionamentos amorosos. Isso é crucial até para as amizades. Quando se é bastante íntimo de alguém, não sentimos mais a necessidade da conquista. E, sem a conquista diária, as amizades e os amores se vão.

Assim, um textinho curto mas de coração.

Beijos

Euba


Ponto Gê: Mudança


Autor: Eubalena ~ 14 de abril de 2009. Categorias: Ponto Gê.

Sempre me perguntei e perguntei aos outros, por qual motivo algumas pessoas, toda ou pelo menos uma vez na vida, insistem em relacionar-se em histórias findadas ao fracasso. Por unanimidade a resposta de todos é sempre a mesma: mudar. As pessoas permanecem em relacionamentos infelizes porque acreditam que irão mudar o parceiro.

E tanto homens quanto mulheres, ou sofrem porque não conseguem mudar o parceiro ou desistem fácil depois que mudam.

Já disse isso uma vez, acredito cegamente que cada pessoa tem o relacionamento amoroso que deseja. Seja ele feliz, ou não. É impossível mudar alguém, para que a pessoa torne-se aquilo que sempre sonhamos.

Mas muita gente não se cansa de tentar.

Sem generalizar, sei que quando começamos relacionamentos sofremos mudanças inevitáveis. Nosso comportamento e jeito se adaptam ao outro. Mas sou a favor de uma recíproca sincera nesses casos e, totalmente contra, a exigências de mudanças radicais. O que é muito comum, principalmente entre as mulheres.

Mesmo com toda independência conquistada por nós ao longo dos anos, muitas mulheres ainda possuem uma mania feia de esquecer a todos e, assim que iniciam um relacionamento, colocam o namorado como centro de sua vida. E nesse ponto, os homens se saem melhor. Sabem arrumar tempo para o amor e da mesma forma preservar os amigos (os amigos homens). Não que eu ache que as duas coisas não possam conviver juntas em harmonia, pelo contrário, isso é o ideal. Mas não acontece com freqüência.

Não concordo quando ouço por aí, que a amizade do homem é mais verdadeira que a da mulher. No entanto, tenho que admitir que a amizade masculina é valorizada entre eles, enquanto nós, muitas vezes, descartamos com facilidade.

Isso não nos torna menos amigas, apenas idiotas. Com todo carinho. Até porque, sabemos que, caso as coisas não terminem muito bem, nossas amigas estarão sempre prontas a nos estender o famoso ‘ombro’.

Quando não termina bem, e é fato em relações do tipo, juras e mais juras de que isso não se repetirá. Mas é só o coração bater mais forte, que tudo se repete. Tenho algumas amigas assim, que somem quando namoram. Mas também tenho vários amigos que desaparecem quando estão namorando. Isso porque os homens têm a tendência deixar de lado as amigas mulheres e evitar conflitos com a atual namorada.

O segredo é se adaptar aos poucos, não exigir que o outro mude e jamais deixar de lado aqueles que sempre estarão do seu, os amigos.

Beijão a todos,


PijamasTech – Amigos, notebooks e rosas


Autor: jonnyken ~ 1 de fevereiro de 2009. Categorias: pijamastech.

Opa! Nesta minha primeira coluna, vou falar um pouco de relacionamentos profissionais, dicas para comprar notebook e, por fim, a indicação de gadget desta semana!

Trabalho & trabalho e + trabalho!
Como um ex-aspirante a biólogo, sempre fui interessado em classificar as coisas, e se tem algo que eu demorei muito para conseguir entender foi como classificar o relacionamento das pessoas que estudavam/trabalhavam no mesmo local que eu.

Para mim, todo mundo era amigo. E como eu sempre fui de conhecer muitas pessoas, sempre achei que tinha muitos amigos! Ledo engano! Depois de tomar muita rasteira na faculdade e levar muita porrada no trabalho, acho que encontrei uma ótima classificação para os relacionamentos nestes locais onde você não escolhe muito com quem conviver.

1- Colega de trabalho: Todo mundo é colega de trabalho! Está em baixo do mesmo teto? Estuda na mesma faculdade? Segue a mesma carreira? Todos são colegas de trabalho. Você pode amá-los, odiá-los ou ser completamente indiferente.

2- Companheiro de trabalho: São aqueles com quem você se dá bem! Contam e riem das mesmas piadas, se dão super bem juntos e até falam mal das mesmas pessoas. Mas depois de baterem o cartão, cada um vai para um lado!
Até podem tomar uma cervejinha no final do dia, mas quando se formam ou trocam de emprego, nunca mais se falam – no máximo um “feliz aniversário” via Orkut.

3- Amigos – Estes são raríssimos! Como diz uma grande amiga minha (Mary Vassoler), “amigo não é aquele que separa a briga… é aquele que entra dando voadora!”. Ele não se importa quem está com razão! Pode ou não te dar um puxão de orelha depois, mas sempre o defenderá perante terceiros. Depois de se separarem, podem ficar anos sem se ver, mas quando se encontram, a pergunta “e ai, como andam as coisas?” é sincera!
Se algo acontecer a você, ele pode até sair fora, mas pelo menos conversará com você para ver se você entende!

Como diz a dona Amanda: “colega você atura, com companheiro você compartilha, mas amigo é para tudo”. Acredito que saber separar isso pode evitar grandes decepções.

Dicas Tech!

Uma das perguntas que mais fazem para mim é “Jonny, qual o notebook que eu devo comprar?”. Bom, se eu fosse escrever um texto sobre memória, HD, processador, etc, subiria o texto no Infopod, mas como aqui eu pretendo ser sucinto, a resposta é simples:

1- Vai ser seu computador principal? Você vai usá-lo tanto no trabalho quanto em casa? Vai rodar aplicativos pesados (edição de imagens, vídeos, jogos, etc)? SIM? Então prepare-se para gastar uns R$3000,00 para cima!

2- Vai ser seu computador principal, mas você só vai usá-lo para ver email, acessar a internet, ver vídeos no youtube e usar aplicativos Office? Prepare-se para gastar entre R$1500,00 e R$3000,00.

3- Não vai ser seu computador principal? Você vai usá-lo bastante levando-o para lá e para cá? Considere comprar um “netbook”. Ai o gasto vai desde R$900,00 até R$3000,00, dependendo do que você irá rodar nele (quanto mais processamento, mais caro).

Resumidamente é isso!

Gadget da semana
De uns anos pra cá, a maioria das empresas de tecnologia tem lançado seus gadgets em diversas cores, principalmente o cor de rosa, tentando atrair o público feminino que adora essa cor. Então já que no “Dicas Tech” eu comentei sobre netbooks, que tal este Asus EEE rosa? Ele é facilmente encontrado em qualquer loja de informática, nos hipermercados e nas principais lojas online do Brasil. O preço varia entre R$799 a R$999, dependendo da procedência do aparelho.


Eu mexendo em um Asus EEE rosa – Foto: Fugita, durante o Campus Pary

Maiores detalhes:
Garota sem fio: Review: Asus EEE PC 701 4G (parte I)
Podsemfio n.60 – Asus EEE

Consideração final:
Se você discordou de alguma coisa, ficou com dúvidas ou quer sugerir alguma pauta sobre tecnologia/ “mundo corporativo”, deixe um comentário ou mande um email para pijamastech@monalisadepijamas.com.br. Não esqueça de colocar nome/apelido, idade e profissão no email!


Meus bons amigos, onde estão?


Autor: Phoebe ~ 10 de setembro de 2008. Categorias: Sem categoria.

Se tem uma coisa que eu não sei fazer nessa vida é cultivar minhas amizades. Para eu conquistar novos amigos basta um piscar de olhos e puft! Ser uma pessoa expansiva e sorridente faz com que você atraia a simpatia até da tia da prima do filho do porteiro, o que, convenhamos, é uma boa qualidade.

Mas a partir do momento em que você é como eu, que simplesmente não sabe cultivar suas amizades, isso acaba se tornando uma baita dor-de-cabeça, pois nem todo mundo entende que o fato de você não telefonar toda semana não quer dizer que você não goste da pessoa.

Eu tenho amigas que me telefonam sempre para perguntar como eu estou. Uma amiga do trabalho costuma telefonar à noite para saber se melhorei daquela dorzinha chata ou se já estou menos chateada com algum problema corriqueiro que aconteceu durante o dia. E eu realmente invejo essa capacidade dela de demonstrar atenção sempre, de cuidar da amizade como se cuida de uma plantinha.

Eu não sou assim. Eu não telefono para os meus amigos – aliás, devo ser uma das poucas mulheres da face da Terra que não gostam de falar ao telefone. Eu não envio e-mails semanais nem deixo recadinhos do tipo “Bom final de semana!!!!!!!!!” nos scrapbooks do Orkut. Sou capaz de ficar meses sem dar sinal de vida, embora ame meus amigos até o último fio de cabelo.

O que complica a minha vida é que eles dificilmente saberão o quanto eu gosto deles, por pensarem ser descaso a minha ausência.

Mas aqui e ali, nos meus ímpetos de saudade arrebatadora, quando os procuro e deixo registradas minhas demonstrações de carinho, eles poderão saber o quanto são importantes para mim e o quanto eu os amo.

Como disse certa vez uma das minhas melhores amigas, minha única madrinha de casamento, “O bom da nossa amizade é que não há cobranças. Podemos passar meses ou anos sem nos falar, mas sempre que nos encontramos, é como se não tivesse transcorrido um único dia sequer”.

Mas hoje acordei como o Frejat. “Meus bons amigos, onde estão? Notícias de todos quero saber”!

Phoebe





Busca

© 2007-2018 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br