Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Categoria: Geral


Projeto Desembaranga 2011 – 2


Autor: Eubalena ~ 12 de novembro de 2011. Categorias: Cantinho das Monas, Geral.

E a primeira semana está quase no final. Segunda-feira é dia de conferir o peso. Ui!

Mas a semaninha foi tranquila. Acordei 2 dias as 5 da manhã para caminhar na praia (me cagando de medo, é verdade, mas fui armada com um canivete de 200 anos e minha amiga Jé levou Serena, a pitbull, de quem morro de medo também). E corridinhas leves ao final da tarde. Claro, leves porque a moça aqui já não é tão moça…

Na alimentação foi tudo bem. Meu suquinho todos os dias, muita salada, verdura e frutas…Mas ainda não consegui me livrar completamente da Coca 0. Vício é algo pavoroso! O lado maravilhoso é que não sinto mais tanta fome entre as refeições e notei que como muito menos seguindo o conselho de mastigar 28 vezes, pelo menos, cada garfada.

Véspera de feridão, família toda vindo para cá, acabei não conseguindo ir para a academia todos os dias. Eu sei que Giuliano, o carrasco, digo, o personal trainer, acha que é mentira, mas eu sinto falta quando não vou para a academia. E, por falar em feriadão, como se come nessa época? Aqui em casa já tem puchero e churrasco agendado. Pior de tudo é que não se pode abandonar essas orgias gastronômicas de feriados e finais de semana, a grande maioria das pessoas só sabe praticar a arte da socialização se for perto de muita comida.
Uma das coisas mais chatas quando se decidi entrar numa dieta ou mudar para uma alimentação mais saudável é a tendencia ao isolamento que sofremos. As vezes parte da própria pessoa mas, em alguns casos, os amigos isolam a pessoa, até para não atrapalhar a dieta. Isso é horrível! Por isso acho que dietas “com receitas” não dão muito certo. O negócio é mudar a alimentação mas com liberdade para comer de tudo, sem exageros, como qualquer mortal.

Carol, a nutricionista, postou no seu blog Fale Com a Nutricionista um texto muito legal com dicas para se manter firme durante o feriadão. Vale a pena dar uma lida.

Beijos

Euba


Torturas da Euba IV


Autor: Eubalena ~ 30 de abril de 2010. Categorias: Cantinho das Monas, Geral, Torturas da Euba.

A torturinha crocante de hoje é delicada, é feminina, é rosinha, parece um algodão-doce…

A torturinha de hoje me fez ver que sempre vai existir no mundo uma barriga pior (muito pior) que a minha…

A torturinha de hoje é para agradecer o povo da Uniban:

- Obrigada por dividir com o mundo o que pertencia só a vocês!


Celebridades: Tatuar para esquecer


Autor: Eubalena ~ 5 de junho de 2009. Categorias: Geral, Mona POP.

Dando continuidade à nossa série sobre tatuagens dos famosos, chegou a vez de abordar um tema delicado: o que fazer com as “marcas” deixadas pelos relacionamentos? Quando o affair chega ao fim, os ex-apaixonados que se arrependem da “homenagem” que fizeram não se apertam. Para esquecer o ex-amor-da-vida-inteira, apelam para tratamentos caros e dolorosos. Porém, a melhor saída é fazer novas tattoos para cobrir o antigo desenho.

Veja alguns exemplos de quem fez isso:

Angelina Jolie – exibia o nome de Billy Bob Thornton, seu ex-marido (braço esquerdo). Substituiu a grafia pelas coordenadas de latitude e longitude do nascimento de cada um dos seus seis filhos.

Alessandra Negrini – O nome do ex-marido, o cantor Otto, transformou-se na palavra “Amor”. (ombro direito)

Viviane Araújo – fez tratamento a laser para apagar o nome do ex-namorado, o cantor Belo (antebraço direito). Escondeu as marcas com novas tatuagens. Depois, deixou mais uma vez o coração falar mais alto: tatuou o nome do atual affair, o jogador de futebol Radamés (pescoço).

Até a próxima semana!


Publique o seu livro no Clube de autores


Autor: Mafalda ~ 1 de junho de 2009. Categorias: Cantinho das Monas, Geral.

CLUBE DE AUTORES É LANÇADO NA WEB

Site permite aos autores a publicação de seus livros gratuitamente e sem tiragem mínima, com a impressão realizada de acordo com a demanda das vendas de cada título para o público leitor

Uma ótima e revolucionária notícia para aqueles que querem publicar seus livros e ficam lutando por um espaço ou interesse das editoras por sua obra.

O site Clube de Autores: www.clubedeautores.com.br permite que o autor publique sua obra, escolha ou monte sua capa e venda o livro pelo site. Todo o processo de impressão e envio do produto para o comprador é de responsabilidade do Clube dos Autores, juntamente com o pagamento dos direitos autorais aos escritores.

“Estamos proporcionando não só a democratização do segmento, mas também o acessoa geral à cultura. Temos uma premissa de divisão de conhecimento que é consolidada com a chegada do Clube de Autores”, analisa Ricardo Almeida, Diretor Geral da I-Group, que junto com a A2C, empresa de tecnologia e design digital, lançaram o Clube de Autores.

“O que impossibilitava a publicação dos livros por autores – iniciantes ou não – era a condição da tiragem mínima, o que elevava o custo para o autor.  O Clube de Autores quebra essa condição desfavorável para o artista”, ressalta Indío Brasileiro Guerra Neto, sócio-diretor do I-Group, no release que eu recebi e que estou repassando para vocês, leitores da Monalisa por achar uma ótima novidade e de interesse para todos!

A venda por demanda de cada livro impede que haja custo inicial para o autor. Além disso, o site já conta com outras técnicas que facilitam a publicação das obras. “Uma delas é o Search Engine Optimization, ou SEO, que já está aplicado às suas páginas. Ou seja, já customizamos o site de acordo com seus produtos para que estejam entre os principais resultados em sites de busca”, explica Almeida.

“Vamos quebrar uma série de paradigmas. O primeiro é oferecer a publicação do livro de forma gratuita. O segundo é a divulgação online das obras de forma mais simplificada e menos onerosa. Nosso mote é sempre valorizar a cultura de cada autor, sua obra e a possibilidade de ofertar seu conhecimento para o mundo”, explica Indio Brasileiro.

Sobre o I-Group
O I-Group é uma empresa especializada em planejamento e conhecimento estratégico. Fruto de uma parceria de Indio Brasileiro Guerra Neto, um dos pioneiros da Internet no Brasil, e Ricardo Almeida.


American Idol que me desculpe, mas Simon é fundamental


Autor: Eubalena ~ 19 de maio de 2009. Categorias: Geral.

American Idol daqui, American Idol dali… Tenho uma confissão a fazer. Não assisti American Idol ainda este ano. Isso tudo porque eu não consigo me desligar do Britain’s got talent. Talvez porque eu goste da Inglaterra, ou porque ache que os ingleses são um povo peculiar – neste caso por fazer de tudo para se apresentar para a Rainha. Ou… porque eu gosto mesmo é do Simon.
O Simon é um dos jurados e, além de super charmoso, já mostrou dezenas de vezes que é um profissional super competente – tem um olhar muito especial sobre os jurados, e faz a avaliação de forma muito profissional. OK, OK. Muita gente acha o Simon um carrasco. Eu adoraria ser avaliada por ele, principalmente porque ele parece ter um imenso compromisso com a verdade – não vai amaciar a vida de ninguém.
Exemplos? Selecionei alguns (infelizmente eles só podem ser vistos no site oficial – até os links embed do youtube estão sendo proibidos – para assisti-los, por favor, clique nos liks). O primeiro é, por um lado imensamente triste, por outro, imensamente feliz. Triste porque, por conta de uma amizade com, aparentemente, laços fracos, morreu. Outra porque revelou um imenso talento. Essa história teve uma participação incrível do Simon, que deu mais uma chance para um grande talento da música.
O segundo exemplo é incrível. O garoto, entra pra cantar uma música que o avô gostava. Simon manda o garoto parar – sem dar a ele uma nota positiva ou negativa. Claramente, garoto e música não estavam se entendendo. Então, Simon pediu que ele cantasse outra música. E o que saiu, foi isso.
Fato, Simon: isso é como uma música pode mudar uma vida.
O terceiro é fenomenal. E é engraçadíssimo. Pena que não consegui o vídeo todo, para ver a apresentação completa, embora não fosse esse exatamente o ponto forte dessa coisa toda. Primeiro, uma garotinha vestida horrendamente de algo que parece um duende, ganha um ponto negativo de um dos jurados, o Piers. Ela sai do palco, chorando muito, muito dolorosamente. O Simon vai até ela e diz: “Não acabamos com você ainda, mocinha.” Coloca ela em frente ao Piers e diz pra garota mostrar a língua para o Piers, o que ela faz, com maestria. E esse tem vídeo!
Agora, minha preferida junto com o Shaheen Jafarghol – Senhoras e senhores: Hollie Steel.

Divirtam-se!

Agora, vai… admita que o Simon, digo, que o Britain’s got talent é muito melhor que o American Idol, vai?


http://scienceblogs.com.br/rastrodecarbono
twitter: @paulabio

“Campanha do Pijama”, você pode ajudar?


Autor: Mafalda ~ 19 de março de 2009. Categorias: Geral, Mona em Família.

A Mafê, do Estúdio Mellancia e do blog ProntoFalei, me avisou pelo twitter e nós também estamos divulgando a Campanha do Pijama.

PRAZOS para inscrição: 31/03/09 – para envio dos pijamas: 30/04/09

Contato: Keli kelikamitani@gmail.com

Mais informações e detalhes no Blog: http://panolinhaeagulha.blogspot.com

“Bem, como já não é segredo, minha filha vive esta realidade, tratamos dela em um Hospital que atende mais de 80% das pessoas (adultos e crianças) pelo sistema único de saúde (SUS), público… não é o caso da Helena, mas da grande maioria… e realmente é um desafio termos pijamas limpos todos os dias (pois a limpeza é primordial no tratamento, uma vez que o risco de infecção nessas crianças e adolescentes é altíssimo)… a Heleninha Graças a Deus consegue ter, mas vejo que muitos por lá não…

Já presenciei elas saírem do Centro Cirúrgico com um pijaminha surrado e amassado, de algodão duro de ressecado, do Hospital mesmo, que por vezes nem fecha mais… a Helena mesmo quando colocou o catéter fez isso, mas depois o trocamos…

Então, por meio do e-mail dessa nossa amiga enxerguei uma maneira de ajudar as crianças e adolescentes que fazem tratamento contra o câncer, e vou lançar a campanha para o Hospital Erasto Gaertner, onde a Heleninha vai… o que acham? Lá na pediatria tratam de crianças de “0″ a 16 anos… então os pijaminhas podem ser de qualquer tamanho…

Mas existem alguns detalhes que ajudariam muito se notados, os pijamas devem:

  1. ser de tecidos leves (preferencialmente malha);
  2. de duas peças, com calça (ou shorts) e camisa (manga longa ou curta);
  3. a camisa deve ser preferencialmente de botões na frente (isso ajuda e muito na troca da peça, pois as crianças que fazem quimiterapia, tem um catéter instalado no peitinho, onde eles fazem a punção, para acesso ao sistema circulatório, onde ligam os equipos, os tais caninhos de medicação e se cada vez que precisamos trocar ficarmos desconectando os tais caninhos corremos o risco de infectar a criança);
  4. Eles poderiam vir acompanhados de babadores, ou babeiros, como dizem as amigas portuguesas… de tamanhos diversos, para quando a criança comer não correr o risco de derrubar sujeiras (principalmente líquidos) no catéter… ( Colocamos sempre na Helena)… podem ser simples ou requintados, dependendo da disponibilidade de cada uma…

Então quem puder e quiser ajudar, acesse o Blog da Keli, que ela mesma se disponibiliza a receber os pijamas e levá-los para o hospital.

Ou  então entrem em contato com o Hospital pelo link aqui.
Você pode ajudar passando adiante ou publicando em seu blog!
Mafalda

Trovão Tropical – Crítica de Raphael Santos


Autor: Mafalda ~ 11 de março de 2009. Categorias: Geral.

Trovão Tropical (Tropic Thunder, 2008)

Eu gosto muito de comédias. O problema é que ultimamente ou os filmes são comédia demais, ou tem simples cenas ‘haha’, ou até apelam para piadas sexuais que nem sempre são realmente engraçadas. O que acontece? Distancio-me das comédias. “Trovão Tropical” não. Essa bela paródia me faz voltar a crer nas comédias.
Ben Stiller (“Entrando Numa Fria Maior Ainda”) é o cara? Não. Mas todo ano estréia até mais do que um filme. Ele é uma máquina de comédias. Às vezes somente atua, às vezes atua e dirige, outras vezes atua, dirige e produz. O que acontece em “Trovão Tropical” é que, além disso, ele ainda roteiriza junto a Etan Cohen (de “Madagascar 2”). Colocou-me medo de início? Muito. Mas no desenrolar da trama vi que de Ben Stiller o filme tinha pouco.

“Trovão Tropical” começa com trailers falsos, que depois farão sentido à trama. Na verdade, os trailers apresentavam cada um dos personagens principais. Logo após, somos levados a um clima de guerra, tiro, uma verdadeira paródia galhofa de filmes como “O Resgate do Soldado Ryan”, por exemplo. Acabamos, porém, por descobrir que não se trata disso. Trata-se daquele tipo de filme dentro de um filme. Ou seja, há uma auto-paródia. Na verdade, tudo que estava até então acontecendo eram filmagens do próprio “Trovão Tropical”, só que o da trama, o fictício. Confuso? Essa é a intenção. O roteiro se desenrola logo depois disso, quando os atores principais do filme são levados à situação extrema pelo diretor do “Trovão Tropical” na trama, para, assim o filme conseguir acontecer.

O elenco tem nomes fortíssimos, tanto da comédia pura, como da comédia romântica, ação, etc. Tom Cruise (“Missão Impossível”) faz um papel pequeno, mas é o responsável pelas melhores risadas e atuando quase sempre junto a Matthew McConaughey (“Como Perder Um Homem em 10 Dias”). Jack Black (“Escola de Rock”) é sem dúvidas o personagem mais galhofa, na missão de parodiar esses filmes de comédia que apelam para piadas sobre flatulência, sexo – Eddie Murphy é o grande alvo do personagem. Ben Stiller assume vezes de protagonista, depois some da trama, gera algumas risadas rápidas e termina novamente como protagonista, nada demais.

Robert Downey Jr. (“Homem de Ferro”), é o melhor! O ator, na vida real loiro, está negro. Exato! Melhor paródia não houve. A forma como ele fala o inglês, no caso o black english , é divertidíssimo. Os diálogos perdidos, monólogos que expressavam nada. Ótimo! Depois de “Homem de Ferro” e, agora, “Trovão Tropical”, Downey Jr. Afirma sua volta triunfante à Hollywood. Completa o elenco principal Brandon T. Jackson como Alpa Cino (pronuncie isso em voz alta), Jay Baruchel (“Quase Famosos”) e Bill Hader, que, vale ressaltar, fez um papel muito engraçado em “Superbad – É Hoje”, interpretando um policial ao lado de Seth Rogen.

Senti falta de uma mulher na trama. Praticamente não há mulheres. A intenção é clara: parodiar os filmes de guerra que só e somente só têm atores, nunca atrizes. Quando essas existem, fazem o simples papel de dona de casa, desesperada com a situação do marido, vide “Fomos Heróis”, protagonizado por Mel Gibson. Acredito que uma mulher no esquadrão principal, quem sabe até liderando os “soldados”, acrescentaria mais risadas. Afinal, praticamente nenhum dos principais é colocado como machão, eles sentem medo do que está acontecendo, até. Uma mulher impondo ordens ao grupo seria subverter a imagem que os filmes de guerra impõe, ou seja, as mulheres sempre como coadjuvantes.

“Trovão Tropical” como comédia agrada bastante. Nunca o compararei a grandes títulos, óbvio, mas em seu espaço, ele pode até ser considerado um dos melhores. Subestimado pelo público, só ganhou mais destaque por Robert Downey Jr. ter sido indicado a Oscar e Globo de Ouro como ator coadjuvante. Uma ótima pedida para ver em DVD.


As Mulheres Influentes da Blogosfera


Autor: Mafalda ~ 8 de março de 2009. Categorias: Geral, Plante esta Idéia.

Dia 8 de março é reconhecido pela Organização das Nações Unidas como o dia Internacional da Mulher. Discussões sobre igualdade de gênero e violência contra a mulher estão cada vez mais presentes nesta e em outras datas, feitas por pessoas nos mais diferentes, locais – das universidades às mesas de bar, dos documentos oficiais à internet.

Para celebrar essa data, escolhemos falar de algumas das mulheres, que de alguma forma exercem influencia sobre a Blogosfera e a Podosfera.

Nada de ranking de beleza ou simpatia desta vez – nesta lista o que conta é relevância, o conteúdo. Não se trata de um ranking, nem de uma lista fechada, portanto a ordem é alfabética e a homenagem está aberta! Deixem seus comentários!

(Ah! por motivos óbvios – não queríamos jogar confete em nós mesmas – as Monas e colaboradoras estão fora desta homenagem – mas nos agradaria muito se aparecessemos nos comentários – rs).

Baunilha - Baunilha ou Bruna Calheiros, escreve para diversos blogs como o Sedentário & Hiperativo, Smelly Cat, Baunilha.org e Wishlist. A Baunilha também está sempre nos encontros de mídias sociais e atua com projetos on-line para geração de Talkability comunicando blogs e redes sociais, buscando tendências e inovação.
Bia Kunze – Quem ainda não ouviu falar da dentista que precisava ser móvel e começou a discutir sobre celulares? Bia Kunze (@garotasemfio), a Garota sem fio, mantém hoje o podsemfio e fala sobre mobilidade, novas tecnologias, compara celulares, smartphones, preços e operadoras. Quase todo mundo passa pelas dicas da Garota sem fio antes de comprar um aparelho móvel conscientemente.
Dani Koetz – Mantém o blog Ah! Tri Né!. A Dani (@danikoetz) trabalha em uma agência de publicidade e sempre busca fazer a ponte entre anunciantes e blogueiros. Está sempre disposta a fazer palestras nos encontros de mídias sociais para ajudar blogueiros e podcasters a monetizar o seu blog/podcast. Competentíssima, também ajuda na execução e organização do Blog Beach.
Lili Ferrari – É jornalista e produtora muito antenada com diversos projetos que envolvem a web 2.0. Pode ser encontrada nos mais diversos eventos sobre mídias sociais e blogsfera. A Lili mantém o blog Liliane Ferrari, com informações culturais muito interessantes e no institucional Mãe com filhos.
Lucia Freitas – Escreve o Ladybug Brazil. A maior sacada da Lucia Freitas (@lufreitas) foi o Luluzinha Camp, encontro de blogueiras que ocorre frequentemente em vários Estados do Brasil. Entre aulas de Pole Dance e maquiagem, a mulherada se conhece e se fortalece como grupo dentro da blogosfera. O último encontro foi ontem! Só para mulheres!
Lucia Malla (@luciamalla) Escreve o excelente blog de viagens… ou seria de Ciências… fotografia? Talvez um blog pessoal? Enfim. Uma malla pelo mundo é tudo isso. Teve uma sacada sensacional o ano passado com a invenção, junto com amigos de breja, do twitter offline! A coisa ficou tão famosa que depois de aparecer no Global Voices, foi parar no USA Today! Lucia ainda escreve no Faça a sua parte, um dos mais conhecidos blogs sobre meio ambiente.
Rosana Hermann – É física nuclear, radialista, jornalista, escritora E tem um blog muito acessado desde 2000, o Querido Leitor. A Rosana (@rosana) ganhou o prêmio de melhor blog de língua portuguesa do prêmio internacional The BOB’s 2008 (prêmio que também escolheu o sensacional Generation Y como melhor blog de 2008).
Sam Shiraishi – A Sam tem vários projetos na web 2.0 e sempre começa suas twittadas (@samegui) com um delicioso bom dia. Em seu blog pessoal, A vida como a vida quer, fala sobre ser mãe, sobre a programação cultural e sobre trabalho, claro. Atua também no Radar Verde, projeto com tema ambiental e na Caixa de Pandora, um site para agregar conteúdo de diversos blogs. Junto com outras blogueiras, escreve também no blog institucional Mãe com filhos.

Faltou alguém? Tem alguém relevante que você gostaria de incluir? Gostaria de se incluir? Fique à vontade e tenha um excepcional dia da Mulher (embora todo dia seja nosso dia!)

Beijos,

Paula Signorini (Rastro de Carbono) e toda equipe do blog e podcast da Monalisa de Pijamas

Paula Signorini (paulabio) foi criada em contato com bichos e natureza. Quando cresceu, foi estudar biologia. Faz divulgação científica, já deu aulas,  já trabalhou em uma ONG. Agora é editora e gosta de pijamas, principalmente os de bolinhas verdes.


Como fazer uma mulher muito feliz


Autor: Mafalda ~ 26 de janeiro de 2009. Categorias: Cantinho das Monas, Geral.

Este texto recebi da Débora Martins, ouvinte do Monacast.

Como fazer uma mulher muuuuito feliz!

A história começa assim…

No mais alto Pico do Tibet vive o mais sábio homem do mundo.
Certa vez um rapaz foi à sua procura e perguntou-lhe:
- Mestre dos mestres! Qual o caminho mais curto e seguro para o
coração de uma mulher?
O mestre respondeu-lhe:
- Não há caminho seguro para o coração de uma mulher, filho.
Só trilhas à beira de penhascos e caminhos sem mapas, cheios de pedras
e serpentes venenosas..
- Mas, então, mestre… O que devo fazer para conquistar o coração da
minha amada?
Então lhe disse o Grande guru:
- Fazer uma mulher feliz é fácil.
- Só é necessário ser:

1) Amigo

2) Companheiro

3) Amante

4) Irmão

5) Pai

6) Chefe

7) Educador

8) Cozinheiro

9) Mecânico

10) Encanador

11) Decorador de Interiores

12) Estilista

13) Eletricista

14) Sexólogo

15) Ginecologista

16) Psicólogo

17) Psiquiatra

18) Terapeuta

19) Audaz

20) Simpático

21) Esportista

22) Carinhoso

23) Atento

24) Cavalheiro

25) Inteligente

26) Imaginativo

27) Criativo

28) Doce

29) Forte

30) Compreensivo

31) Tolerante

32) Prudente

33) Ambicioso

34) Capaz

35) Valente

36) Decidido

37) Confiável

38) Respeitador

39) Apaixonado

40) E, de preferência, RICO!!!

- Não cuspa no chão;

- Não coce o saco na frente dela;

- Não arrote alto. Aliás, não arrote;

- Dê flores e muitos.. muitos presentes;

- Corte e limpe as unhas.. Não coma as unhas;

- Não peide sob o cobertor. Aliás, não peide.

- Levante a tampa do vaso antes de mijar.

- Deixe ela ter ciúme de você, ela pode;

- Use desodorante (que preste);

- Dê descarga depois de sair da privada;

- Não fale palavrão;

- Não seja engraçadinho com os outros;

- Não fale mal da mãe dela. Aliás, ame a mãe dela;

- Não tenha ciúme dela;

- Não fique barrigudo. Aliás, não engorde;

- Não demore no banho;

- Não chegue tarde à casa.

- Saia para trabalhar e volte correndo;

- Não beba até tarde com amigos. Aliás, não tenha amigos;

- Não seja pão-duro. Use pelo menos 2 cartões de crédito;

- Não diga que mulher não sabe dirigir;

- Não olhe para outras mulheres… Aliás, não existem outras mulheres;

- Aprenda a cozinhar;

- Diga ‘eu te amo’ pelo menos 5 vezes por dia;

- Lave a louça;

- Ligue para ela, de qualquer lugar;

- Deixe ela conversar durante horas ao telefone;

- Não ronque;

- Não seja fanático por futebol;

- Faça a barba todos os dias para não arranhá-la;

- Nunca reclame de nada;

- Repare quando ela cortar o cabelo, mesmo que seja apenas as
pontinhas, e diga sempre que ficou lindo…

E é muito importante ainda não esquecer as datas do: aniversário dela,
noivado, casamento, formatura, menstruação, data do primeiro beijo;
aniversário da mãe, da tia, do irmão ou da irmã mais querida; o
aniversário dos avós, da melhor amiga… e do gato e da cachorra.

Infelizmente, o cumprimento de todas estas instruções não garante 100%
a felicidade dela, porque poderia sentir-se presa a uma vida de
sufocante perfeição e fugir com o primeiro traste ‘gozador da vida’
que encontre pela frente.

- E o mais importante, meu rapaz… Espere… Volte aqui…
- NÃO… NÃO PULE… NÃO SE MATEEEEEEEEEEEEE!!!

COMO FAZER UM HOMEM FELIZ???

É necessário:
1. Sexo;
2. Comida.
3. Cerveja;
4. Futebol

Beijos da Mafalda

PS: dependendo do homem, podemos trocar o futebol por F1 ou video game, rpg… :D


Meu Tipo de Mulher – por Eugênio Paccelli


Autor: Mafalda ~ 7 de janeiro de 2009. Categorias: Cantinho das Monas, Geral.

O jornalista e músico Eugênio Paccelli, ouvinte do Monacast, se inspirou em um dos episódios e nos mandou este texto que coloco aqui para vocês.

Acho que muitos dos nossos leitores e ouvintes vão se identificar.

Agradeço ao Eugênio pelo texto.

Beijos da Mafalda

================================================

MEU TIPO DE MULHER

Sempre fico constrangido quando alguém me pergunta: “qual seu tipo de mulher?”

Claro que a resposta depende do interlocutor, ou interlocutora. O
engraçado é não consigo lembrar de nenhum homem que tenha me feito
essa pergunta. Talvez por isso nunca tenha parado pra pensar: enfim,
qual meu tipo de mulher?

Anos de sincericídio me ensinaram que para as moças a resposta certa é
sempre qualquer que seja aquela que elas querem escutar. Minhas
respostas, claro, iam ao gosto da freguesa: loira, negra, albina,
simples, inteligente, carinhosa, independente, alta, pequenina, magra,
farta. Um bom vocabulário e o tom de voz certo tornam qualquer suposto
defeito em virtude. Como já disse o Léo Jaime: “conversar com mulher
sem celulite é um saco!” Quem não se derreteria diante disso?

Porém, nunca havia pensado em qual realmente seria meu tipo de mulher.
Acho que nunca pensei nisso por achar muito mercantil a idéia de
buscar uma mulher de um tipo específico como quem procura um carro,
escolhendo características e cores. Do air-bag ao capô, exigindo tudo
exatamente ao seu gosto.

O fato é que temos nosso tipo, nossos tipos. Basta fechar os olhos e
imaginar para enxergar a fêmea customizada à nossa maneira.

Confesso minhas preferências. Formato de corpo, de rosto,
personalidade, poder cognitivo, conduta sexual. Juntando esses gostos
cheguei ao meu tipo de mulher. Ao menos foi o que achei.

A paixão é um desses eventos que tomba seus conceitos. A paixão é a
vida em estado de sítio. Dela saímos veteranos, saudosos ou amargos,
dependendo do resultado do combate. Ela tombou a idéia de qual seria
meu tipo.

Lembro daquele encontro como uma aula de sedução. Perfeita para
mostrar exatamente o que não fazer para ganhar uma mulher! Um mal
exemplo tão simétrico que bastava alguém fazer precisamente o
contrário do que fiz para ter qualquer mulher. Realmente uma lástima.
Apenas para dar uma idéia da tragédia: ao final da noite pedi um
beijo. Isso mesmo, falei textualmente “eu quero te dar um beijo”. Sim,
como espero que a escrita deste texto já tenha deixado claro, tenho
mais de doze anos de idade…

Por alguma razão inexplicável, consegui o beijo. Diante de um prelúdio
tão mal escrito, não havia como aquele não ser um péssimo beijo.
Lembro de contar o tempo, tamanho desconforto. Pensei “humm, vinte
segundos, já deve ser o suficiente” e tirei minha língua da boca da
moça.

Conversamos de forma visivelmente constrangida. Deixei-a em casa e
comecei a lamentar minha péssima performance. Quis desejar nunca mais
ter com uma mulher que me fazia ser tão ruim, que acabara
completamente com meu orgulho galanteador. Estranhamente, não
consegui. Passei a noite em claro, pensando nela, tentando entender
des-desacordado o que havia me atropelado. Sim, estava apaixonado.

Se já não entendia nada, a falta de sono não ajudou em nada minha
reflexão. A embriaguez ajudou-me a pensar afastando a razão. Foi aí
que percebi que, finalmente, havia descoberto qual meu tipo de mulher.

Meu tipo de mulher é aquela que me toma a segurança, me deixa sem
jeito nem palavras. Aquela que me faz ensaiar o que vou falar, que me
faz contar os dias antes de ser sensato lhe ligar, que me faz olhar
seu número feito um idiota esperando a coragem e a melhor hora exata
para conversar. A que me faz estragar a piada pra depois consertar a
graça. Aquela que consegue me transformar em um homem tosco. Aquela
que não sabe a razão pela qual nos gostamos. Meu tipo de mulher é
aquela que me faz menos capaz, até menos homem. Meu tipo de mulher é
aquela que me faz nada mais que um menino.

Eugênio Paccelli

OBS: Mulheres, no seu próximo péssimo encontro cuidado para não
dispensar alguém que iria mudar suas vidas. Lembrem: quanto pior,
melhor!





Busca

© 2007-2018 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br