Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Diário de casamento – Fechando contrato com o Buffet.


Autor: Eubalena ~ 27 de agosto de 2010. Categorias: Sem categoria.

Como comentei com vocês, a melhor parte do casamento é a degustação da comida, seja um jantar ou um coquetel. Pois bem, conseguimos enfim fechar o buffet, não faremos mais jantar e sim um coquetel apenas para família e padrinhos.

O primeiro contato que tive com o buffet foi através do site e lá encontrei o e-mail para pedir um orçamento. Desde o primeiro momento fui bem recepcionada, troquei e-mail com a secretaria Rosa a qual me respondeu a todos e ligou para marcarmos uma degustação. Eu disse a ela que veria depois, pois precisávamos fechar com a igreja primeiro, para garantir a data do casamento. Logo que fechamos com a igreja mandei um e-mail dizendo que gostaríamos de fazer a degustação, poucas horas depois a Rosa me ligou. Acho importante a presteza do atendimento, me transmitiram muita confiança com essa atitude.

No dia da degustação fomos muito bem atendidos pela dona do buffet, Helena, que justamente leva o nome dela. Primeiramente contou-nos que é de Ribeirão Preto/SP, onde a família já tem um buffet há 21 anos, super conceituado lá. E como veio morar aqui em Brasília resolveu abrir aqui também. A Helena é uma flor de pessoa, muito atenciosa, carinhosa, cuidadosa e muito bem humorada.

A comida, hummm, só de pensar dá água na boca, muito bem feita e deliciosa. Saí de lá maravilhada com a diversidade de salgados e sucos, que o meu favorito foi o de cajá-mirim, nunca tinha bebido e nem escutado o nome dessa fruta.

Disse também que irá pessoalmente ao nosso evento fiscalizar e nos atender da melhor maneira possível. Procura não realizar dois eventos na mesma data de modo a prezar pela qualidade do serviço, isso para mim foi primordial na decisão. E decidimos que seria ela que faria o nosso coquetel.

Aí passamos para a minha sogra a nossa decisão que ficaríamos com o Helena Buffet, pois foi indicação dela. Ela ficou super feliz e logo pediu-nos para fechar tudo. Mas quando mostrei o orçamento a minha mãe, achou um pouco caro, mesmo eu mostrando o valor de outros buffets com quase o dobro do valor do Helena Buffet. Tentei convencê-la de que era muito bom e que minha sogra tinha concordado. Aí minha mãe pediu para que eles fossem comigo para conhecê-la e conversar sobre o trabalho. Marquei de ir ao buffet com meus pais no dia do jogo da Alemanha X Argentina, meu pai quase não foi porque ele queria ver, mas precisávamos definir se ficaríamos com o buffet ou não, então ele foi, mas o Jônatas não foi pelo mesmo motivo. Bom, fomos lá e minha mãe conheceu a Helena, tirou dúvidas, chegamos até a degustar e ficou convencida de fazermos com ela, neste dia fechamos contrato e saí de lá feliz e satisfeita. Depois de tudo, meu pai chegou até mim e disse que tinha gostado tanto do atendimento quanto dos salgados e que estava feliz por acharmos um buffet muito bom.

Não tenham medo de pesquisar, pedir orçamentos, negociar bastante, degustar em todos os buffets se necessário, pois valerá a pena no final. Nada melhor que fazer do seu jeito, do seu gosto, além do mais será um momento único na sua vida e precisa ser o melhor, que você puder arcar.

Áurea – A noiva.


Diário de Casamento: Preparativos de casamento – Os Buffets


Autor: Eubalena ~ 19 de abril de 2010. Categorias: Mona em Família.

Finalmente chegamos ao ponto onde, creio eu, a grande maioria das mulheres estava esperando…Os preparativos! Eu realmente aprendi muito e ainda estou aprendendo com essa correria insana que são os preparativos de casamento. Só o fato de eu saber como se escreve “Buffet” e ainda falar ao jeito francês já é algo que só homem nesta fase sabe fazer.

Pois bem, hoje eu vou falar da parte mais legal (pelo menos para mim!) dos preparativos, o Buffet. Para quem não sabe, as empresas de Buffet fazem de tudo para te conquistar, mesmo porque é a parte mais cara do casamento, você chega a pagar mais de 50 reais por pessoa do casamento aqui em Brasília, e por isso eles ficam bem felizes em poder te convidar para as “degustações”.

Eu coloquei a palavra degustações entre aspas porque na verdade é um verdadeiro banquete. Como eu e Midori estamos na época de nossas vidas em que somos convidados para muitos casamentos, nós já tínhamos um Buffet que queríamos ver e então marcamos a degustação em um dia que haveria casamento em um salão de Brasília, mas não esperávamos comer tanto. Para terem uma idéia só de couvert (acho que se escreve assim) que são as entradas, por assim dizer, eu e minha noiva tivemos que comer mais de 30! Isso mesmo..30! E não bastasse isso, depois de comer das coisas mais gostosas e mais estranhas também, veio o jantar! Neste ponto a Midori, que não é de comer muito (vocês viram a foto dela) já não estava mais aguentando e eu, bravamente, fui pegar o jantar, que também é uma delícia, mas quase que explodi de comer.

Ao fim, para você sair bem feliz (ou triste!), você ainda leva uma dezena de bombons de todos os tipos e sabores imaginados, mas claro, terá que deixar para experimentá-los no dia seguinte, a não ser que você seja o Dudu Sales ou algo assim.

Com isso acho que vocês (os gordinhos?) puderam perceber porque eu gosto mais dessa etapa, né? Mas deixo aqui uma dica: alterne a comilança dos couverts com sua amada, um vez ela, a outra vez, você; e assim vai, porque senão é capaz de acabarem a noite mais triste do que feliz.

Detalhe, nós já fomos a duas degustações e ainda não decidimos qual contratar, por isso muitas degustações ainda virão e eu continuarei descrevendo esta orgia gastronômica  nas próximas colunas, ainda bem! =D

PS: Quem é de Brasília e não sabe por onde começar as contratações do casamento eu recomendo o site http://www.acessoeventos.com.br onde tem tudo o que você vai precisar.

Jônatas – O noivo


Diário de casamento – Preparativo para o casamento


Autor: Eubalena ~ 14 de abril de 2010. Categorias: Mona em Família.

Como já falei a vocês, sou um pouco afobada e acabo procurando tudo com muita antecedência. Comecei conversando com amigas que já casaram sobre indicações de serviços para que entrássemos em contato pedindo orçamentos.

Gostei muito das fotos de uma amiga e logo pedi o contato do fotografo, logo pedi o telefone para entrar em contato. Esse fotografo até me atendeu, passou o e-mail para a solicitação de orçamento e até hoje nada.

Depois pedi à minha madrinha o telefone da cerimonialista do casamento dela e liguei correndo, depois descobri que ela não estava mais trabalhando na área. Pense na tristeza que senti depois disso, pois é, mas não desanimei. Continuei procurando em sites cada prestação de serviço, buscando cada vez mais indicações através da comunidade noivas de Brasília e amigas.

Comecei pedindo orçamento de lugar para a realização da festa. A cada e-mail recebido de orçamento, um pulo eu dava, como as coisas aqui em Brasília são caras, e sem falar que você diz a palavra casamento os valores triplicam. Até que começamos analisar qual o local mais perto da igreja para não judiarmos de nossos convidados. Decidimos o local, mas não fechamos ainda porque não conseguimos agendar ainda na igreja.

Quando saí de férias, aproveitei para ver a igreja que escolhemos para a celebração do casamento se já estava com a agenda aberta para fevereiro de 2011, e para a minha surpresa, ainda não estava só em 2010 abririam à agenda. Fiquei um pouco preocupada porque queria já estar com a data certa para pedirmos os orçamentos com a data correta.

No final do ano liguei para um buffet e pedimos o orçamento, disse lhe que foi indicação da minha madrinha que gostei muito da comida oferecida no casamento dela. Como ela não passou de imediato o orçamento, nos convidou para uma degustação para conversarmos sobre negócios enquanto experimentávamos os quitutes. Pensem no tanto que comemos? Na inexperiência acabamos comendo quase todos os pratos e salgados iguais e passamos a não agüentar mais, recusei um monte de salgados e ainda vinha o prato principal. Veio até o bolo com doces, acham que não levei bombom para casa? Não pensei duas vezes.

Fiquei sabendo que teria um bazar de vestidos de noiva em um ateliê bem conceituado e com valores maravilhosos, mas não achei que valeria a pena comprar, pois onde eu iria guardar, ou como iria vender? Sou muito magra e é difícil encontrar noivas do mesmo peso que o meu.

O ano de 2009 foi o ano de casamentos para nós. Fomos a pelo menos oito casamentos, ficava de olho em tudo pra ver se o buffet era bom, se os garçons serviam corretamente, se a cerimonialista não deixaria furos, o local escolhido pelo casal, sem contar que reparava nos modelitos da mulherada também, hihihi. Pelo menos tivemos uma noção do que preparar para o nosso.

Uma das madrinhas ofereceu para fazer as lembrancinhas de casamento e eu adorei. Minha irmã fará a porta-guardanapo em biscuit, minha cunhada o topo de bolo, minha mãe meu buquê e decoração de flores. Já estamos caminhando bem.

Começamos também a olhar um destino para a lua de mel, mas não decidimos ainda. Tantos lugares para conhecer e valores tão diferentes que preferimos aguardar um pouco pelas promoções. Ainda estamos indecisos para onde iremos.

No meu trabalho as meninas já não agüentam ouvir me falar dos preparativos, de tanto que falo e o quanto estou empolgada.

Esse ano fomos a mais um buffet. Muito chique. Todo montado como se tivesse um casamento acontecendo naquele momento. Fomos recepcionados com uma taça de Champanhe, na entrada a mesa de café e doces montada, decoração perfeita. O valor não mudou muito do outro buffet, mas com uma diferença, o coquetel volante era melhor e o jantar deixou a desejar. Aí bateu uma dúvida cruel. Qual escolheríamos? A que tem o melhor coquetel volante ou a que tem o melhor jantar? Não resolvemos nada ainda, pois tem mais um buffet para visitar.

Tivemos que parar um pouco a correria do casamento para correr atrás da reforma do apartamento. Com o projeto já pronto minha sogra pediu para começar o quanto antes, e assim fizemos.

Eu e Jônatas estamos muito cansados de tanto correr para cima e para baixo, mas sabemos que tudo dará certo e sairá do jeito que queremos.

Áurea – a noiva


Diário de Casamento – Noivado


Autor: Eubalena ~ 29 de março de 2010. Categorias: Mona em Família.


Noivado é o tempo para refletir se é isso mesmo que queremos:  ficar juntos para sempre. Ao mesmo tempo é o período que mais corremos para os preparativos de casamento. Conheço pessoas que ficaram noivas muito tempo e não deram certo, e pessoas que noivaram um ano e no outro casaram, assim é o nosso caso. Uma coisa que sempre falamos é que o namoro é o tempo de conhecer uma ao outro, o noivado é para aparar as arestas para não levarmos problemas mal resolvidos para o casamento, e isso temos feito. Tem dia que não sei como o Jônatas me aguenta, pois ando muito nervosa e vivo brigando com ele, mas acredito que são as arestas que estamos aparando.

Estou achando muito legal o noivado, apresentar o meu noivo aos conhecidos, receber parabéns por ter alcançado mais uma etapa em minha vida. É estranho, mas no começo não falava “este é Jônatas”, eu falava “este é o meu noivo” e esquecia de falar o nome dele. Gostava de falar, meu noivo o tempo todo, até nas conversas com conhecidos e sem pronunciar o nome dele, até que um dia me perguntaram: Seu noivo não tem nome? Pensem no sem graça que fiquei, a partir daí comecei a me policiar. Mas é muito bom ter alguém ao seu lado, né?

Uma curiosidade que encontrei que fala sobre o significado da aliança: “os egípcios foram os primeiros povos a idealizar as alianças como símbolo do casamento. Por não ter começo nem fim, o círculo significava para eles a eternidade para a qual o casamento fora designado.” Lembrei disso porque no dia do noivado minha sogra falou sobre isso e que deveríamos pensar bem e lembrarmos que não é apenas uma jóia e sim um símbolo do verdadeiro amor.

É bom conhecer melhor a pessoa com a qual você decidiu viver para sempre, para certificar que realmente é ela. Ver se ele deixa a toalha na cama, faz xixi no chão do banheiro, descobrir o que não gosta nele para ver se você consegue aceitar do jeito que é ou deixar para lá. Eu acho que aguento. :)

Antes mesmo do noivado já estava pensando em começar a procurar prestadores de serviços para a realização de casamento. Em maio/09 teve um Fest Noivas aqui em Brasília e fui só para ter noção do que eu precisava realmente no casamento. Nossa, ficava encantada com cada estande que passava. Vestidos, fotógrafos, decoração, buffets, doceiras, cerimoniais, até exame pré-nupcial tinha… Fiquei louca e queria tudo que via, mas não dava pra fazer orçamento porque a data que já imaginávamos era muito longe e eles não tinham agenda ainda. E como sou afobada, queria estar com tudo resolvido e ir pagando aos pouco, mas cortaram as minhas asinhas, hihihih. Deixei para lá essa história de procurar as coisas para o casamento para o próximo ano (2010), pois assim conseguiria parcelar e a agenda estaria aberta.

Vocês sabem que mulher não aguenta ficar muito parada, falou que está noiva e já começa a comprar revista de noiva para olhar a tendência dos vestidos, maquiagens, decorações. Pois é eu também faço muito isso, hihihi… Até um livro sobre como preparar um casamento sem estresse já ganhei da minha sogra, e sabe que até está sendo de grande ajuda, tem algumas planilhas para ajudar a orgazinar a lista de convidados, tipo de vestido e véu para dia/noite, etc…

O Jônatas sempre me conta que as colegas dele do trabalho estão dando muito apoio ao nosso casamento, mandam planilhas com valores que fecharam no casamento delas, dão dicas de como fazer uma boa pechincha, até destino para lua de mel. É muito bom ter esse apoio e ajuda. É impressionante o quanto aumenta de um ano para o outro esse tipo de serviço, fico chocada a cada dia que pesquisamos. Mas nada que uma chorada não ajude, né?

Além dos preparativos para o casamento estamos mexendo com a reforma do apartamento do pai dele, onde iremos morar. Pense no estresse duplo que estamos sofrendo. Se fosse apenas eu (a noiva), mas o noivo também anda tenso, é muita coisa para resolver ao mesmo tempo. Mas sei que valerá a pena, pois estamos arrumando o nosso cantinho, deixando tudo a nossa cara, isso tudo graças ao meu sogro que está ajudando com a maior parte.

É Dra. Gertrudes, vou ter que tomar muito suco de maracujá mesmo.

Na próxima semana contarei como andam os preparativos do casamento, mesmo com o tumulto da reforma.

Uma ótima semana a todos, e viva o amor….

Áurea, a noiva.


E se fosse o homem que jogasse o buquê?!?


Autor: Mafalda ~ 13 de novembro de 2009. Categorias: Cantinho das Monas.

Ahahaha. Muito bom o vídeo!!

Curiosidade: no meu casamento, quando eu joguei o buquê quem pegou foi meu futuro cunhado. Mas na hora que caiu nas mãos dele ele empurrou pro lado, como se fosse um veneno. hehehe. Mas jogou bem nas mãos da futura esposa. ;)

Beijos,
Mafalda





Busca

© 2007-2022 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br