Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Legendas dO que estou pensando? #110


Autor: Mafalda ~ 5 de dezembro de 2012. Categorias: Que estou pensando?.

127 horas 2, em breve nos cinemas.
@senakurumada

Olá, meu nome é Pedro da Rocha…
@GustavoCarnelos

Acho que aqui a minha mulher não me encontra…
@c_yogui

Meeeeerrrdddaaaaa, o saca rolha ficou la embaixo…
@arenghi

Como não ter vizinhos chatos.
@GustavoCarnelos

Sabia que não podia confiar no maps do IOS6!
@beneportela

É claro que eu tô bêbado. Jamais faria isso sóbrio.
@edson_oliveira

Será que ela vai volta comigo?
Barrabas

Muito lindo este lugar, mas será que é segu…
@beneportela

Me sinto mais seguro aqui que com minha sogra…
@lexmonteiro

Ai, que alívio!!! Constipação é osso!!!
@gildaziosousa

O rei do esconde-esconde.
@GustavoCarnelos

E você achou que o cara que engolia espadas era corajoso.
ronaldcurtis

so de zua aqui tomando uma gela em cima de um penhasco rçrçrçrçrçr
@pedrocarvalh0

Se essa pedra deslizar, LASCA tudo.
Barrabás

Tudo é tão pequeno aqui de cima.
Barrabas

Foi neste momento que veio a inspiração para a música: “Rolam as pedras,
devem rolar, sou como as pedras … pra te encontrar!”
Júlia

Aqui a minha mulher não vai me achar, tomara que passe logo a TPM!
@beneportela

Tragédia na nova propaganda do Activia:
Patrycia Travassos escorregou da pedra.
Fábio T.

Novo Activia tamanho gigante, para você que tem estômago de pedra.
Fábio T.

Não quero me gabar, mas eu sim sou alguém que subiu na vida.
@GustavoCarnelos

“Eu bebo sim e estou vivendo, tem gente que não bebe
e esta morrendo, eu bebo sim…”
@beneportela

Bom, eu ainda estou com a camisa e os sapatos, acordei aqui, não sei
como fui parar aqui, mas pelo menos, não sou o Hulk!
@beneportela

Alguém me empresta o celular?  to encrencado.
barrabas


Irritação excessiva feminina nem sempre é TPM


Autor: Mafalda ~ 12 de maio de 2011. Categorias: Mona em Família, Ponto Gê.

Este é um post mais sério para conscientizar e  alertar homens e mulheres sobre uma doença que cresceu muito nos últimos tempos e acomete mais o sexo feminino.

Se você, mulher, ou se a sua namorada ou esposa, anda extremamente irritada e talvez com mais estes outros sintomas:
- muito cansaço;
- pele seca;
- aumento de peso;
- queda de cabelo;
- tristeza ou depressão

Faça uma consulta a um endocrinologista, que irá  pedir um exame simples de sangue,  que verificará o nível de hormônio da Tiróide, pois todos estes sintomas podem ser consequências do Hipotiroidismo

O Hipotiroidismo apareceu bastante na mídia há algums meses atrás, por conta do Ronaldo, o fênomemo. Mas a doença, como disse acima, atinge mais as mulheres. E muitas pessoas que tem, passam a vida sem saber, pois todos estes sintomas podem ser confundidos com o stress da vida moderna, da TPM, e por aí vai.

É uma doença fácil de ser tratada e controlada.  Costuma se manifestar à partir dos 40 anos, ou depois de uma gravidez - o período pós-parto.

Neste artigo até falam que o hipotiroidismo pode ser confundido com depressão pós-parto: Tristeza Hormonal.

E este outro, traz mais informações importantes:
- Cansaço pode ser problema da tiróide

Como aqui no blog e no podcast há sempre homens que comentam (reclamam) sobre a TPM, é bom eles ficarem de olho em suas companheiras. Se a tal “TPM” vai além do período menstrual, fiquem ligados.
E as mulheres também.

Beijos,
Mafalda


Ponto Gê: Qualidade Masculina


Autor: Eubalena ~ 19 de março de 2009. Categorias: Ponto Gê.

Oi, quanto tempo… Tudo bem?

Bom, todos vocês sabem que sou feminista. Não consigo evitar, vejo sempre as coisas pelo lado da mulher. Não sei se justifica, mas isso não acontece só no feminismo. Quando se trata de cidade, defendo a minha cidade perante as outras. Tratando-se de estado, Santa Catarina é o melhor, e o mesmo pensamento para meu país. Claro que não me iludo, muito menos fecho os olhos perante a realidade, mas entre defeitos, prefiro ressaltar as qualidades. Mas admito, embora não sem sofrer, quando sou incapaz ou equivocada sobre algo.

E é sobre isso que estou escrevendo hoje. Vim aqui admitir perante todos um dom, uma habilidade masculina que me causa muita inveja. Não sem antes me causar a maior raiva que posso suportar. Estou falando do DOM masculino de agir como se nada tivesse acontecido.

Pode imaginar qualquer situação. Qualquer uma mesmo. Na escola, no trabalho, no relacionamento. Eles conseguem fingir que nada é nada, de uma maneira que jamais saberemos imitar com tamanha destreza.

Vou dar uns exemplos rápidos. Só para alimentar sua imaginação.

EX 1

Você conhece o cara, sai algumas vezes, ele fica de te ligar na semana seguinte. Um mês depois, ele liga.

- Oi tudo bem, como vão às coisas? Estive pensando, o que tu acha de fazermos alguma coisa? Um jantar depois uma balada?

Silêncio.

No outro lado da linha você grita no travesseiro.

EX 2

Você marca de encontrar-se com seu marido em um lugar. Ele não aparece. Preocupada, você liga. Ele diz que teve uns problemas no trabalho e que não pode ir. Ligar para avisar nem pensar. Inconformada você faz o que tinha que ser feito. Em casa a noite ele chega.

- Oi tudo bem, como foi seu dia?

Silêncio.

A porta do quarto fecha com força.

Esses exemplos são pequenos e resumidos, mas reais.

Normalmente essa característica masculina ainda vem acompanhada de uma puta cena. Aquela cena clássica: A Vítima.

De culpados, eles passam a desentendidos e, em seguida, vítimas. Nós agora, fazemos o papel das neuróticas e loucas. Isso tudo porque estamos na TPM. A frase clichê é sempre a mesma: “Você só pode estar na TPM”.

E só o seu amigo para lhe entender, não é mesmo? “Cara, do nada elas estão bravas. Sem motivo nenhum. Não consigo entender”. Seu amigo compreende perfeitamente. Claro, ele é assim também.

Como eu disse, morro de inveja. Como eu queria conseguir bancar a desentendida o tempo todo. Mas não conseguimos, até tentamos.

Ele: Está brava por quê?

Ela: Não estou é impressão sua. (tentando ser a porra de uma desentendida).

Ele: Está sim, está calada e bicuda. Não vai falar o motivo? O que eu fiz agora? (Frase típica do coitado perseguido por uma mulher neurótica que fica brava por qualquer motivo, isso quando não o inventa).

Ela: Não se faz de desentendido, você sabe muito bem.

* E ele sabe. Se você está afim, continua no joguinho por horas, senão dias, até ele não agüentar e dizer. Se você está sem paciência, já joga na lata e fecha o pau.

Só existe uma coisa pior do que ele se fazer de desentendido, é subestimar a sua inteligência. E essas duas coisas se convergem, por isso a briga é tão grande. Mesmo o motivo sendo a maior besteira do mundo.

Entenderam agora? O motivo é o de menos. Se vocês chegassem de primeira justificando o pequeno erro, ou mal entendido, nada aconteceria. Mas não…

É minha gente, o que Freud não explica, o ponto Gê explica.

Ge.


Ponto Gê: Amiga com SPSN-Síndrome da Pessoa Sem Noção


Autor: georgia ~ 13 de outubro de 2008. Categorias: Ponto Gê.

Tem gente que perde a oportunidade de manter-se calado. Essa importante arte, que poucos sabem como lidar e descartam facilmente do dia-a-dia, atinge homens e mulheres nas mais variadas situações. Pode ser no trabalho, nos relaciomentos afetivos e na roda de amigos, muitas tragédias poderiam ser amenizadas se a pessoa não perdesse a grande oportunidade de se manter em silêncio.

Ainda no clima da minha última coluna no Monalisa, onde dissertei sobre o ASN (Amigo sem noção) e a pedidos, vou falar dessa síndrome que infelizmente atinge também as mulheres, a SPSN (Síndrome da Pessoa Sem Noção), como se já não bastasse a TPM.

A doença quando atinge o sexo feminino sofre uma mutação, variando os efeitos (atitudes) no organismo da mulher. No entanto, isso não a torna menos sem noção. Homens e mulheres com essas características são chatos da mesma forma.

A ASN que se acha íntima: esse tipo de pessoa acha que pode falar qualquer coisa para você que fica tudo bem. Pode xingar seu namorado, pode até fingir (ou não) que dá mole pra ele, fala da sua mãe, dos seus amigos e da vida dela (essa parte por horas e horas) como se vocês fossem muito íntimas. Fala do seu cabelo, da sua roupa, sapato. Diz que você deu uma engordadinha com aquela cara de amigona dando dica.

Intimidade e gente sem noção é uma combinação drástica. Isso me lembra a mulher que vende doces. Todos os dias ela passa onde trabalho vendendo docinho e empadinha. No começo tinha aquele perfil agradável: simpática e reservada. Com pena e movidos pela gula em ver aqueles docinhos, resolvemos comprar. E se tornou uma daquelas rotinas, com direito a marcar no bloquinho para pagar no final do mês. Foi onde aconteceu a ‘intimidade’. Tenho um sério problema em perceber o ponto em que uma relação passa de cordial para mais íntima, (nesses casos específicos), o que acredito ser algo genético. Afinal, o rótulo de ‘chato e mal-humorado’ é bem constante aos que integram a minha família. Portanto, não tenho culpa se meu pensamento sempre fica mais para: “que folgada”, do que para, “simpática ela”.

Até hoje me revolto com a mulher dos doces – chamo assim porque nunca perguntei o nome, o que prova que ainda não pulei a barreira da intimidade – porque toda manhã a dita senhora resolveu discursar por cerca de 10 a 20 minutos sobre política. Se existe um cliente sendo atendido, ele tem que parar para ouvi-la e assim todas as demais pessoas presentes. Você deve estar se perguntando e a resposta é sim, já paramos de comprar doces e empadas, mas não resolveu. Não consigo odiá-la por isso, ela é sem noção, fazer o que.

Tem a ASN hipocondríaca. A família dela já morreu inteira, de tudo quanto é doença que você pode imaginar. Se você está com uma dor no dedo do pé, pode ter certeza, o tio dela começou assim e em três dias morreu.

Adora uma cena, a Amiga Sem Noção Maria do Bairro, é pior que atriz mexicana. Quando ela não é daquele tipo escandalosa, que adora avisar que está chegando. É daquelas que adora ser o que não é. Tem dia que ela está fazendo o perfil santa, então tudo a deixa chocada, estilo Sandy. Quando faz o perfil fresca, tudo é nojento. Até o sotaque muda. Faz também o perfil suicida, a vida dela é um lixo. Ninguém a ama, ninguém a quer. Você que está desempregada, sem dinheiro, com a mãe na UTI é que tem sorte. E assim segue, mas mutável que um camaleão.

Você começa a falar e ela muda o assunto, você começa a contar uma história e ela termina para você. No calor da empolgação e de vez em quando, esse tipo de atitude é suportável. O tempo todo é de matar. A frase mais comum é a clássica: “Peraí, não foi bem assim…”. A ASN com desconfiometro quebrado, é capaz de fazer você cometer um assassinado. Faz qualquer pessoa refletir sobre o porte de armas.

Existe também, claro, a ASN esponja de álcool. Bebe até não poder mais, até ninguém não mais agüentar a companhia. Cai, baba, tropeça em todo mundo, se ela fuma, queima de cigarro todos que estão passando. E quando você desiste e resolve ir para casa, cadê ela? Sumiu.

Tem aquela chata que não pega ninguém. Todos os guris que se aproximam de você são idiotas e feios. Isso ocorre porque é em você que eles estão chegando, se fosse nela tudo bem. Essa versão de ASN tem uma variante: a pegadora. Você chegou na balada, achou aquele menino bonitinho, não conta que ela ataca. A dica nesses casos é você fingir que está interessada em outro, quando a amiga da onça começar a sorrir para ele, esbarrar nele e puxar assunto, você pode mandar todos os sinais que desejar para o seu verdadeiro escolhido.

Sei que parece um pouco poético, mas ter um ASN não é tão ruim. O importante é ter amigos e respeitar a opção de cada um em ser sem noção.

Respeito você.

Beijão Gê


Ponto Gê: Neurótica não, mas que aí tem coisa tem.


Autor: georgia ~ 22 de setembro de 2008. Categorias: Ponto Gê.


Taxadas de neuróticas, nós mulheres estamos em uma faca de dois gumes. Onde os extremos entram em conflito. De um lado, a triste realidade de que muitas vezes (na maioria segundo eles) não passamos de neuróticas obsessivas compulsivas e, do outro, nosso sexto sentido aguçado, nossa capacidade de percepção eficiente e nosso pensamento rápido e perspicaz. Com milhões de neurônios a menos, o que deixou nosso cérebro mais leve e, proporcionalmente, mais rápido. Processamos as informações com mais habilidade e, assim, enviamos uma resposta mais veloz. No entanto, fazemos isso com tanta aceleração que conseguimos visualizar todas as possibilidades possíveis para qualquer situação. É da natureza humana e, principalmente da feminina, escolher sempre a pior delas. Vejamos um exemplo prático:

Cena comum 1: Quando parece, mas não é.

Ela: Hum, nove horas e nada dele em casa. Ligo no trabalho ninguém atende, ligo no celular desligado. Pra que um celular, se quando mais se precisa ele está desligado. Aposto que está aprontando.

Nesse momento o pensamento de uma mulher viaja anos luz e aquela recepcionista oferecida começa a piscar na cabeça como uma placa de motel.

Ela: Traidora! Cachorro! *@##$%. Eu sabia. Eu sempre soube.

Pronto. Quando o pensamento de uma mulher chega a esse nível, não há mais nada que se possa fazer. A briga está armada e é por isso que você nunca sabe o motivo. É muito difícil compreender o porquê de tanta briga, afinal, você apenas se atrasou no trânsito. Maldita hora que resolveu pegar aquele atalho ou virar a direita e não à esquerda como de costume. Se na sua mente, tudo está confuso, na cabeça de uma mulher, agora tudo faz sentido, mesmo que não seja a realidade dos fatos.

Entretanto, nem sempre eles são vítimas.

Cena comum 2: Quando tudo é o que parece.

Ela: Nove horas e nada dele em casa. No trabalho ninguém atende. O celular desligado. Liguei para um dos seus amigos, ele me garantiu que ele estava lá e acabou de sair. Liguei para outro, apenas para confirmar e, pasmem, ele também estava lá e acabou de sair. Dois extremos da cidade. O próprio David Copperfield, materializando-se em dois lugares, ao mesmo tempo. Eu sabia, eu sabia!

Apesar da boa intenção de seus amigos, a proporção da briga será a mesma e, dessa vez, você fingirá que não está entendendo. Se fazer de morto pra comer o coveiro, além de mórbido, não funciona mais.

Segundo Freud, a neurose é causada por emoções de uma experiência passada, que resultaram em um forte sentimento, que dificulta reação ou interfe na experiência presente. Ou seja, as neuróticas de hoje, são as traumatizadas ontem. Se você ou sua parceira já foi traída, tende a achar que está sendo traída a todo momento. Com a TPM, isso piora. Um sabio filme uma vez disse: ‘Cada mulher tem o relacionamento amoroso que deseja’. Há cada dia, acredito mais nisso.
Aos homens segue a dica: Nunca subestime a inteligência de sua parceira. Além de ser muito irritante, se ela estiver na TPM tem seus atos devidamente protegidos pela legislação.
Para elas: sigam seus instintos, dificilmente eles erram.

Neurótica não é sinonimo de perspicaz.

Beijão


Monacast 08 – Coisas que Irritam!


Autor: Mafalda ~ 27 de fevereiro de 2008. Categorias: podcasts.

08-coisasqueirritam.jpg

Mafalda, Eubalena, Angélica e Pietra prepararam um chá de camolila para conversar sobre Coisas que Irritam ao som de Funk, como Bonde do Tigrão, Xuxa e Tiririca.

Quem nunca se irritou com o irmão ou a irmã querendo usar o banheiro bem na hora que você acabou de entrar, com risadinhas idiotas na sessão de cinema, com telemarketing, com a sua mãe ou pai pegando no seu pé, com gente que se acha o último Bis do pacote, não pode deixar de ouvir este Monacast antes de voltar para seu planeta de origem! hehehe

Beijos da Mafalda





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br