Porque fazer humor e podcast é uma arte

































A dor indizível


Autor: Mafalda ~ 2 de agosto de 2011. Categorias: Sofá da Mona.

Assisti recentemente  “Por amor” (Personal effects – um título mais adequado- de 2009), protagonizado pela indefectível Michelle Pfeiffer e pelo surpreendente Ashton Kutcher (pela boa atuação dramática). Já aviso: não é um filme para relaxar.

Michelle é uma das atrizes mais bonitas em atividade. Chega a ser intimidante de tão linda, o que se confirma também em HD. Ashton não fica atrás. Nesse filme parece uma estátua grega com um andar charmosamente desajeitado. Mas não é a beleza do elenco a questão. O tema é a perda. Pior: a perda pela violência, quando lhe arrancam alguém que você ama e, junto com a dor da perda e da saudade, pensar no sofrimento passado pelas vítimas é aterrador.

A personagem de Ashton teve a irmã barbaramente assassinada. A imagem do corpo sem vida e violado ao ser encontrado aparece em vários momentos de reflexão do irmão. Parece repetitivo porque é. Quando perdemos alguém, especialmente pela violência, passamos a ser assombrados por cenas, falas e imagens da pessoa que partiu. Parte natural do luto.

Cada qual em sua busca, os protagonistas acabam se conhecendo nos corredores dos tribunais e desenvolvem um laço forte e apertado pela dor comum. Encontrar alguém que entende de fato sua dor, sua perda, é um achado para quem sofre tanto. Grupos de apoio, terapia, etc são importantes espaços para que se possa falar do indizível. O filme mostra a luta de famílias tentando continuar. Da tentativa de seguir adiante de um jeito ou de outro porque não há escolha a não ser continuar vivo (?).

No Brasil, vida real, um jovem promissor andava a pé em uma calçada na noite paulistana. Foi atropelado por um carro de luxo em alta velocidade. Dentro do carro um casal de namorados, com curso superior, supostamente esclarecidos. O jovem foi levado ao Hospital, mas não resistiu e morreu. As investigações têm revelado que trata de mais uma vítima do combo from hell carro + bebida alcoólica. Sua família buscará justiça nos morosos tribunais brasileiros. Mesmo que “vençam”, que condenem os culpados, os familiares e amigos desse rapaz sabem que nunca mais o verão. A dor excruciante, a saudade e a revolta são inevitáveis. A violência que tira uma vida extingue muitas outras. Nada, absolutamente nada, compensará a perda brutal. Não consigo pensar em dor maior que a perda de um filho, de um(a) irmão(ã) especialmente de forma estúpida. Quando penso em tudo isso, sempre me vem à mente uma frase de uma música do Chico Buarque: “A saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu”.

Vídeo com trecho legendado do filme


Clique no retângulo acima para acessar o blog da Ju Teófilo


OS RISCOS DO CONJUNTO “CRIANÇAS x TELEVISÃO”


Autor: luizcarlosdacosta ~ 1 de julho de 2009. Categorias: Mona em Família.

Nesta terça feira, 30 de junho, acordo e assistindo o noticiário vejo o repórter dar detalhes sobre mais um desastre aéreo. Pois é, queda de mais um avião e no mar novamente. Confesso que fico me imaginando no lugar de quem esteve dentro do avião, o que passou pela cabeça de cada um, como começou, como sucedeu, o que daria para ver e tudo mais. Imaginar tudo isso me trás um aperto no coração. Agora realize o que assistir essa noticia na televisão pode significar para uma criança? Ver noticiários de violência pode espantar a criança, de formas variadas dependendo da sua idade. A criança fica particularmente assustada.

È por essas e por outras razões que em casa, não vejo noticiários, novelas ou qualquer outra programa que traga aspectos negativos do ser humano que habita a terra. Ou seja, a TV funciona quase que exclusivamente sintonizada no Discovery Kids. Praticamente todas as informações que julgo necessário eu busco na Internet. Hoje, falando em notícias, tem-se tudo que passa na televisão e com a vantagem de se ter muito mais detalhes.

Agora fica a dúvida que me vem à cabeça todas as vezes que a minha filha assiste ou toma conhecimento de uma noticia que diz a respeito da violência:

• Tem sua razão tentar esconder esses fatos para a minha filha, como um acidente do avião ou uma noticia qualquer de seqüestro, roubo ou assassinato?

Na minha opinião, ela não precisa saber que essas barbaridades existem. Ou a realidade nua e crua exposta fará com que ela tenha uma visão mais realista da vida e com isso ter alguma vantagem futuramente? Alguém conseguiu captar o meu dilema?

Bem, de qualquer forma, a principio eu continuo acreditando que ela não deve tomar conhecimento desse lado do mundo por enquanto e continuo regulando o que ela assiste rigorosamente. Tenho até arrepios quando preciso deixar ela na casa do meu pai: ele passa a noite assistindo um jornal atrás do outro. Depois ela vem com um monte de perguntas para mim sobre os acontecimentos que ela viu na televisão. Inclusive, ela anda me falando todo dia que não quer ir viajar de avião nessas férias do meio do ano, simplesmente porque o avião vai cair.

- Você não viu no jornal o avião que caiu? Eu não quero morrer pai!

O que responder nessas horas? Que o avião é o modo mais seguro que existe para viajar? Que mais de um milhão de pessoas morrem por ano no mundo de acidentes de trânsito?

Por fim, fica aqui alguns conselhos para nós pais que querem transformar a televisão uma atividade mais segura para nossos filhos:

1) Nunca coloque a televisão no quarto das crianças. Coloque sim somente os brinquedos, jogos e alternativas de diversão. Não! O computador não se encaixa como uma alternativa.

2) Desligue a televisão na hora da refeição, tendo assim um momento privilegiado de convívio em família.

3) Selecione os programas mais adequados de acordo com a idade da criança. O ideal é que você o veja com o seu filho. Assim, é possível ter uma forma de filtrar conteúdos.

4) Veja também poucas horas de televisão: além de dar o exemplo, é mais tempo que poderá passar com o seu filho a praticar esportes, ler ou simplesmente brincar…





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br