Porque fazer humor e podcast é uma arte

































OS RISCOS DO CONJUNTO “CRIANÇAS x TELEVISÃO”


Autor: luizcarlosdacosta ~ 1 de julho de 2009. Categorias: Mona em Família.

Nesta terça feira, 30 de junho, acordo e assistindo o noticiário vejo o repórter dar detalhes sobre mais um desastre aéreo. Pois é, queda de mais um avião e no mar novamente. Confesso que fico me imaginando no lugar de quem esteve dentro do avião, o que passou pela cabeça de cada um, como começou, como sucedeu, o que daria para ver e tudo mais. Imaginar tudo isso me trás um aperto no coração. Agora realize o que assistir essa noticia na televisão pode significar para uma criança? Ver noticiários de violência pode espantar a criança, de formas variadas dependendo da sua idade. A criança fica particularmente assustada.

È por essas e por outras razões que em casa, não vejo noticiários, novelas ou qualquer outra programa que traga aspectos negativos do ser humano que habita a terra. Ou seja, a TV funciona quase que exclusivamente sintonizada no Discovery Kids. Praticamente todas as informações que julgo necessário eu busco na Internet. Hoje, falando em notícias, tem-se tudo que passa na televisão e com a vantagem de se ter muito mais detalhes.

Agora fica a dúvida que me vem à cabeça todas as vezes que a minha filha assiste ou toma conhecimento de uma noticia que diz a respeito da violência:

• Tem sua razão tentar esconder esses fatos para a minha filha, como um acidente do avião ou uma noticia qualquer de seqüestro, roubo ou assassinato?

Na minha opinião, ela não precisa saber que essas barbaridades existem. Ou a realidade nua e crua exposta fará com que ela tenha uma visão mais realista da vida e com isso ter alguma vantagem futuramente? Alguém conseguiu captar o meu dilema?

Bem, de qualquer forma, a principio eu continuo acreditando que ela não deve tomar conhecimento desse lado do mundo por enquanto e continuo regulando o que ela assiste rigorosamente. Tenho até arrepios quando preciso deixar ela na casa do meu pai: ele passa a noite assistindo um jornal atrás do outro. Depois ela vem com um monte de perguntas para mim sobre os acontecimentos que ela viu na televisão. Inclusive, ela anda me falando todo dia que não quer ir viajar de avião nessas férias do meio do ano, simplesmente porque o avião vai cair.

- Você não viu no jornal o avião que caiu? Eu não quero morrer pai!

O que responder nessas horas? Que o avião é o modo mais seguro que existe para viajar? Que mais de um milhão de pessoas morrem por ano no mundo de acidentes de trânsito?

Por fim, fica aqui alguns conselhos para nós pais que querem transformar a televisão uma atividade mais segura para nossos filhos:

1) Nunca coloque a televisão no quarto das crianças. Coloque sim somente os brinquedos, jogos e alternativas de diversão. Não! O computador não se encaixa como uma alternativa.

2) Desligue a televisão na hora da refeição, tendo assim um momento privilegiado de convívio em família.

3) Selecione os programas mais adequados de acordo com a idade da criança. O ideal é que você o veja com o seu filho. Assim, é possível ter uma forma de filtrar conteúdos.

4) Veja também poucas horas de televisão: além de dar o exemplo, é mais tempo que poderá passar com o seu filho a praticar esportes, ler ou simplesmente brincar…


PijamasTech 2- Pedido de desculpas, antivírus, etc


Autor: jonnyken ~ 8 de fevereiro de 2009. Categorias: pijamastech.

Hoje vamos falar um pouco sobre brigas no trabalho, como se proteger de vírus e uma dica de gadget para as geeks de plantão.

GRRRRRRRRRRRRRRRRRR
Não tem como… Qualquer pessoa, pelo menos uma vez ao dia, perde a paciência com alguém ou com alguma coisa. Isso deve ser comum aos seres humanos desde que surgiu o primeiro Homo sapiens, há uns 150 milhões mil anos (correção by Fugita).

O problema é quando essa explosão de raiva não acontece com aqueles que gostamos, e sim com quem convivemos que, provavelmente, não nos perdoarão e jamais esquecerão a discussão. Isso pode acontecer dentro de empresas ou até mesmo em grupos de trabalho de faculdade (eu já vi várias amizades terminarem depois do relatório de Ecovegetal, lá na biologia).

Outro dia eu escrevi no meu blog sobre como evitar esse tipo de problema. Hoje vou tentar dar algumas dicas de como apagar o incêndio.

1- Evite discussões em lugares muitas pessoas
Nada de começar a gritar com a outra pessoa em local cheio de gente. Isso vale para uma discussão tanto em sala de aula quanto no ambiente de trabalho. Se você for de uma posição superior (chefe, gerente, líder da equipe, etc), tenha consciência que fazendo isso, seu subordinado estará mais preocupado com a vergonha do esporro em público do que com o problema em si. E isso sempre gera uma ira interna que vai remoendo e aumentando com o tempo!
Se for discutir, prefira um ambiente isolado. Demonstrar poder não o faz um líder mais respeitado.

2- Escolha sempre as mesmas armas
Nessas horas é muito difícil controlar-se, mas tente sempre não fugir do assunto em uma discussão! Se o assunto for “entrega do relatório”, não parta para “porque sua mãe é uma gorda e feia”. Se você achar que tem razão, rebata, mas com as mesmas armas.

3- O senhor tem razão
Obviamente, nem sempre a briga é por um motivo fútil… Pode acontecer da pessoa enraivecida com você ter um motivo real, e com razão. Mesmo se ela vir com uma raiva desproporcional, convém analisar as causas e, se realmente a culpa for sua, um rápido “sinto muito” pode evitar maiores problemas.

4- Não fuja do local de discussão
Se você está quebrando o pau em um grupo de discussão na internet, mantenha a conversa  por lá! Sair para continuar a discussão em outro lugar é covardia com o outro lado, principalmente se for feito as escuras ou com “armas diferentes”.

Galeria Jonny Ken)
5- Saiba pedir desculpas
Se após a discussão você perceber que fez besteira, nada de publicar uma notinha de rodapé no jornalzinho da rua. Se a discussão foi em público, o pedido deve ser feito no mesmo local e em circunstâncias parecidas. Essa coisa de dar esporro na frente de todo mundo e pedir desculpas na sala privativa não funciona. Como eu disse anteriormente, a pessoa ficou mais preocupada com a vergonha do que com o motivo da bronca em si.

E ai? Mais alguma dica? Deixe um comentário…

Qual o melhor antivírus?
“Jonny, qual o melhor antivírus?” (Eubalena australis, blogueira e podcaster, SC)
Para mim, escolher uma marca de antivírus é como escolher uma marca de gasolina, de carro, de time de futebol, de operadora de celular, etc… Eu posso demonstrar diversos fatores porque A é melhor que B, mas o principal motivo é “porque eu gosto”, e isso é totalmente pessoal (e até mesmo passional).

Recentemente, a Infoexame fez uma rápida reportagem sobre os melhores antivírus de 2009. Basta ir ao site deles para ver o resultado.

Mas eu conheço várias pessoas que não utilizam antivírus. Além de ficar com o micro mais rápido (menos processamento), com a internet já é possível criar um vírus no Japão e em menos de 1 segundo ele contaminar um micro no Brasil, ou seja, mesmo com seu antivírus atualizadissississimo, seu micro continua desprotegido.

O melhor a fazer é evitar a chance de pegar um vírus. Ai vão algumas dicas:
1- Mantenha seus programas atualizados!!!
Todos os programas, principalmente os que acessam a internet, devem estar sempre atualizados, utilizando a última versão disponível do site. A maioria deles possui atualização automática, mas é sempre bom você verificar manualmente. Para ver a versão, normalmente basta ir em “ajuda > sobre” ou “help > about” do programa e comparar com a versão disponível no site.

Um programa desatualizado é uma porta aberta para vírus ou intrusos terem acesso ao seu computador sem que você perceba, mesmo com o melhor antivírus instalado! Por exemplo, se você ainda navega na internet com o Internet Explorer 6, provavelmente você tem uma cultura de vírus em seu computador e não sabe!

2- Jamais “clique AQUI”

Em qualquer email que tiver “clique AQUI”, não clique!! Grandes probabilidades de ser um vírus!

3- Cuidado ao instalar programas
Nada de ficar clicando em “Next > Next > Next > Next > Next” na hora de instalar programas, principalmente os baixados da internet. Vários deles possuem uma tela “Deseja instalar esses 300 softwares também?”. Esses “spywares” enchem mais o saco do que os vírus em si!

4- Tenha um Firewall
Esse pode ser uma pauta para a próxima coluna, então não vou explicar o que é. Mas é importantíssimo ter um em seu computador, principalmente se ele estiver ligado diretamente na internet (sem passar por algum roteador com firewall antes). O Windows XP já possui um bem simples, então pode se preocupar um pouquinho menos.

5- Cuidado com sites-clones ou “phishing”

Sempre digite o endereço do site na URL antes de colocar a senha. Existem muitos sites “clones” que são colocados no ar somente para roubar sua senha! Não se esqueça de verificar a presença do “cadeadinho” no navegador!

6- Atualize sempre seus programas
Eu já disse isso? Sim, mas não custa sempre lembrar: ATUALIZE SEUS PROGRAMAS!!!

Gadget da Semana

Esse eu vi no Digital Drops, do meu amigo Nick Ellis.

Este incrível robô-boneca da empresa japonesa Little Island possui webcam, caixa de som, sensores sensíveis ao toque, motores que movimentam o boneco, são capazes de reconhecer comandos de voz, simulam sua própria voz usando um software especial.

O que fazer com um boneco desse? Ele pode sentar ao seu lado e ler seus feeds RSS ou fazer chamadas em VoIP. FANTÁSTICO!!! Eu quero um desses de dia das crianças! Será que o dolar vai cair? Custa aproximadamente U$4.500,00!

Maiores detalhes no site Digital Drops

Até domingo que vem!


Curtindo a vida em Lisboa/Portugal


Autor: Phoebe ~ 21 de setembro de 2008. Categorias: Curtindo a Vida.

Embora os brasileiros prefiram viajar para destinos europeus mais tradicionais, como Paris, Londres e Roma, a bela Lisboa oferece determinadas vantagens que os outros destinos não possuem, como a facilidade do idioma e preços bem inferiores aos praticados nas demais capitais européias.

Se a sua idéia for passar apenas uma semana em Portugal, esqueça os pacotes do tipo “50 cidades em dois dias”, pois não valem a pena. Lisboa, por si só, merece no mínimo 3 dias da sua viagem, e ainda assim você não irá conhecer nem metade dos destinos imperdíveis dessa cidade tão especial.

Para a hospedagem, recomendamos os hotéis que fiquem na Avenida da Liberdade e seus arredores, principal via de Lisboa, devido à proximidade das estações de metrô. A cidade é inteiramente coberta pelas linhas de metrô, tornando muito fácil a vida dos turistas. Há um cartão vendido nas estações de metrô, o Sete Colinas, que permite acesso a todos os meios de transporte da cidade durante 1 dia inteiro (metrô, ônibus, trem e bonde). Dá para conhecer diversos pontos turísticos da cidade gastando apenas 1 passagem por dia. Ver o texto completo »





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br