Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Diário de Casamento:UMA CAMINHADA


Autor: Eubalena ~ 5 de abril de 2010. Categorias: Mona em Família.

Casal caminhando

Este texto conta fatos acontecidos antes do noivado.

Depois do pedido de namoro relâmpago passamos por um tempo de dúvidas. Eu como sempre gostei muito de dançar, continuei saindo para dançar salsa e forró mesmo sem a namorada nova. E numa dessas saídas encontrei um dos meus melhores amigos e conversamos sobre o namoro novo e pude discutir minhas dúvidas com ele sobre se valia a pena mesmo continuar esta loucura. (hoje não acho loucura.)

Acontece que eu tinha alguns preconceitos bobos, mas resolvi continuar pra ver no que dava. Na verdade no dia em que eu estava mais em dúvida ela acabou me fisgando mesmo com sua doçura e sorriso sempre aberto bem característico dela.

Para vocês terem uma idéia de como ela ri, se resolverem ligar para ela, acho que ela vai ficar metade do tempo da ligação rindo. É uma das coisas que mais me chamou a atenção nela, esse bom humor sempre presente.

Após esse início meio conturbado, aconteceu um fato interessante, propiciado novamente pelo Orkut. Mesmo antes de namorar já havíamos percebido que tínhamos alguns amigos em comum, pois isso aparece no Orkut, e uma amiga minha que conheço desde que me entendo por gente, que é muito amiga dela também (isso acontece muito em Brasília) mandou um scrap para Áurea falando que não acreditava que ela estava namorando comigo. Mais uma vez com certo receio, minha namorada na época, ficou super curiosa (isso acontece muito com mulheres!) e quis saber logo porque do scrap misterioso. Ainda bem que ela só falou coisa boa de mim, além do fato de eu ser super tímido antigamente.

Dias depois pudemos encontrar com os pais dessa amiga em uma festa juntamente com a minha sogra, que ainda estava meio desconfiada comigo, e a minha tia (mãe da amiga em comum) falou suuuper bem de mim, o que creio deixou os sogrinhos mais aliviados.

Fora o desgosto dela por azeitona e cogumelos (que eu gosto muito) fomos percebendo que temos muito em comum. Como por exemplo, gostamos de vídeo-game, carros e futebol, é…. isso mesmo! Achei uma namorada que adora jogar vídeo-game e até assiste aos jogos do meu time do coração (e torce pra ele), mesmo torcendo pra um timinho aí que nem vale à pena comentar qual é.

Claro que houve algumas poucas brigas e trabalhos de convencimento de ambas as partes, como quando eu a convenci a me deixar sair pra dançar forró sem ela e o dela de me convencer a ficar os finais de semana todinhos na casa dela! Mas isso são coisas que servem pra ajustar o relacionamento.

Também tive o prazer de ter todo o apoio possível por parte dela em momentos bem difíceis da minha vida, numa época de desemprego e em vezes que ninguém acreditava que eu iria passar em um concurso para melhorar de vida (no qual eu passei sim) e ela sempre esteve lá para me apoiar.

Por essas e outras, nesses dois anos de namoro, antes do noivado, pude ir conhecendo mais a maravilhosa pessoa que a Áurea é, e também perceber que desta vez eu dei sorte mesmo, pois ela é tudo que eu pedi, literalmente, para Deus e muito mais.

Jônatas


Ponto Gê: Ex boa é ex morta


Autor: georgia ~ 3 de março de 2009. Categorias: Ponto Gê.

Antes que você comece a ler esta coluna, gostaria de esclarecer o seguinte ponto: durante o texto, irei referir-me ao prefixo ‘EX’ no feminino. Isto não quer dizer que estou falando apenas de mulheres. Pelo contrário. Ex é tudo igual, tanto para eles, quanto para nós.

É comprovado: Ex boa é ex morta. Ou aquela que finge ser.

Claro que para toda regra existe exceção. Mas arrisco a chutar que em 90% dos casos, a ex-mulher ou marido, ex-namorada (o), é sempre um pé naquele lugar.

Às vezes pergunto-me se não existe uma seita secreta para Ex. Lá, aprendem táticas de perseguição, destruição de relacionamentos, técnicas de espionagem. Todas juntas, ajudando-se. Porque é impressionante como conseguem ser chatas, desagradáveis e perseguidoras. Elas sempre sabem de tudo, onde o casal foi, com quem conversou, a hora que saíram e chegaram, os presentes que foram trocados e até mesmo o que foi dito. Algumas são até pós-graduadas em forjar tentativas de suicídio.

Não existe ninguém que já não tenho sofrido por causa de uma Ex, por mais bem resolvida que a pessoa seja. Quando não persegue você, é a do seu namorado que anda atrás dele. São incontáveis os relacionamentos que já foram destruídos por causa de Ex.

Porra, não deu certo? Não deu. Parte para outra. Que mania é essa de descobrir que ama depois que terminaram. Se não soube antes azar. Tem coisa na vida que se tem apenas uma chance.

Telefonemas, mensagens com declarações, recados no orkut, e-mails, escândalos em público. Essas são algumas das técnicas de abordagem de uma ‘ex grude’. “Você nunca vai encontrar alguém que te ame como eu”. “O que ela tem que eu não tenho?”. “Volta pra mim, senão, não sei o que sou capaz de fazer”.

È claro que ele não vai encontrar alguém como você, vai ser melhor com toda certeza. O que ela tem que você não? Desconfiometro. Não sabe o que é capaz de fazer? Sabe sim, só não tem coragem o suficiente.

O amor não é uma coisa que te faz perder a cabeça, o nome disso é guilhotina.

Não existe uma receita para se livrar de uma ex (descartando a possibilidade de assassinato). O jeito é tentar não deixar-se abalar, quando possível, ou fazer algum tipo de luta.

Agora se você enquadrou-se no perfil da ex, se toca porque um dia você vai ser a atual e vai ter uma ex fazendo igual.

Não esqueça…

O amor é que nem capim.

A gente planta, ele cresce, vem uma vaca e acaba com ele.

Vamos plantar cevada minha gente.

Beijos a todos,





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br