Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Momento Eu que fiz, posso babar!


Autor: Eubalena ~ 4 de novembro de 2011. Categorias: Cantinho das Monas, Mona em Família, Tiras.

Coró, (meu pequeno gênio de 6 anos) adora as tirinhas da Mafalda (também conhecida como Raquel Gompy) e do Flávio Soares ( A Vida com Logan). Daí que a menina passa os seus dias fazendo desenhos e tirinhas por culpa dos dois.

Como toda boa mãe babona, acho que todo mundo tem o direito de ver a obra prima de Coró.

 

Euba


Tipos de Mães no Orkut


Autor: Eubalena ~ 3 de março de 2010. Categorias: Cantinho das Monas, Mona em Família.

Assim que engravidei entrei no Orkut e comecei a frequentar comunidades de mães.

Eu que estava sozinha em uma cidade diferente e longe da família, aprendi muita coisa por ali.
Em comunidades de mães se conversa sobre tudo. Desde o tipo de parto, pega na amamentação, até a melhor marca de fralda. Fora a fofoca que rola intensamente.

Durante esses quase 6 anos que frequento o local pude observar e classificar as mães que participam do Orkut, entre elas, posso citar:

1. Mãe Nossa Senhora: aquela que se compadece da dor dos filhos de todas as outras mães aproveitando para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

2. Cyber Mãe: aquela que passa o dia inteiro no computador, o filho se cria praticamente sozinho e, mesmo assim, ela aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

3. Pitmãe: a que se mete em brigas para defender toda e qualquer criança indefesa e aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

4. Mãe médico de família: conhece todos os sintomas de todas doenças, medica, faz pejelança e aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

5. Mãe Isso que é mulher: é uma dona de casa perfeita. Lava, passa, cozinha, faz jardinagem, tem o os filhos mais bem educados e engomados e ainda é uma mulher capaz de satisfazer todo apetite sexual do esposo, que geralmente é bonito e perfeito e claro, aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

6. Mãe é comigo?: completamente paz e amor, os filhos são criados livres, impondo suas vontades. Ela nunca sabe o que e por que aconteceu mas sempre aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

7. Mãe poderosa: Não importa o que acontece com o filho agora. O importante é que ele nasceu da maneira correta e aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

8. Mãe meu pronto socorro é aqui: O filho cai da laje, de cabeça, e ela deixa o menino lá para correr pro Orkut e perguntar o que deve fazer. Fica minutos dando Up no post e perguntando: alguém? alguém? Mas, entre uma espiada no guri estatelado na laje e outra, ela aproveita para mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

9. Mãe PHD: sabe tudo de absolutamente tudo e sempre oferece os conselhos sobre o jeito certo de fazer qualquer coisa, desde amamentação até como lavar meia branca. E nunca esquece de mostrar o quanto é uma mãe melhor que as outras.

10. Mãe Barbie: corre, faz academia, lipo, limpeza de pele, se veste sempre na última moda, coloca silicone, tira costelas. O programa preferido com a filha (porque mãe Barbie não tem filhos) é fazer compras ou levar a menina para o salão. E ensinar a menina a, quando crescer, ser uma mãe melhor que as outras, assim como ela.

11. Mãe Amo Minha Kodak: posta todas as fotos da criança do que diz respeito a ela. Sempre lembrando que é mãe muito melhor que as outras.

12. Mãe São Tomé: Portadora de uma total ausência de noção, é aquela que posta e mostra. O cocô do filho ta mole? Tá lá a foto para mostrar. A cicatriz da cesária virou uma bola? Toma foto! Claro, ela também é uma mãe muito melhor que as outras.

13. Mãe Enfoderada: Que reúne todas as melhores e mais nobre qualidades. Aquela que não precisa dizer que é melhor que as outras porque ela já sabe que é e pronto! Apesar de não ouvir a torcida contra.

Qual desses tipos de mãe eu sou? Bom, eu não me encaixo em nenhuma delas… Até que inventem a categoria mãe perfeita.

Beijos Orkutianos
Euba


Tchau Cocô!!!!!


Autor: Mafalda ~ 2 de março de 2008. Categorias: Sem categoria.

Quem é pai e mãe de criança na idade entre 2 e 3 anos vai passar pela fase de tirar as fraldas, ensinar a usar o penico ou o vaso sanitário. Vai limpar muito xixi no chão e cocô na roupa.

E vai ensinar a criança, toda feliz do seu produto orgulhoso, a dar “Tchau Cocô!!!” na hora da descarga.

Pensando neste aprendizado infantil e em um modo de tornar a coisa divertida, os japoneses (só podiam ser eles!) fizeram este vídeo animado. :D

Comentei sobre esta animação com a Euba no último podcast. Lembro a primeira vez que vi este vídeo em um blog de humor e o rapaz (que não tem filhos) estava estupefato com o desenho. Mas quem é mãe e pai, até que é legal. Você dá risadas, porque é exatamente isso que acontece!


Beijos da Mafalda


“SE VOCÊ É DIFERENTE O NOSSO DIFERENTE TEM UM QUÊ DE SEMELHANTE”*


Autor: Mafalda ~ 17 de janeiro de 2008. Categorias: Sem categoria.

Hoje vou falar como filha, afinal na Monalisa sempre falam sobre o que é ser mãe e o que é que nos incomoda em ser mãe, o que nos delicia na maternidade. Mas e o ser filha?

Acho interessante como a forma de interferência das nossas mães (pelo menos com a minha mãe) mudam com o passar do tempo e de acordo com a fase que vivenciamos, mas estão sempre presentes mesmo com muitas de nós adultas, crescidas e mãe como elas.

As mães insistem que não podemos cometer os mesmos erros que elas, e na maioria das vezes querem que sejamos diferentes dela. Mas se somos realmente diferentes dela será que elas aceitam bem a diferença?

Vamos começar do começo, com situações completamente hipotéticas. No entanto, amiga “enpijamada” qualquer semelhança pode não ser mera coincidência.

A maioria das mães não quer que cometamos os mesmos erros que elas. Sem pensar na possibilidade desses erros serem necessários ao nosso amadurecimento. E se cometermos o mesmo erro elas acham que tínhamos a obrigação de não comete-lo. E quando cometemos outro que seja diferente aí então a coisa muda de figura, cada uma de acordo com sua personalidade reage de uma forma – ou será que reagem do mesmo jeito??? Afinal mãe é tudo igual só muda de endereço!

Vamos sair do campo certo/errado onde tudo é muito relativo e o que é certo pra você não é pra mim e vice-versa. Daí elas falam que querem que tenhamos a vida diferente da elas tiveram. E quando temos a vida diferente da delas? Ah! Aí a casa cai, pois a diferença, no geral, é muito difícil de ser aceita. E com as mães a coisa não é diferente e pode, às vezes, ser até pior – tem todo aquele aspecto de posse que algumas mães exercem sobre os filhos e a dificuldade de aceitar que deixaram de ser o bebê que até então embalavam com canções de ninar em seus braços.

Na verdade o que mães precisam entender é que o filho saiu de dentro dela sim, tem muita semelhança, mas é “quase pessoa humana” e sinto comunicar-lhes: É diferente sim, mesmo que tendo um quê de semelhante!

E reage diferente a cada situação seja no papel de mãe, esposa, profissional, mulher. E já diria os filósofos de botequim “cada é cada um”: Em momentos seremos iguais as nossas mães – mesmo que tentando ser diferente ou por convicção mesmo, por considerar a atitude acertada. Em outros faremos diferente por completo pela junção de todos os fatores que formam a nossa personalidade e nossos paradigmas.

A partir de então cada mãe reagirá de uma forma: seja acatando, se surpreendendo, aceitando, respeitando, contrapondo… Assim no gerúndio mesmo, no gerúndio da ação que tem continuidade no tempo. Mesmo porque, apesar das diferenças, das semelhanças elas ainda são nossas mães e mesmo mãe nós ainda seremos filhas.

Madalena

Dona de casa

*O título do texto é o trecho de uma música do Grupo Peixelétrico Semelhantes de Ricardo Trip.





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br