Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Mona em Família: ESPORTE VENCEDOR



Por Eubalena - 6 de maio de 2009. Categorias: Mona em Família.

http://www.flickr.com/photos/bricolage108/233606236/

Hoje entrei no carro, depois de um dia cheio, para ir para a natação. Estava cansado, com sono e quase desistindo de comparecer a mais uma das intermináveis aulas. Já não lembro mais quando foi que comecei. Fazem alguns anos. Diferente da escola, na natação voce não passa de ano, voce não está no primeiro ou no quinto ano. Voce simplemente está na natação. Relembro que mal flutuava na água. Nadar de costas então era ter a certeza de afundar em meio metro nadado. No início eu tinha a motivação. Lembro de dizerem para eu gostar do esporte, que era algo saudável a fazer. Sem entender direito, fui começando a praticar, a nadar. Comecei também a obter e a desenvolver a disciplina, pois sabia que tinha de estar na academia duas vezes por semana durante quase uma hora. Mas o que parecia, no início, ser algo frustante por simplesmente não sair do lugar quando tentava nadar, foi sendo apresentado a mim como uma forma de diversão e brincadeira. Ou vai me dizer que o esporte não é nada mais do que uma brincadeira? Daí para frente foi tudo uma beleza, fui incentivado não a vencer, mas a me aperfeiçoar. Fui elogiado por estar praticando um esporte. Isso fez com que nas horas que quis enrolar, que desanimei, que fiquei com preguiça, que até quis desistir, fiz o que devia ser feito: recomecei e não desisiti. Assim, hoje, estou com 5 anos e já nado os quatros estilos numa boa.

Esse relato que acabam de ler, é o que diria a minha Pititiu se tivesse capacidade de expressar o que sente em palavras, a experiência dela de ter começado a nadar com dois anos. Realmente hoje ela entrou no carro, prendi ela no cinto e no caminho para a academia ela chegou a cochilar. Ela disse que não queria ir na natação, que era para dar uma folga para ela. Ela até perguntou quando iria acabar as aulas de natação. Pergunta um pouco dificil de explicar para ela. No fim ela entrou na piscina e em cinco minutos já estava toda animada e feliz.

Deveria ter dado a folga para ela? Fui muito duro com ela? Na realidade acredito que não. Como pai dela, convivendo diariamente, vou influenciar o futuro dela. Quer eu queira ou não! Não existe opção: se eu tenho a autoridade sobre ela, eu serei o espelho para o bem ou para o mal. Por isso me esforço para fazer a diferença! Certamente a criação de uma filha é um desafio muito grande e objetivo principal que trago é fazer dela alguém mais pleno e feliz. E é por isso que incentivo ela a praticar um esporte. E vocês? Já deram o primeiro passo, fornecendo aos seus filhos algum esporte para eles praticarem? Façam isso e ajudem seus filhos a se tornarem um VENCEDOR.


Veja também:

4 Comentários to Mona em Família: ESPORTE VENCEDOR

  1. Phoebe

    Eu tenho a sorte de contar com uma estrutura oferecida pela própria escolinha da minha filha. Desde os 2 anos ela faz ballet e, nesse ano, passou a fazer também karatê, que ela adora. São 4 dias por semana em que realiza essas atividades “extras” e, além disso, a escola oferece na grade normal aulas de educação física, que são realizadas 3x por semana. Como são crianças de 3 anos, as aulas de educação física são bem lúdicas, com atividades corporais voltadas à idade deles. Acho perfeito que a escola ofereça tudo isso, porque se for depender do exemplo dos pais, a pobre está frita! rs! Eu nunca fiz nenhum esporte extra-escolar e a matéria que eu mais odiava sempre era educação física. Preferia Física e Química, pra vc ter idéia! rs! A minha única atividade como “atleta” era a função de goleira do time de handball da escola, e digamos que eu fui escolhida para o cargo não por ser uma exímia goleira, mas porque, na época, eu era bem gordinha e tapava boa parte da trave! rsrs!

    [Responder]

  2. LuizC

    Então!

    Falando em exemplo, eu estou devendo uma melhor forma para mim mesmo.

    Hoje, triste, contatei que cheguei aos 100kg. Putz!!!

    Como posso cobrar que minha filha se mantenha em forma se não me cuido. Sorte que ela ainda não entende direito essas coisas. Ainda.

    Vou começar um regime urgente! Mas de novo? Hahehhee

    [Responder]

  3. Paula

    Eu fiz natação por 10 anos. Comecei aos 4 (depois de um acidente no qual quase me afoguei), parei aos 10. Voltei aos 12, parei aos 16. Foi excelente, pra minha saúde, mas também para minha formação como pessoa. Me ensinou disciplina, me ensinou a ganhar e a perder, me ensinou a competir, a lidar com pessoas, a compartilhar. A viajar sozinha para as competições, a conhecer o meu limite, a adorar quando ele era superado.

    Algumas atividades de fato cansam. Não sou mãe, mas talvez seja interessante mesmo pra sua Pititiu mudar de ares, de repente é interessante para ela conhecer outros esportes. Foi muito importante pra mim sair da natação por 2 anos, conhecer outras coisas e perceber que meu negócio era natação mesmo… conhecendo outras coisas eu tive como fazer minha própria escolha.

    [Responder]

  4. LuizC

    @Paula

    Ela gosta de nadar! Só não curte muito até entrar na água. Hoje fomos na natação novamente e estava dormindo no sofa. Deve ter pulado até cansar na escola. Mas assim que entrou na água, a preguiça sumiu. Agoraestá aqui sem querer dormir. E já é meia noite.

    Já pensei em trocar um dia de atividade. Ela já comentou sobre balé. Vamos ver daqui um tempo como será.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br