Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Podcast – uma mídia que venceu barreiras



Por Mafalda - 8 de setembro de 2009. Categorias: Cantinho das Monas.

Vendo os comentários do último Monacast, o de número 75, conclui-se que a maior parte do público que nos escuta é formada de homens. Não que não tenhamos mulheres ouvintes. Elas existem, recebo muitos emails delas e fico muito feliz em saber que as garotas nos escutam também!  Mas por enquanto, nesta mídia, a predominância é de homens e muitos deles são nerds e/ou geeks. E é sobre este público masculino que vou falar mais à frente.

Isso me fez refletir sobre a mídia Podcast e compara-la com outras mídias.

Não me lembro de ver  uma revista feita por mulheres que os homens costumam ler. Ou que pelo menos declarem publicamente. hehehe

Nem de programas de humor femininos que deram certo. Não me lembro mesmo!  Talvez tenha algum mais recente, pois já há tempos que estou desatualizada dos programas da TV aberta. Mas mesmo da TV a cabo,  não lembro de um programa de entretenimento/humor/variedades onde tenham só mulheres, e o seu público seja masculino.

Uma vez, tentaram lançar um na Globo e não decolou.  Faz um bom tempo, nem lembro mais o nome do programa.Talvez não fosse engraçado o suficiente, talvez os homens não estejam acostumados a ver mulheres fazendo graça, e até mesmo o preconceito que possa existir da parte deles. Não sei…

Acho que mais recentemente tinha um programa com duas comediantes. Não acompanhava, então não posso dizer sobre ele. Mas o fato é que há poucos programas femininos que não são propriamente “femininos”, ou seja, que saia daquele esquema “mãe, filhos, roupas, mulher moderna, receitas” .

Pois bem, acredito que o Podcast é uma mídia que venceu este barreira, passou por cima de machismos e preconceitos, ou da mesmice dos programas das outras mídias e nos trouxe algo surpreendente: Mulheres falando aos homens, eles a escutando, aprendendo com elas, rindo com elas!

Cito dois exemplos:

Bia Kunze, a Garota Sem Fio:  mulher, dentista, que tem um público cativo e predominantemente masculino, que a escuta para saber novidades na área de tecnologia móvel!

Bárbara Franzin do Café com Velocidade: que fala de F1, um tema predominatemente masculino.  Embora acredite que muitas mulheres gostem, como a própria autora do podcast, é visto como “o universo masculino”.

Se  algum dos ouvintes do sexo masculino no começo sentiu preconceito inicial contra estes casts, porque eram feitos por mulheres, isso logo passou. Eles se tornaram fãs e ouvintes fiéis.

Isso também aconteceu com o Monacast. Quantos emails e comentários recebemos de homens falando que no início achavam que o cast não os interessaria, por ser feito por mulheres, mães e por isso seria um podcast “mulherzinha”? No entanto, eles mesmos falaram como mudaram de idéia e passaram a nos escutar e a se divertir com os episódios.

Eu fico maravilhada em ver que isso acontece com esta mídia. No entanto, algumas agências e mesmo muitas pessoas ainda não conseguem visualizar que um podcast feito por mulheres pode ter um público masculino, e este ser fiel.

Ainda tudo é quadradinho, em que um programa feminino deve falar de perfumes, roupas, filhos, e por aí vai. “Mulheres falem para as mulheres, Homens falem para os homens.” Não que seja contra isso tudo. Mas sinto que muitas vezes falta um pouco de inovação e criatividade nas agências, nas mídias, etc.

De qualquer jeito, ver podcasts feito por mulheres – que não tem como tema sexo – fazendo sucesso com os homens mostra como esta mídia venceu barreiras e saiu dos “quadradinhos” da nossa vida.

Beijos,
Mafalda

Veja também:

15 Comentários to Podcast – uma mídia que venceu barreiras

  1. Livia Ramos

    Oi Mafalda,
    Lindo texto. Concordo com vc e é por isso que o Monacast não pode acabar! :)

    Voces são sim um sucesso!

    beijos
    Livia Ramos

    [Responder]

  2. Samuel Varela - Crato-CE

    Excelente post, Mafalda.
    Realmente, os podcasts estão vecendo essa barreira mas ainda existe esse preconceito. Alguns olham só o título e já se afastam, nem se dão ao trabalho de ouvir para saber do que realmente se trata. Outros nem ouvem mas fazem comentários maldosos, falando mal de algo que nem conhecem direito.
    Vamos derrubar ainda mais esse preconceito, os podcasts estão aí, dando as mulheres os seus devidos valores. E elas estão mostrando que também tem vez não só na ‘podosfera’ mas também em muitos outros setores.
    Abraço.

    [Responder]

  3. @jojonerd

    Eu confesso que quandoouvi o primeiro monacast achava que era de mulherzinha e baixei para que minha namorada, que também adora ouvir podcasts, tivesse algo mais feminino para ouvir.
    No final acabou que eu ouvia mais do ela mesma. Adorei e ainda adoro ouvir o monacast e espero que, com o tempo, vocês voltem a fazer o que eu sei que vocês gostam de fazer.
    Abraços

    [Responder]

  4. Matheus Viana

    E é mesmo, realmente nunca tinha parado pra ver dessa forma. O monacast que parecia um podcast com o público alvo feminino conseguiu romper várias barreiras e o resultado está nesse seu texto. Acho que é pq vcs não falam de coisas supérfluas como a maioria, vcs inovaram, falavam de coisas interessantes e o humor de vcs não é aquele humor restrito mts vezes considerados “humor de mulherzinha”sem conteúdo.
    Estão de parabéns
    Beijos

    [Responder]

  5. Anderson José - o porquinhoo!!!

    Verdade Mafalda
    em, me chamo Anderson e sou ouvinte desde a edição com as meninas do Jovem Nerd.
    No começo eu fiquei meio com um pé atrás, mas depois vocês me cativaram e ganharam sim um ouvinte que toda a sexta baixe o cast e pelo menos dois dias da semana acessa o site de vocês.
    Espero que vocês continuem pois cada dia mais desde a época que eu era casado eu tento conhecer um pouco mais da mente feminina, e o programa de vocês me faz ter esse contato com a mulher brasileira.
    Não acabem o cast por favor.
    Um beijo a todos.

    [Responder]

  6. Thiago Leite

    Parabéns, Mafalda e cia., pelo trabalho. Ouvi falar em vocês no Rapaduracast e encontrei mais um podcast interessante. E, diferente da maioria, feito por mulheres.

    Só gostaria de acrescentar uma variável a sua análise do caso. No geral, os homens manjam mais das tecnologias da internet. Talvez esse seja um fator que influencie o número de ouvintes por gênero. Quiçá essa nova geração de meninas, já acostumadas desde cedo a mexer e se interessar por gadgets, venham a engrossar o público dos podcasts, tanto os feitos por mulheres quanto os feitos por homens quanto os mistos.

    Saudações…

    [Responder]

  7. Mafalda

    Obrigada a todos pelos comentários!

    Thiago, é provavel isso que você falou. Há uma grande presença feminina na internet, que também baixam músicas para o seu mp3, mas não tem o costume ainda de baixar e ouvir podcasts.

    Bjs

    [Responder]

  8. Cristina de Almeida

    Eu ouço e baixo bastante podcast sobre tecnologia, séries etc
    Só não tenho costume de comentar, desculpe.
    Também acho que este tipo de mídia tem um público muito masculino.

    Sucesso para vcs!

    [Responder]

  9. luiz

    Queridas Monas,

    Não parem com o podcast.
    Vocês conquistaram um espaço maravilhoso entre os ouvintes de podcast, uma posição invejavel, o respeito de toda uma onda que vem aos poucos ganhando espaço como midia.
    Continuem.
    Sei das dificuldades em se editar um podcast, de preparar uma pauta, de juntar as pessoas pra se gravar (eu tentei fazer um e desisti) portanto fazer 75 podcast é uma vitória.
    É verdade que homens são seus maiores ouvintes, mas existe uma coisa. Quando eu conheci o Monalisa eu apresentei pra minha Esposa e pra uma amiga aqui no meu trabalho e elas adoram vcs. Sei que somos ouvintes bem “sem vergonhas” pois não comenta-mos e nem manda-mos e-mails, mas estamos aqui.
    Imagina quantos outros fazem a mesma coisa.

    Vamos, tenham força continuem.

    Lembrem do que o Rocky Balboa fala pro filho dele:

    “A Vida não é facil e ela vai bater duro e vai te deixar de joelhos se vc deixar. Mas a questão não é o quanto a vida bate duro e sim O QUANTO VC AGUENTA APANHAR e seguir em frente o quanto vc é capaz de aguentar.”

    Sei que pode demorar um reconhecimento de Agencias e empresas.

    Mas falo do meu coração, vcs sao especiais e nao devem desistir.

    Eu me candidato a ajudar esse podcast e esse site a continuar, vcs tem o meu e-mail entrem em contato.

    Boa sorte e sucesso deste pequeno admirador.

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Luiz,

    Muito obrigada pelo comentário, pelos elogios e pela prontidão em nos ajudar!

    Grande abraço para você, para sua esposa e amiga.
    Mafalda

    [Responder]

  10. Prêmio Podcast 2009 e PodPesquisa | Monalisa de Pijamas

    [...] a segunda edição da pesquisa nacional sobre a audiência de podcasts.E como comentei no meu post “Podcast – uma mídia que venceu barreiras” a pesquisa só confirma aquilo que sabemos: a maioria esmagadora de ouvintes de podcast são [...]

  11. Bárbara

    Oi Mafalda,

    Obrigada pela citação no post, me sinto honrada!!
    É bem legal quando vc fala para o público masculino e ele aceita e debate com vc de igual pra igual. Sem rolar aquela história de: mas e aí, a gente sabe dirigir e vc não, que sempre acontece qdo o tema é carro e mulher.

    O mais legal é q estamos formando uma comunidade feminina tb, mostrando que mulher gosta de corrida sim!

    Parabéns pelo trabalho e continuem assim. Não encerrem o pod! =)

    Bjs

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Oi Bárbara!! Eu que fico honrada com sua visita! :)
    Parabéns pelo seu trabalho e legal saber que já tem uma comunidade feminina sobre F1!
    Com certeza há mulheres que gostam deste esporte e de carros.Só faltava reuni-las. hehe
    Isso me fez lembrar que minha filha menorzinha não larga um carrinho vermelho de brinquedo (daquele filme da Pixar) nem para dormir.

    Valeu!
    Bjs

    [Responder]

  12. Rebeca

    Siiimm Mafalda!!! É verdade.
    Vai parecer redundante, mas comecei a ouvir pelo meu namorado.
    Quantas vezes eu cheguei na casa dele e estava com o cast começado e mesmo pegando o bonde andando me divertia. Foi aí que virei fã, coloquei todos pra baixar no itunes, lotei o ipod para que vocês pudessem me acompanharam nos congestionamentos, em dias chatos no trabalho…E realmente vocês me alegraram ou me fizeram rir em momentos tensos.
    Quanto a quebra de preconceitos, de homem ouvindo mulheres, participando e conversando igualmente é justamente por não abordarem assuntos estúpidos do tipo “como enlouquecer seu parceiro” rs….que estampam os programas de TV e as capas de revista.
    Sei que o fim do monocast está decidido mas torço para que seja breve e que voltem logo. Da mesma forma como compreendo que é muito dificil investir em tantas coisas ao mesmo tempo, ser mãe, esposa, profissional e se dedicar a projetos pessoais.
    Enfim… saibam que vocês fizeram e fazem um trabalho maravilhoso de mulheres inteligentes, modernas. Um trabalho admirável.
    Um beijo a todas.
    Vocês são ótimas!

    [Responder]

  13. Tânia

    o pod vai acabar?? fiquei triste agora.
    mas acho que tem muitas mulheres que ouvem o podcast, mas não fazem nenhum comentario, como eu, por exemplo.kkkkkkkkkk
    Adoro vcs, suas risadas, historias
    bjj

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br