Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Podcasts da Semana, e Podcasts sobre Mães e Maternidade


Autor: Mafalda ~ 11 de maio de 2012. Categorias: podcasts.

Esta semana não temos Monacast e nem a Rádio Monalisa. Porém, vocês podem nos escutar em 2 Podcasts diferentes que participamos:

- a Eubalena está no “Papo de Gordo 88 – Menino não entra!” falando sobre Sexo;

- e eu estou no podcast “Na Calçada 68 – Ser Mãe É … “ onde temos  3 mães, cada uma com história e experiência diferentes para compartilhar com os ouvintes.

Aproveitando o dia das Mães, escute também nossos episódios anteriores com o tema! Só clicar nas imagens abaixo para ir para o post do Podcast:

 

 

Feliz dia das Mães para todas as nossas leitoras e ouvintes!
Em Especial para nossas colaboradoras: a Gê e a Mila Soares, que ganharam seus lindos meninos neste ano de 2012!  :)
Mafalda


Legendas dO que estou pensando? #88 – Dia das Mães


Autor: Mafalda ~ 10 de maio de 2012. Categorias: Que estou pensando?.


E você reclamando da vida, né ?
@Kosmidis

Eu sabia que ainda ia me arrepender desta inseminação artificial !!!
@beneportela

Eu deveria ter entrado naquele DeLorean com o Marty Mcfly…
@arenghi

Mãe: de quem são todas essas crianças? De onde elas vieram?
POR QUE estão aqui?
@DiasCamila

Se não pode com eles, junte-se a eles.
@GustavoCarnelos

A vida é perfeita… basta não reparar em alguns detalhes.
@edson_oliveira

Não, não, lhe garanto que aqui não é a casa da mãe Joana!!!
@beneportela

OK! Sou uma mãe americana suburbana!
@Thata_poa

Ai meu Deus, mais um dia normal!
@beneportela

Hoje eu sei o que a Fátima Bernardes deve ter passado com os gêmeos dela!
@beneportela

Tá faltando uma criança! Não encontrei ainda! O único lugar
onde ainda não procurei é o forno de microondas…
@c_yogui

Já entendi a parte do ‘padecer’. Agora cadê o paraíso?
@davigraeff

Benhêêêêê!!! Você vai chegar atrasado na audiência
da empregada! Veste qualquer coisa!
@bookeatingboy

Se eles acham que um buquê de rosas vai safar eles do castigo…
@jehh_capelini

Céus, como fui boba em acreditar que filhos
me fariam mais completa e feliz.
@so_sunlucky

Minha vida já é um inferno, se perguntar se estou grávida eu grito!
André

Calma, o Dia das Mães tá chegando e eu vou ser recompensada…
com um jogo de panelas de presente…
@GustavoCarnelos

Naturalmente, Mãe.
Iracy


O Pai dos celulares


Autor: Mafalda ~ 31 de agosto de 2011. Categorias: Sofá da Mona.

Não, este não é um texto sobre Martin Cooper, ao qual é atribuída a invenção do celular. Mês de agosto nos momentos finais e todo mundo sabe que:
a) Agosto é o mês do cachorro louco (já ouviram essa?);
b) em Agosto se comemora o Dia dos Pais e
c) as operadoras de celular nos bombardeiam com propagandas abarrotadas de clichês para venderem mais.
E será assim até o fim dos tempos. Whatever, quem liga? Mas esse ano, durante o habitual dilúvio de propagandas sobre planos e vantagens de uma ou outra operadora, percebi que algo me incomodava.

Sou apenas uma espectadora de comerciais. Não sou publicitária, nem especialista no assunto, mas acredito que o objetivo de uma propaganda de celular seja atingir o maior número possível de consumidores. E hoje em dia todo mundo tem celular, quase como um novo órgão no corpo humano. Então, suponho que um pouco do que vemos em algumas propagandas sejam também um reflexo da sociedade, embora não necessariamente.

Nas propagandas de celular este ano, certa operadora me chamou a atenção de modo negativo. O pai sempre aparece sozinho. Não fica claro se existe uma esposa ou mãe de seus filhos. O pai é sempre representado como uma cara distante (e meio abobalhado) que se surpreende com alguma manifestação de afeto dos filhos. Estes, por sua vez, parecem artificiais (propositadamente?) em seus gestos de carinho. Fica subentendido que a “paixão súbita” pelo pai é apenas empolgação pelo grande negócio que fizeram ao comprar um celular para o pai e se beneficiarem (eles, os filhos) com algum super plano de vantagens. Uma troca comercial.

Há um exército de filhos por aí para quem o pai é um cara distante, com quem devem se “relacionar” e que paga (quando paga) suas despesas. Talvez daí a causa de meu desconforto. Acho triste uma relação pai e filho resumir-se a isso. Impossível não comparar com as propagandas veiculadas para o Dia das Mães. Nestas, a mãe é lembrada e representada por sua dedicação e presença na vida do filho, aquela que segura a barra no cotidiano, aquela que é próxima. O celular ou o produto vendido seria um presente de reconhecimento a essa figura fundamental. Na dos pais, o presente (já que tem que se dar alguma coisa) é oportunidade de ganho também para os filhos e é o que seduz estes infelizes jovens consumidores. “Já que tenho que dar alguma coisa pra esse cara que mal conheço e que mal me conhece, pelo menos ganho alguma coisa”.

Dizem que a mãe “é” e que o pai “se torna”. Para se tornar pai, só pagar despesas não basta (afinal, isso é uma obrigação assegurada por lei). Ser pai é aproximar-se do filho, interessar-se, ouvi-lo abertamente, ajudá-lo a ver o mundo, deixar um legado moral, ético e sentir as dores de seu filho. É respeitar a mãe desse filho mesmo que ela não seja mais sua esposa. É quando o filho se torna adulto e se lembra de suas frases (de motivação, de apoio, de consolo) no embate da vida. A paternidade tem muito mais a ver com atitude do que com bens e propriedades.

O que me incomodou de fato é perceber que esses pais existem em tal número que já são uma espécie de personagem no mundo da publicidade. Na vida real, lamento por cada filho obrigado a lidar com esse roteiro.


Clique no retângulo acima para acessar o blog da Ju Teófilo


Presente do dia das mães


Autor: Eubalena ~ 20 de abril de 2009. Categorias: Cantinho das Monas.

Sou casada com o tipo de cara desligado para datas, daqueles que dá flor no Dia das Almas só porque viu muitas  pela rua e achou que poderia ser alguma data imperdível. Então, toda data que possa ser usada para que eu ganhe um regalo, é previamente marcada (por mim) na agenda dele. E é claro que ele dá um jeito de não perceber.

Próximo dia 10 (10/05) é dia das mães. E, como todo ano, minha expectativa aumenta… Não pela  data, mas pelo presente (por favor, não me venha falar que basta amor, felicidade e alegria porque isso é coisa para se sentir no Natal. Dia das Mães é presente e pronto!), ou melhor, o que vai ser o presente.

Sou mãe desde 2005 e lembro-me de 2 presentes que ganhei. Um vestido lindo que ele escolheu sozinho (!) e ano passado, ganhei uma impressora. Sim! Uma impressora.
A criatura estava quase em crise porque não sabia o que dar que eu fui obrigada a falar: então me dá uma impressora que preste.

Claro que ele deixou para começar a procurar no Dia das Mães.

Este ano eu não tenho a mínima idéia do que eu quero (tenho sim! Eu quero aquele Jeep Amarelo. Mas se eu falar ele vai rir da minha cara até as nossas bodas de diamante.). O que me assusta muito, já que as Casas Bahia da vida já entraram em promoção e estão sugerindo presentes maravilhosos para a data: Panelas, faqueiros, centrifugas e afins!

Eu gostaria muito de saber quem inventou que mãe quer ganhar presente para casa. Muitas vezes a gente aproveita uma data para pedir alguma coisa que a gente quer para casa. Mas isso não é regra!

Com tanta coisinha legal para dar, eu não entendo como tem gente que prefere comprar uma panela de pressão e oferecer de presente para aquela que o carregou 9 meses na barriga, que teve todos os seus hormônios modificados, ficou com pés inchados, constipação, dores nas costas, mudou o humor, que ficou horas em trabalho de parto com um  médico “medindo” o tempo todo, ou que passou por uma cirurgia, teve 7 camadas de seu corpo cortadas, foi costurada e, mesmo com todos os pontos, acordava de 3 em 3 horas, durante meses, para dar à pessoa o que comer e que recebeu mordidas no bico do seio enquanto fazia isso.  Uma pessoa que trocou fraldas e ainda se preocupava em analisar o cocô.  E é a pessoa que a gente sempre chama quando acontece alguma coisa. Sim, porque quantos que vocês conhecem, acordam no meio da noite e gritam: PAIIIII!

Mas mãe é bicho sofredor. Já está habituada a viver assim. Durante anos e anos nosso papel na família era criar filhos, limpar casas e  ser a esposa perfeitinha.

Também já fomos delicadamente chamadas de violentas e porcas na singela musiquinha cantada até hoje nas festinhas de escola:
“Mamãe, mamãe, mamãe. Eu me lembro o chinelo na mão (mulher malvada!)
O avental todo sujo de ovo (mãe porca!)…”

E fomos forçadas a serviços pesados com os “apetrechos” domésticos.

Mas, eis que um belo dia, a mulher saiu de casa e foi trabalhar e ganhou dinheiro. E o homem viu que era bom…

E vieram os pais “do lar”, os pais separados e os pais solteiros e o homem viu que descongelar a geladeira não era bom, que passar esfregão com palha de aço no assoalho não fazia muito bem para as costas. Que lavar roupa no tanque não é a melhor coisa do mundo e que, um dia de 24 horas é pouco para fazer todo o serviço doméstico, cuidar dos filhos e ainda ter disposição sexual.

E suas mentes brilhantes com neurônios avançados inventaram a geladeira frost-free, a fralda descartável, aspirador de pó e água, controle remoto, máquina de lavar roupa e louça (essa não me importaria de ganhar no dia das mães) e outros brinquedinhos legais para facilitar o dia-a-dia.
Ajudou muito, mas fez com que os filhos achassem que as mães iriam preferir ganhar um liquidificador de última geração a uma jóia, uma roupa, um sapato…E tudo ficou no mesmo.

Mãe é mulher e mulher gosta de ganhar presente para ELA. Uma televisão 42″ é linda, mas é para uso coletivo. Ela não vai poder levar com ela e aproveitar sozinha. Sim, sozinha, porque mãe raramente tem um tempo para fazer sozinha o que quer. Às vezes, nem ao banheiro se consegue ir sozinha!

Nos Dias das Mães aproveite para paparicar sua mãe. Descubra alguma coisa legal que ela realmente queira.  Dê um presente só para ela e olha que nem precisa ser caro. Aquela camiseta básica da Hering, de vinte reais pode fazer muito mais sucesso que um faqueiro completo de mais de mil. E prepare o almoço do Dia das Mães. Ninguém merece ter de cozinhar pra todo mundo e limpar a cozinha para comemorar seu dia!

E nunca  se esqueça disso: Flores são só complemento!

Beijos maternais,

Euba.

PS: Monalisa recomenda para o dia das mães:

Ou procure um presente no Buscapé:





Busca

© 2007-2019 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br