Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Cravinhos, hummmm!


Autor: Eubalena ~ 23 de setembro de 2008. Categorias: Cantinho das Monas.

Pois é, quem nunca se viu lá, praticamente na cacunda do cidadão, espremendo os cravinhos das costas do pobre?
Também já fiz isso. Marido tem pavor. É bom, eu sei. Mas isso tá na lista das coisas que só devemos fazer dentro de casa ou em ambiente fechado e vazio.  A minha lista é:
- Não espalitar dente. (esse não importa o ambiente. Tem coisa mais feia que gente que sai de restaurante com palito dançando na boca?).

- Não passar fio-dental numa roda de amigos. (Puta merda, uma colega fazia isso. No meio do nada, ela sacava o fio-dental da bolsa e dava início à assepsia).

- Não tirar calcinha do rego (desculpem-me pelo rego, mas no momento, faltam-me sinônimos), principalmente na frente dos meninos.

- Coçar o saco. (alias, por que saco coça tanto? Será sujeira?).

Bom, tem mais, mas voltemos ao tema.

Semana passada, passo eu pela pracinha da minha pitoresca cidade. Lá estava o menino – tadinho – sentado, todo torto, com a namorada (eu acho) arrancando a pele do pobre à unha.
Primeiro pensei: “Bem feito!”
Depois fiquei vendo como é feia a situação… Acho que só se compara a tirar pelo da virilha com pinça na praia. Pensando bem, passar clareador de pelo e ficar lá pra dourar também é de doer. E aquela mistura mortal de sal amoníaco e água oxigenada? Coça até na alma. Ui!

Mas se são tão feios e tão gostosinhos de tirar, os cravinhos não deveriam  nascer só  em lugares escondidos?
É o mesmo caso da celulite. Por que elas sempre aparecem na bunda? Logo a bunda que é tão visada. Poderiam aparecer na pomba. Não existe biquíni fio-dental de pomba, existe? Não… Então, se a celulite nascesse lá, eu não teria esta bunda com cara de superfície lunar e poderia usar um biquíni menorzinho (como se a celulite fosse o único motivo contra!).

Daí, para acabar com tudo, Rodrigo Santoro declara que repara sim, em celulite. Prefiro acreditar no Falcão Azul que diz que homem não sabe nem do que se trata e dar ao Rodrigo o título de fresco do ano. Fala sério, um cara que larga a Hellen Jabour e ainda diz que nota celulite não deveria ter credibilidade no mercado.

Celulite é coisa que nunca vai acabar. É como seca no nordeste – todo mundo promete que vai acabar com ela mas ninguém quer largar o ganha-pão. E dá-lhe creminho! A mulherada se acaba esfregando o pobre creminho e nada. Quer dizer, uma ou duas celulites somem. Elas morrem de rir da nossa cara e morrem sem ar, no meio de uma gargalhada histérica e debochada.

Agora vou tomar uma Coca-Cola. Minhas celulites precisam ser renovadas!

Euba





Busca

© 2007-2021 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br