Porque fazer humor e podcast é uma arte
































BBB 12 – você assiste ou não assume?



Por Mafalda - 12 de janeiro de 2012. Categorias: Sofá da Mona.

Lógico que o título é uma troladinha light nos queridos leitores! Porque ninguém assiste BBB, não é mesmo?

Com o estabelecimento do Facebook como principal rede social na internet, tenho percebido que todos os anos é a mesma coisa: chega essa época em que o universo facebookiano se divide em 3 tipos de usuários. Temos os telespectadores que assistem (e até comentam sobre) o Big Brother Brasil; no oposto temos o que se manifestam alérgicos e contrários ao programa e, por fim, o tipo mais freqüente: aquele usário que assiste ou não e não declara isso na rede.

Não sei o porque, mas o fato é que, em geral, pega mal dizer que você assiste o BBB. Será impressão minha? E ainda vão dizer que você deveria estar lendo um livro (sim, essas pessoas enviam isso porque estão na internet e não lendo um livro… rsrsrs)

O Faustão no domingo (Globo) é um dos programas mais irritantemente chatos para meu gosto individual. Mas basta visitar uma ou outra casa de parentes ou amigos e uma TV aparece ligada na atração. Devo deduzir que essas pessoas queridas são o retrato do que assistem? Eu já assisti pelo menos algumas vezes e, embora não tenha me convencido a selecioná-lo como programa preferido para um domingo ou qualquer outro dia da semana, não me afetou  tanto saber que meus amigos e pessoas ao redor costumam assisti-lo. Porque não vejo isso como algo significativo ou relevante. Ta, um programa que não me agrada, mas tudo bem, tem gente que gosta. Sem traumas para ninguém.

O fator “queimador de filme” do BBB ainda é um mistério para mim. Explico: consigo compreender e concordar com todos os argumentos dos que se colocam ferozmente contra a atração como se fosse uma espécie de anti-cristo televisivo, mas após ouvir tudo, inevitavelmente penso: mas e daí? Porque essa pessoa não muda o canal e fica na sua como todos nós fazemos com a maior parte da porcaria veiculada pela TV?

O que me deixa curiosa sobre as reações negativas sobre o BBB é que ele parece despertar uma espécie de “patrulha” em nosso meio. Já perceberam? Você pode comentar sobre a novela do Pereirão em qualquer lugar a qualquer hora. A pessoa do seu lado pode até virar os olhos, pois não gosta de novela, mas você nunca despertará o advogado de acusação adormecido dela… Não é interessante? Por que as pessoas dão tanta importância a este programa em específico? Não é só um programa de TV, um pseudo-reality? (sim, inventei este termo, pois há de tudo no BBB, exceto realidade).

Recentemente assisti Mulheres Ricas da BAND. Desculpem, mas quase vomitei. Talvez ninguém tenha visto devido às férias, mas é horrível e cruel. Um constrangimento. E nada de manifestações acaloradas na rede. Um ou outro dizendo algo e pronto.
E aí, leitor querido? Você tem alguma explicação? Então, manda pra gente, please!


“Dica: Experimente os discursos do Bial com a tecla MUTE acionada!”




Veja também:

30 Comentários to BBB 12 – você assiste ou não assume?

  1. Jedilady

    Jú, adorei seu artigo. Eu realmente não vejo nada disso, nem BBB, nem Faustão,nenhuma novela e esse Mulheres Ricas eu nem sabia que existia. Vejo muita TV, mas na TV aberta eu vejo Fantástico (que tem coisas toscas às vezes) e Globo Repórter..o resto eu nem sei que existe.

    Então pelo menos no meu caso não é hipocrisia, eu realmente não gosto dessas coisas e tenho pouca paciência pra quem fica viciado nisso e não tem outro assunto. É pra isso que o block serve :) )

    [Responder]

  2. Mafalda

    Ju, concordo que de Realidade o BBB não tem nada! Gente como a gente, representando o povo brasileiro, nada a ver isso. A mesma coisa as tais Mulheres Ricas.
    Aliás, comecei a assistir este último porque estava com vontade de ver algo trash! Estou me divertindo com as LOKAS!
    Vaidade, é tudo vaidade.

    Bjs

    [Responder]

  3. Raphael Calmeto

    Tenho a impressão que as analisarmos estes programas como produtos de entretenimento, o BBB está exatamente no mesmo nível de Futebol. Alguns gostam, outros não. Alguns comentam, outros não. Alguns demonizam, outros não.

    [Responder]

  4. Grandes Filmes

    Acho que o BBB é tão “queimador de filme” quanto a novela, ou o futebol (que eu adoro), ou qualquer programa que passe no domingo, ou 80% do que é exibido na TV aberta, incluindo filmes.

    A diferença básica é que tem gente que fala sobre isso o dia inteiro nas redes sociais. E quando digo “o dia inteiro”, não é figura de linguagem, é o dia todo mesmo. E, nas redes sociais, quanto mais falarem sobre um assunto, mais vão existir pessoas reclamando sobre aquilo também.

    [Responder]

  5. Keera Moon

    Televisão virou terra sem lei, o bandido com o maior nº de integrantes, ou IBOPe, manda no pedaço. Se o Faustão e o Gugu brigam pela audiência, nesse mesmo horário as outras emissoras estão passado programas evangélicos, antes pra você ver o pastor era só indo na Igreja, agora ela vem a nossa casa. Eu não tenho canal por assinatura, nem TV digital ainda. Quando quero ver um programa que gosto, vejo na internet. Acho que o BBB, e outros programas “queima” chamam tanta a atenção, por falta de novidade. Se bem que ver pessoas, tomando banho, escovando os dentes, comendo, bebendo e fazendo barraco eu vejo isso todo ano nas reuniões de família na casa da minha sogra. Acho que nem são esses programas que tão queimando o filme, mas a própria
    TV em si, que já tá ficando obsoleta.

    [Responder]

  6. Davi Graeff

    Eu não assisto TV, ponto. É, eu sou louco!

    Na casa dos meus pais que tem TV à cabo até vejo algo com eles, mas na minha casa que tem uma TV fudida que pega só três canais sendo que dois chiando, eu não vejo nada.

    E coloquei BBB nos filtros do meu Tweetdeck, assim fico livre realmente sobre o assunto.
    Mas não fico pela internet afora bradando o meu ódio e xingando quem vê.

    Não gosto, não curto, não assisto, não comento.
    Simples.

    [Responder]

  7. Crislaine Morais

    Do meu ponto de vista os criticadores do reality tem essa visão devido a influência de um ou outro que queiram passar a pinta de “Intelectuais” e tipo: Ui, não vejo esse tipo de programa, rsrs. Aquele velho ditado de “Maria vai com as outras” já ouviu falar? Acho que sim rsrs
    Assumir em rede social que assiste BBB é pedir pra ser chamado de sem cultura e sem cérebro por pessoas que se acham cultas ao ponto de não se submeter a tal. Acho uma bobagem isso, mas fazer o que né, o brasileiro se deixa influenciar, mas a mim não, assisto e não tenho vergonha de dizer.
    Belo texto Tia Jú, e eu já deixo claro que acho o Jonas um DEUS GREGO, mas torço pro Cauboy monguinho haha
    Beijos!

    [Responder]

  8. Ronald

    Atualmente pouco vejo TV, por falta de tempo mesmo. Muito trabalho, e quando penso em relaxar vou assistir algum filme ou seriado. Isso é uma tendência, video on demand é uma nova expressão que nos próximos anos vai pegar. Mas o que isso tem a ver com o BBB?
    Bem, aprendi na vida que tudo que envolve TV deveria ser bem simples, on demand. Você assiste se quiser, se não quiser muda de canal. Hoje, vivemos a era da opinião superficial. Lemos uma chamada de notícia e já vamos comentar no nosso blog, facebook, twitter. Muitas vezes, as pessoas nem sabem do que estão falando e já estão cheias de opinião. Algo assim aconteceu quando apareceram uns livros do governo federal onde se grafavam umas palavras de forma incorreta. Só ouvi as pessoas dizendo que aquilo era um absurdo, que nossas crianças estavam aprendendo errado. Isso sem ninguém ver as tais palavras, isso sem ninguém ver a página do livro, isso sem ninguém ver o livro e isso sem ninguém contextualizar aquilo. Antigamente havia o certo e o errado na língua, hoje há o adequado ou não. É preferível fazer a criança ver onde o seu vocabulário se encaixa (o Brasil é grande e cheio de regionalismos) ao invés de dizer que aquilo é errado e ele é burro. Enfim, outra discussão.
    O BBB foi eleito como o programa do povão. Quem é intelectual não pode nem chegar perto desse programa porque senão se infecta. Claro, o Pereirão é muito mais cultura. Ôh! Lôco, tem coisa mais literatura do que o Arquivo Confidencial? Num mundo de coisas ruins na TV as pessoas escolhem uma pra massacrar. Sinceramente, para mim, o BBB não fede e nem cheira. Enquanto as pessoas esbravejam contra o programa, a Rede Globo fatura milhões. Quanto mais as pessoas geram conteúdo sobre o BBB, mais ele ganha. Fico com a seguinte lição, se algo não me interessa, e não coloca em risco a minha vida, a vida das pessoas que gosto, ignore! Simples assim.

    [Responder]

  9. Ronald

    Ah! Eu gostava muito de assistir o Ratinho nos seus tempos de glória :-)

    [Responder]

  10. Raphael Melo

    Eu praticamente não assisto tv, quando vejo é algum programa na mtv ou então algum programa de entrevistas que curto pra caramba, notícias procuro na internet porque esses telejornais as vezes parece que querem te fazer lavagem cerebral são muito manipuladores, já assisti BBB quando começou, a primeira, segunda edição, mas a partir da terceira, quarta pra mim perdeu a graça, mas nada contra quem assiste porque até as vezes dando zapeadas no controle da tv eu assisto BBB aos pedaços, porque tem programas ai muito piores que o pessoal assiste e ninguém fala nada, como MUITO BEM citado o Faustão (um bem citado seria Super Pop da Luciana Gimenez rs), não existe nada mais torturante e que deixe seu domingo mais depressivo (além do fato de você se lembrar que no dia seguinte é a terrível segunda-feira rs, mas enfim, acho que é preciso respeitar a opinião de todos, porque gosto não se discute e AINDA BEM que somos diferentes com gostos diferentes ;)

    [Responder]

  11. Lucas a

    BBB é pão e circo. ponto.

    [Responder]

  12. Falcão Azul

    Ju,
    Eu não vejo BBB, na verdade praticamente não vejo TV. Mas acho que sei qual é o problema relacionado a perseguição contra quem assiste a este “reality”.

    A questão é o vício. Quem assiste BBB em geral fica absorvido de tal modo com o programa que só fala, pensa e respira Big Brother durante os 2 ou 3 meses de programa. Fica uma torcida roxa por uns, ódio por outros, inconformismos, alívios e um mundo de emoções que extrapolam o senso comum.

    E quem está de fora passa a odiar o programa, talvez como forma de defesa contra seu desejo de ser assimilado também. Muitos delez dizem que assistem “só para criticar” ou “só para ficar xingando”. Medo de assumir que gosta do programa. Medo de ficar viciado.

    [Responder]

  13. Tais

    Achei interessante o artigo, mas acho que você esqueceu uma coisa.
    O BBB gera mais aversão porque tem mais destaque na mídia.
    Pessoalmente eu não assisto, mas acho irritante ir lá no portal de noticias e sempre ter uma chamada gigante falando o que fulano fez na casa.
    É em qualquer lugar, em qualquer jornal ou portal, sempre tem um comentário BBB. E isso é um saco, porque assistindo ou não você fica sabendo, é praticamente empurrado pela garganta. E isso que é tão irritante!

    [Responder]

  14. Claudinei

    Eu já assisti ao Big Brother Brasil! O primeiro, um pedaço do segundo.., e só. Como muita gente já deve ter dito, não há nada de muito novo. A fórmula não muda. Uns percebem isso antes, outros percebem depois, mas nada demais.
    Eu sou refém da programação televisiva em minha casa: moro numa região “encravada” num vale e o sinal das redes de TV aberta não chegam ou só com muito chiado. Pegar razoavelmente só a Globo, com suas duas imagens fantasmas (devo cumprimentar o William Bonner três vezes quando ele diz “Boa noite”?) Assim, tenho apenas duas opções quanto à tv: ligar ou desligar.
    O que eu achei bacana no BBB quando apareceu foi essa coisa de poder ver pela telinha os diferentes relacionamentos humanos sem estar envolvido neles (é como ser padrinho e não ter que limpar a bunda no nenê quando ele faz cocô). Só que assistir a esse programa é como ter assunto da vida dos outros para comentar: matéria-prima para fofoca. E fofoca é um tanto quanto reprovável em ambiente de trabalho. Mas os mesmos problemas de relacionamento que se vê no BBB eu vejo num escritório! Qual é a vantagem de se assistir a um programa desses? Prefiro ir a um show a assistir ao DVD desse mesmo show gravado…
    O programa do Faustão às vezes é sintonizado aos domingos, muito raramente… e assistimos como se fosse um programa de rádio: fica lá o cara falando enquanto estou resolvendo palavras cruzadas ou lendo um livro. Só olho para a TV quando o assunto realmente me causar curiosidade. E nem sempre é bom. Idem para o Fantástico.
    A diferença do BBB é que a gente pode assistir a esse negócio o dia todo, se quiser, assinando um pay-per-view (que eu sempre achei que fosse “paper-view” quando não sabia o que era). E é a “internet pra quem tem tv por assinatura” porque você pode “perder a vida” na frente dela.
    Por mim, cada um pode assistir ao programa que quiser, desde que eu não precise ler ou ouvir o comentário disso ou daquilo o dia todo.
    Isso tudo explica o porque de ser reprovável? Justifica, apenas, o porque de eu não assistir. Se você fosse uma dona de casa de um cafundó onde os relacionamentos são poucos, poderia até achar interessante. Creio que, no fundo, o ser humano é interessado nos relacionamentos e em vê-los “pegando fogo”, principalmente quando não geram nenhum inconveniente para você. Deve ser um fenômeno relacionado àquele da multidão que grita “Pula! Pula!” pro sujeito que ameaça se jogar da janela do 16o. andar de um edifício.
    É… Tenho problemas para escrever pouco!

    [Responder]

  15. Melissa

    Buenas, sou destas que instalam aplicativos de bloqueio do BBB (sim, isto existe! rs) no Facebook e no Twitter e etc. E te digo porque nos incomoda tanto hehehe mais do que Faustão e companhia.

    Primeiro, acho babaca esse lance de “não é cultura, vá ler um livro”… não acho que precisa ser um livro e não acho que uma coisa exclui a outra. Assista o que quiser, leia livros, faça os dois ao mesmo tempo, dane-se. Na minha opinião, não assisto BBB porque é exatamente o que eu considero baixaria (tenho interesse no comportamento humano você sabe e, sim, já assisti mais de uma vez, inclusive para ver como seria o desempenho de LGTTBs). Mas até aí, né, acho muitos dos programas na TV baixaria – inclusive novela, só que com o agravante de que no BBB não são atores, as pessoas são elas mesmas ou ao menos o personagem que escolhem para si mesmas. O que tende a refletir uma idiotice sem fim que, na boa, não me entretém nem um pouco ficar assistindo (acho deprimente, me dá mais antissociabilidade ainda). É como me pedir para sentar no meio de um barraco na rua e achar graça, passar horas ali, falar sobre isto, pagar para ver isto. Muita gente pára voluntariamente, aliás, acho que a maioria. Eis o sucesso do BBB no nosso país e em muitos outros. Eu, por outro lado, não tenho o menor interesse.

    Ok, perdi o foco. Por que o BBB incomoda mais? Por que a dicotomia facebookiana? Extremos em guerra e tal? Incomoda porque, ao contrário de Faustão ou novela que passam semanal ou diariamente, BBB só passa uma vez ao ano. Por um longo período (argh). No que isto resulta? Num surto coletivo.

    Sim. Todo mundo assiste Faustão ou novela e não fica falando obsessivamente porque, né, o Fausto sempre estará lá e está desde que você sequer tinha nascido e já perdeu um pouco a novidade. Você comenta uma ou outra vez que algo a mais acontece. Novela tem toda hora: muda o nome, muda o assunto, mudam os vilões e os mocinhos, mas tá sempre aí. Já o BBB ressurge uma vez ao ano!

    Ele é, portanto, mais odiado não só por – na minha opinião – ser muito menos entretenimento do que um programa (convenhamos) com entrevistas de famosos, joguinhos, dança, piada, etc. ou uma história ficcional linear, mas porque ele é uma onda desproporcional de fanatismo. TODO mundo só fala em Big Brother semanas a fio. Comentam obsessivamente o comportamento e a atitude de pessoas que sequer conhecem, passam a odiá-las (como tudo para o grande público, só que POTENCIALIZADO), ficam repercutindo cada ação de pessoas desconhecidas que se submetem a viver de forma degradante (sorry, eu acho que tomar banho com uma câmera te transmitindo pra todo o país é, sim, degradante… no matter se foi voluntário, acho a edição baixaria e dispensável), confinados numa casa.

    Veja bem… Fofoca por si só já me incomoda, acho meio inútil, mas quando é sobre quem você não conhece e o que fulano fez e o que ciclano disse, aí soa realmente fútil. Mas vá lá, até aí, tudo bem! Assista o que quiser e fale com quem gosta. O problema é o surto de broadcast.

    O BBB é mais combatido na web porque ele também é mais exposto e comentado na web. São ondas extremas de conteúdo que o tornam, no mínimo, evidente. Pior, inevitável. As pessoas assistem com o Twitter no colo e postando! “Fulana tá se esfregando em ciclano” e aí o comentário geral da Nação também não ajuda, né. Uma opinião mais besta que a outra. Criam Trending Topics, postam fotos, vídeos, ficam com a TV ligada no PPV etc. O que tudo bem, se fosse pontualmente. Mas, não, é um surto geral. É muita gente, ao mesmo tempo, por três meses (3?). SÓ falando disto.

    E aí, para quem acha absolutamente fútil, uma hora você se estressa e solta os cachorros na internet de volta. Não estou dizendo que não há mal-humorados ou pagadores de “cult” por aí, mas acho que a grande onda de ódio contra o BBB não surgiu no primeiro e sim nos seguintes, na volta cada vez mais forte disto como assunto do momento. Assim como também rola o surto “não ligo pra futebol” em final de campeonato – só que menor, porque futebol está mais em pauta ao longo do ano, de forma distribuída.

    Uma boa comparação é o ódio pelo Carnaval. Ainda que, tá, haja alguma cultura envolvida de um lado e todo um sexismo envolvido do outro, o que justifica defesa e oposição, o processo é o mesmo: uma vez ao ano, TODO MUNDO fala sobre isto. E se você está sendo bombardeado de vídeos de mulher pelada sambando, amigos dizendo que vão pegar geral na micareta e músicas degradantes de axé, você se irrita. Porque você é contra isto. Porque você não acha legal ficar vendo um monte de homem vestido e um monte de mina pelada sambando. Você não curto o conceito, você não curte o resultado, você se incomoda com o comportamento dos outros e a baixaria. Incomoda, meu. E vai sempre incomodar.

    Temos toda uma massa alimentando o Carnaval da forma como ele o é no Brasil (argh) e temos toda uma população pagante financiando o BBB anualmente. Para mim, é o fim ver tanta gente (caras e mulheres) postando foto de fulano(a) no chuveiro, na pose tal, fazendo sei lá o que com sei lá quem debaixo do lençol. Claro que isto é um reflexo do quão sexualmente mal-resolvidos meus amigos podem ser ou o quanto infantil é a reação de certas pessoas a xingos e barraco geral. A culpa não está só no BBB, está muito mais em quem assiste e as partes que evidenciam e colocam na rede e como o colocam e quão frequentemente. O surto incomoda por ser um surto e por refletir os aspectos que eu menos admiro na sociedade.

    Não espere que as pessoas fiquem quietinhas, enquanto a internet é dominada por BBBmaniacs. É uma resposta natural. Excesso num extremo gera excesso em outro. Se as pessoas tivessem um relacionamento tranqüilo BBB – web, não haveria metade dos haters.

    Eu mesma não sou mais das que fica dando grandes discursos… Ok, falando assim, depois de escrever um comentário deste tamanho, talvez não pareça convincente… Mas já dei grandes discursos, já discuti muito com leitoras que apoiavam um quê de “isto é socialmente válido”, em outras edições, me desgastei horrores. Mas agora simplesmente bloqueio todo conteúdo que contiver BBB (pró e contra) e consigo ignorar o assunto. E aí, graças aos aplicativos geniais, o número de pessoas falando contra deve diminuir e vocês poderão assistir, anunciar e narrar todo BBB em paz.

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Hey Melissa! :D

    É, acho que o problema maior é esse que você, o Falcão Azul e mais gente irá comentar, o vício ou fanatismo no BBB, e a pessoa só falar disso, ficar fanática.

    Eu fui uma vítima. rsrs. Nunca tinha assistido BBB,mas em um ano, a Phoebe fez a maior propaganda (não tô te culpando, Phoebe.=D) e a Tessália, que estava bombando nas Redes sociais entrou no programa. Então fiquei curiosa para ver como seria o comportamento de alguém que tinha um pouco mais de familiaridade. Sem contar todo o twitter falando sobre isso.

    Achava que o negócio não era tão chiclete, assisti o primeiro, o segundo, pronto, viciei! Pior que novela!

    Já no ano seguinte, pra alegria do Falcão Azul, não fui pega de novo pelo vício BBB e não me interessei mais.

    Realmente é como o Carnaval, vc abre os principais portais e só se fala em BBB, nestes sites e em todo lugar. Isso é irritante.

    Valeu o comentário.
    Bjs,
    Mafalda

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Melissa, Mel, sua linda. Eu não tenho esses filtros por pura ignorância das possibilidades de meu face e do twitter. Observei que neste ano, as manifestações no desenrolar do BBB estão escasseando. Não sei se é perda de audiência, interesse, qualidade. às vezes vejo algum manifesto contra, piadas idiotas sobre abuso/estupro (um bom método de seleção. Nunca dei tanto block/hide na vida como vc) e só.
    Sinto que o interesse em geral, mesmo do pessoal fanático, diminuiu. Em parte creio que o ppv acaba servindo de tiro no pé. Quem ja viu no ppv, sabe a tendenciosa e novelesca edição sobre o nada que ocorre ali. Vê resultados de cotações que contrariam qq enquete. Não tem auditoria…OU seja, mita gente ja sacou que se trata de tudo menos realidade. E que as votações não são confiáveis. Não imagino que gasta $ pra ligar…
    Mas a edição oficial, segue o mesmo formato zorra total de simplificação e rotulação das pessoas que estão ali. Povo gado adora isso, ao meu ver. Acho que a crescente classe C, objeto de desejo de 9 entre 10 marketeiros dado seu potencial de consumo, digere e gera a demanda pelo formato editado do programa (com charges de Mauricio Ricardo) e edição didática pro povão entender. Sei que meu comentário parece pedante ou arrogante, mas honestamente, como tudo na mídia, acho que o BBB é uma resposta crescente de um perfil imenso de espectadores.
    Eu zapeio, leio algo aqui e ali, dou umas olhadas. Ja fui, mas hoje nao sou mais fanatica. A falta de transparencia do jogo e das regras te fazem sentir uma boba vendo tudo.
    E, como não poderia deixar de ser, sinto nauseas com os discursinhos cliches meet livros de auto-ajuda do Sr Bial.
    Mas é natural em mim, por minha memória saber nomes etc. Tb não vej novela , mas os principais nomes eu to por dentro.
    BBB, A Fazenda, O aprendiz, Britney…Tudo que desencadeia fanatismo ganha minha antipatia tb.
    Bjs

    [Responder]

  16. Mauricio

    Toda essa porcaria que faz sucesso só tem uma explicação óbvia: todo mundo gosta de conversar, fofocar e se sentir parte de um todo. Só que a ENORME maioria não tem quase nada na cabeça, nem formação/informação alguma que preste. Então o passa tempo deles, sem opção, é falar e discutir bobagem. A missão da TV e da industria do entretenimento é bolar coisas que deem assuntos prá essa turma enorme de acéfalos. É isso.

    [Responder]

  17. bibs

    já assisti BBB, logo no começo, mas com o tempo parei, perdi o interesse.
    agora acho que o maior ponto do BBB são essas pessoas que ficam exaltadas fazendo discurso anti, tanto serve de incentivo a quem já assiste, como mantem o assunto sempre em destaque, seja reclamando do programa em si, seja das pessoas que assistem.
    eu prefiro ignorar tais mensagens, e se uma pessoa mais próxima assiste não me afeta em nada. simples assim :)

    [Responder]

  18. André Ruz

    Olha só.. eu até acho legal o BBB, pois tem umas brincadeiras interessantes, vc fica vendo as pessoas reclamarem da vida com o toba sentado num ofurô, e por aí vai..

    Nem sei se eu devia falar isso aqui, mas eu acompanhava o BBB mais pra ter um contexto das mulheres quando saiam nuas nas revistas. Na minha cabeça não é tão legal ver uma mulher nua numa revista se ela não tem contexto histórico pra mim.. ahahahaha

    Mas eu vou começar a ver BBB quando minha namorada tb começar. Agora no começo é chato pq todo mundo é legal e gosta de tudo. Depois vai começar as intrigas e vai ser um assunto a mais pra conversar com a patroinha..

    Beijos Ju!!

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @André Ruz, Contexto histórico foi o melhor argumento que ja ouvi na vida sobre assistir BBB…UAHAUHAUHAUHAUAH… #EPICWIN!

    [Responder]

  19. Mauricio

    @André Ruz, é isso aí, André. Assumir e partilhar é tudo. Posso odiar o BBB mas curtí seu comentário.

    [Responder]

  20. taciane

    Eu sou das típicas viciadas no BBB,e tenho raiva daqueles que ficam criticando o programa nas redes sociais!A regra é clara se você não gosta do programa troque o canal ou vai dormir! Se alguém me perguntar eu não sei o que me faz gostar tanto do BBB.Nao ligo para o que os outros dizem a respeito do programa pois o mundo é feito de diferenças para isso mesmo.Mas acho que como qualquer programa ele merece acima de tudo respeito! E o BBB12 ESTÁ ÓTIMO.

    [Responder]

  21. Jack

    Não consigo ver motivos pra assistir o BBB. Pra mim já basta ter que viver as situações que se passam nele na vida real. Prefiro fugir um pouco da realidade pra recarregar minhas baterias.

    Meu desinteresse chega a o ponto de não me importar em saber quem são os participantes nem ler nenhuma notícia relacionada. Deus abençoe o inventor do DVD e da internet, pois assim tenho alternativas pra TV aberta, LOL

    [Responder]

  22. Letícia

    Ju, querida, eu já gostei muito do BBB. Aliás, gosto mais ainda de alguns sites que comentam o BBB: tem alguns blogueiros que analisam de forma tão perspicaz o programa que você jura que é um jogo de pôquer! Além, é claro, dos blogs de humor, alguns simplesmente geniais. Mais geniais, é óbvio, do que o próprio programa.
    Hj assisto bem menos por conta da exploração da miséria humana de forma mais escancarada (estímulo maior ao consumo de bebida, sexo e do prazer voyerista-sádico de cada telespectador com as tais provas de resistência). Algumas cenas me dão tanto horror qto o famigerado “Mulheres Ricas” que vc cita. Contento-me com alguns blogs que comentam o programa e só.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Letícia, Ja faz tempo que os blogs sobre o assunto me divertem bem mais que o programa. O BigBother é exemplo disso. Rio litros e recomendo.

    [Responder]

  23. Xiko do Couto

    Li o título, me senti ofendido(as pessoas se ofendem demais hoje em dia, não?), não li o texto e estou comentando. Não assisto MESMO.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Xiko do Couto, kkkkkk sim, as pessoas hoje em dia perderam um pouco o senso de humor pra ironias, compreensível, a vida não tá fácil pra ninguém. Poxa , mas não leu o texto só por mimimi? Ah…Xiko, seu lindo! Como vc me dá uma dessas?kkkk Mas obrigada pela atenção de comentar sem ler. E o texto não é marketing pra alguém assistir, é só uma curiosidade desse fenômeno coletivo de amor e ódio. Inofensivo kkkkk.
    Bjs, achei criativo kkkkk

    [Responder]

  24. FRANCISCO

    Não assisto, porque acho uma porcaria de programa, uma cultura inútil. Critico mesmo porque ao estarmos vendo um outro programa que a gente goste, aparece a propaganda do BBB (mídia forçando a barra pra dizer que é um programa bom). O horário de exibição deste BBB deveria ser após os programas que gostamos de assistir, tipo GLOBO REPORTER, TELA QUENTE e, outros que são bons, menos este BBB.
    É exibido neste horário exatamente para poder ter audiência, imbecilizando as pessoas que não se dão conta e ainda por cima, enriquecem esta emissora.

    [Responder]

  25. FRANCISCO

    Esqueci de dizer que antes dos programas que realmente são bons, e na hora do BBB, troco de emissora, há melhores opções do que BBB.
    Gente se acordem, parem de imbecilizar-se.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br