Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Ponto Gê: Paixonite aguda



Por Eubalena - 2 de setembro de 2009. Categorias: Ponto Gê.

O mal do século. A Paixonite Aguda é um remédio para muitos males, mas como todo medicamento de qualidade tem suas indicações e contraindicações, além de efeitos colaterais severos. Vide a bula.

Informações ao paciente: Sofrem de paixonite aguda todos aqueles que não sabem aproveitar a vida sem depender de alguém, aqueles acham que estão ficando para titio (a), ou aqueles que foram atingidos subitamente pelos sintomas. Esses, pegos após contatos de segundo e/ou terceiro grau em uma balada, churrasco dos amigos, entre outros eventos.

Composição: Um coração carente e um aproveitador (a)

Indicações: Paixonite aguda possui indicações restritas, mas, em último caso, pode ser utilizada para satisfazer o ego e os desejos da carne.

Contraindicações: É contraindicado àqueles que apresentam histórico de depressão, pois a hipersensibilidade à fórmula pode resultar em situações drásticas, como escândalos, cenas de ciúme, brigas e até a morte.

Precauções e advertências: Em caso de hipersensibilidade a fórmula o uso do medicamento deve ser imediatamente suspenso. Se os sintomas permanecerem procure um amigo não muito chegado, a sua antiga agenda de telefones ou um quebra-galhos.

Interações medicamentosas: Incompatível com homens e mulheres casados, irmãos e parentes próximos, grandes amigos e longas distancias.

Reações adversas: Festas legais perdem a graça, sono e cansaço se tornam frequentes, seu programa preferido será Tela Quente, você será cercado por outros casais com assuntos comuns, as confraternizações serão almoços e aniversários.

Posologia: Utilize sem criar laços ou grandes vínculos. O uso moderado contribui ao bom humor, disposição e pele sedosa.

Superdosagem: Seus amigos podem tornar-se fúteis e você acaba não se identificando com mais ninguém, somente com o ser apaixonado. Fisicamente pode causar sérias dores nas costas e aumento de peso, devido ao alto do consumo de jantares românticos e sessões de cinema, seguidos por rodízios de pizza.

Modo de usar: Seguindo as recomendações da bula, use Paixonite Aguda sempre que julgar necessário. Estabeleça padrões de qualidade e medidas e vá a luta.

Mas atenção:

Sempre se informe sobre o prazo de validade, número do lote e a data de fabricação.

A versão genérica é sempre recomendada como válvula de escape.

Não desaparecendo os sintomas, esteja livra para procurar ajuda profissional.

Beijos,


Veja também:

5 Comentários to Ponto Gê: Paixonite aguda

  1. Cadu

    “sofrem de paixonite aguda todos aqueles que não sabem aproveitar a vida sem depender de alguém”

    Minha nossa, já vi muito isso, experiências anteriores me fazem ter medo dessas pessoas

    [Responder]

  2. Renato de Recife

    Eu costumo me automedicar com a versão genérica, mas acho que já estou desenvolvendo resistência à fórumla :S

    [Responder]

  3. Falcão Azul

    Gê, este post está sensacional – o que não é novidade, acho que falei isso em todos os teus posts :-)
    A metáfora entre uma droga e uma paixonite aguda é realmente procedente. Quanta gente tenta curar suas dores com paixonite, mas acabam dependentes do remédio…

    [Responder]

  4. bebeto_maya

    Acho que me intoxiquei muito, um antagônico seria bem-vindo…Definitivamente meu ego não ficou satisfeito e os desejos da carne ficaram no onanismo…Paixonite não é para mim.

    [Responder]

  5. Cecília

    Acabei de ler o artigo e me identifiquei muito com ele. É realmente o que acabei de viver durante um ano com um namorado…que mora nos EUA! Por isso, quando li “longas distâncias” em “Interações medicamentosas”, deu um click em mim. A dependência desse relacionamento foi total, não pensava em outra coisa, esperava sempre ele me procurar e, quando isso não ocorria (como nas últimas semanas, quando o contato foi rareando, mesmo no fim-de-semana, quando ele não está viajando a trabalho), eu me sentia muito mal, pensava que ele não sentia nada por mim, estava me enrolando e tal. É exatamente como me sinto agora: enganada. Que ele quis se aproveitar pra satisfazer os seus desejos só pq estava sozinho e, quando viu que eu estava o prendendo muito e querendo mais envolvimento, se cansou. É muito duro sentir isso na pele, mas a pessoa que tem essa patologia sofre demais, ainda mais quando isso arruina uma relação (que na verdade, não devia ter muita base, senão não acabaria). Mas agora é partir pra outra melhor, e sem paixonite!

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2014 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br