Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Cachorro não é gente



Por Rachel Barbosa - 28 de março de 2010. Categorias: animais.

Riley, o cachorro com sorriso humano 

Se você tem um cachorro, aposto que ao menos uma vez já disse a frase: “meu cachorro pensa que é gente”. Se você não tem um cachorro, certamente já ouviu alguém dizer isso.

O ser humano tem a tendência de humanizar tudo a sua volta, inclusive espécies não humanas, como os cães. Atribuímos aos cães comportamentos e gostos tipicamente humanos. Acabamos fantasiando que eles são capazes de fazer coisas que não pertencem à natureza deles.

Não conheço seu cachorro, mas posso afirmar com certeza que ele não pensa que é gente. O que acontece é que nossa mania de humanização causa desvios de comportamento nos cães.

Quer um exemplo? Na natureza não existem cães obesos. Eles comem apenas o necessário para ter energia para manter o corpo funcionando. Além disso, gastam nas atividades diárias a energia que consomem através do alimento. Entre os cães domésticos, no entanto, é cada vez maior a incidência de obesidade e de problemas de saúde decorrentes. Os cães comem demais e não gastam a energia adquirida. Não se exercitam, não têm que caçar a própria comida, nem mesmo têm que trabalhar para ganhá-la. Comida em excesso + falta de exercício = obesidade.

Cães são animais altamente perceptivos. Desde muito pequenos eles são capazes de notar a diferença entre um humano e um cão. Aí você vai dizer que existem cães que não gostam de seus semelhantes. E você tem razão. Um cachorro que não convive com outros cães não gosta daquilo que não conhece direito, o que não quer dizer que ele não se reconheça como cão.

Tenho pensado muito nessas coisas por causa da minha cadela mais nova. Ela é o cachorro mais cachorro que conheço! Normalmente um filhote convive com a mãe e os irmãos nos primeiros dias de vida, mas logo depois é separado dos da sua espécie e vai para uma casa em que só existem humanos. Deixa de conviver com outros cães para apenas encontrá-los brevemente nos passeios na rua e acaba desaprendendo as habilidades necessárias para se relacionar com a própria espécie. Ge nasceu numa casa com muitos cães. Não conviveu apenas com a mãe e os irmãos. Desde bebê esteve cercada por outras cadelas e filhotes de outras ninhadas. Quando deixou a casa materna, veio para uma residência com outros dois cães que já formavam uma matilha unida e consistente. Rapidamente ela se integrou a essa matilha, sem jamais ter apresentado uma única dificuldade de comunicação com os outros cães. Ge não passou um só dia na vidinha dela de quase 5 meses apenas com humanos. Para os meus outros cães, os humanos são mais importantes do que os cachorros. Para a Ge, cães são muito mais importantes do que humanos. Isso dificulta o treinamento, porque o foco dela não está nas pessoas. No entanto, assegura um excelente equilíbrio mental!

Cães precisam de outros cães. Imagine-se vivendo apenas entre cães. Tá, eles são ótimos, mas você sentiria falta de outros serem humanos para interagir, para falar (coisa que só as pessoas fazem). É assim que seu cachorro se sente se você não o leva na rua para não pegar pulgas, ou porque acha que no quintal ele tem espaço suficiente para se exercitar, ou por outro motivo qualquer. Pense nisso e faça um favor ao seu dog: permita que ele conviva com os semelhantes. Leve-o a parques para cães, matricule-o numa escolinha de socialização e adestramento, pratiquem um esporte canino (agility, fresbee, flyball) e participem de competições. Ele será um cão normal e feliz e nunca mais você terá motivos para dizer “meu cachorro pensa que é gente”.

Rachel Barbosa
http://caoamado.com.br

Veja também:

4 Comentários to Cachorro não é gente

  1. Jônatas Galasso - @jojonerd Brasília-DF

    Muito legal o post. Conheço muita gente que realmente pensa que cachorro é gente por aqui e até acham que eles riem! Por mais óbvio que seja o fato que apenas nós conseguimos achar graça de fatos inusitados. Além disso deixam os cachorros, mesmo que enormes, deitados no sofá onde sentamos,mesmo que para isso tenhamos que ficar de pé.
    Até onde vai a burrice humana? Até viramos cães?

    [Responder]

    Rachel Barbosa Resposta:

    @Jônatas Galasso – @jojonerd Brasília-DF, Mas cães não são burros, apenas têm um tipo de inteligência diferente da nossa. Ah, e alguns cães têm senso de humor também :)

    [Responder]

    nani Resposta:

    Sorte deles não serem humanos…Eles são perfeitos…ao contrários desse bando de gordo mal amado kkk

    [Responder]

  2. wil

    Legal!
    esses bichinhos são realmente muito interessante, mas eles precisam continuar sendo o que eles realmente são.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br