Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Amor animal



Por Rachel Barbosa - 13 de junho de 2009. Categorias: animais.

namorados

Desde o início do mês o assunto mais comentado tem sido o Dia dos Namorados. A coluna Animais de Estimação não poderia ficar de fora e hoje contarei para vocês sobre os amores e paixões dos meus bichinhos. Sim, animais também amam! Tá certo que são movidos pela necessidade biológica de procriação, mas minha experiência me diz que não é só isso.

Minha gata Annita foi castrada logo após o primeiro cio, sem jamais ter cruzado. Na verdade ela nunca conviveu com semelhantes porque foi criada em apartamento, sem sair à rua. Mesmo assim ela já teve um namorado. Morávamos em apartamento térreo, com telas nas janelas. Na vizinhança havia um gatinho vira-latas preto e branco que um dia viu Annita na janela olhando a rua e se apaixonou. Ela já havia sido castrada há bastante tempo, por isso certamente não exalava nenhum odor que pudesse atrair o gato sexualmente. Ainda assim ele vinha todos os dias para namorar. Se vocês pensam que Annita era uma gata fácil, estão enganados. O gatinho ficava no parapeito e ela sentada numa mesa próxima à janela, se fazendo de difícil. O bichano andava de um lado para o outro com a cauda erguida, se exibindo, e ela fingia não ver. Ele miava chamando, e a besta chegava a virar a cara! Uma hora ele cansava e ia embora. Nesse momento ela corria para a janela e observava o namorado se afastar. Tenho certeza que Annita gostava do gatinho, mas o orgulho a impedir de ser mais amistosa. Como os machos não são muito persistentes, seja de que espécie forem, um dia ele desistiu e não voltou mais. Annita passou a ser uma solteirona convicta e nunca mais namorou.

Meu schnauzer Bruno nunca se apaixonou. Faz o tipo durão, que só quer saber de sexo, não quer saber de amor. Fazem o tipo dele as mulheres grandes. Já “deu em cima” de pastoras alemães, border collies, labradoras. Detalhe: ele é um schnauzer miniatura. Mas as preferidas são as huskies siberianas castradas. Uma vez o levei ao ParCÃO da Lagoa e ele passou horas assediando uma husky, que a dona informou ser castrada. A peluda tinha três vezes o tamanho dele, ainda assim ele tentava montar. No começo ela o empurrava, mas ele insistiu tanto que no final ela já deixava montar … na barriga, na cabeça, em qualquer lugar, menos no correto. Quando Bruno completou 1 ano fiz uma festa de aniversário aqui em casa. Uma das convidadas foi a Manu, outra husky castrada que foi assediada durante toda a festa. Mas a aventura sexual mais engraçada do Bruno foi quando ele descobriu a masturbação. Levei-o à casa de uma amiga minha para ser tosado. A boxer dela estava no cio e por isso, presa na cozinha. Bruno não a viu, mas passou cerca de 1:30h no apartamento, sentindo o cheiro. Quando chegou em casa reparei que ele estava, como direi, se lambendo. E lambeu, lambeu, até “resolver o problema”. O pior foi depois. O “pinto” ficou exposto, vermelho, inchado e não voltava para o lugar. Liguei pra minha amiga e perguntei o que fazer. Acabei a noite com o cachorro no colo, segurando uma bolsa de gelo até o “pinto” desinchar.

Meu poodle Galileu é um romântico, galanteador. Enquanto o Bruno se aproxima das fêmeas bruscamente, tentando impressionar pela masculinidade, o Galileu chega devagar, abanando a cauda, sorrindo. Dá umas lambidas no ouvidinho e se a mina gosta, ele parte para o sexo oral. Essa técnica de aproximação funciona bem. Ele só continua virgem até hoje porque os pais das namoradas não deixaram ele consumar o amor. Como machos de todas as espécies não querem perder nenhuma oportunidade, Galileu “dá em cima” de todas as cachorrinhas bonitinhas que vê. Mas não pensem que nunca amou. Já foi apaixonado por uma colega de escola, a Jujuca. Quando se conheceram ele ainda era criança, mas à medida que foi crescendo e se tornando adolescente, foi se apaixonando pela colega mais velha. O melhor é que o amor foi correspondido. Jujuca se apaixonou pelo Galileu. Sempre que se encontravam ficavam juntos e rolavam uns beijinhos. Um dia Jujuca entrou no cio. Enquanto esperavam a vez de treinar ficaram no maior chamego e quando olhamos, lá estava Jujuca de cauda levantada, chamando Galileu. O pai da Jujuca entrou em pânico e disse a ela que não estava disposto a ser avô. Não pense que isso diminuiu o desejo do casalzinho. Era só o pai da Jujuca olhar para o lado que ela corria para o namorado e ficava esfregando a “perseguida” na cara dele. Infelizmente a namoradinha saiu da escola e eles nunca mais se encontraram.

Annita, Bruno e Galileu desejam aos leitores humanos FELIZ DIA DOS NAMORADOS!

Rachel Barbosa
http://rachelbarbosa.com.br

Veja também:

2 Comentários to Amor animal

  1. dario

    eu queri que animais ti vessem mais carinho a atençao do dono e tambem peso para todos os donos de caes que o abandonasse na rua esses probes caes espero que a mensagem sirva para alguma coisa

    [Responder]

  2. dario

    tenha amor a teu filho cao o nome do meu e jester

    tenho um coelho tambem

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br