Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Fim da bagunça: meu sonho de consumo



Por Mafalda - 20 de julho de 2011. Categorias: Sofá da Mona.

Zapeando na TV, vira e mexe paro hipnotizada para assistir aos programas de “arrumação” de casas. Dessa linha, sou quase viciada no “Cada Coisa em Seu Lugar” (exibido pelo Discovery Home & Health) com a divertida apresentadora Niecy Nash (atriz e comediante, que talvez você conheça do engraçadíssimo Reno 911!).

Recentemente, o GNT investiu em algo similar, tendo à frente Micaela Góes (ela é atriz desde menina – foi a Maria Lua de Ana Raio & Zé Trovão – mas no GNT aparece como consultora de organização). No programa brasileiro (Santa Ajuda, exibido nas noites de quinta) a proposta é arrumar um ambiente. Às vezes, sem tirar nem colocar nada de novo, percebe-se ser possível ter mais espaço e estética, basta saber organizar. A idéia é ensinar ao espectador alguns princípios para arrumar e manter a arrumação (o mais difícil). Já estou usando dicas que aprendi no programa, que também ensina a tirar manchas e outros macetes para casa no melhor estilo “Sebastiana Quebra-Galho”. Ah! E também aprendi a falar “sala de convivência” em vez de “sala de estar”
(adoro esses termos afrescalhados).

No “Cada Coisa em Seu Lugar” a operação é radical. A casa inteira é organizada. Não sei os critérios de seleção, mas as casa norte-americanas são imbatíveis no combo from hell bagunça+tralhas. Hábito por lá, os itens descartados (para ganhar espaço e beleza) viram dólares em vendas de garagem. A grana arrecadada é investida em móveis, cortinas, pintura e objetos de decoração. O que não é vendido é doado. A equipe conta com decoradores e handmen (aqueles caras que fazem qualquer conserto com um sorriso na cara) e o resultado sempre é excelente.


A turma do Cada Coisa em Seu Lugar. Niecy sempre discreta de vermelho.

Estou criando coragem há tempos para organizar o escritório de minha casa. Pilhas de papel aguardam um destino, canetas que não pegam, recibos, anotações, agendas velhas, desenhos… Mas cadê pique?! Admito: meu sonho de consumo é ter um desses programas arrumando tudo para mim. Sonho impossível pela geografia. Uma alternativa genérica seria trazer minha mãe, que adora arrumar qualquer coisa (do seu modo lógico) e deixá-la mexer em toda minha bagunça. Hum… É, pensando bem, prefiro continuar tentando criar coragem e anotando as dicas da Micaela e da Niecy.


Clique no retângulo acima para acessar o blog da Ju Teófilo

Veja também:

9 Comentários to Fim da bagunça: meu sonho de consumo

  1. Juliana Savicki

    O melhor e o pior desses programas é arrumar e deixar com uma cara nova! Organizar, todo mundo cria vergonha na cara e faz de vez em qndo; mas além de não ficar lá essas coisas, em questão de dias volta ao “normal”…. Mas sejamos honestos, quem de nós mortais têm todo aquele requinte para repaginar o q antes era a visão do inferno? Além do q, os tais bazares seriam ótimos por aqui (eu pelo menos nunca vi um!), pq limpar e ter q jogar fora certas “bugigangas de estimação” dá dó, e é aí q vai ficando, ficando… Mas tô contigo chará, vou ficar sonhando com uma equipe dessas aqui em casa… ou pelo menos no quarto, ou na sala….

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Juliana Savicki, Olha eu também tenho certo apego a alguns objetos. Geralmente o apego é inversamente proporcional à utilidade da coisa em questão. Mas quem mora em apartamento aprende rapidamente a reciclar, doar e vender coisas que não usa. Aqui no Brasil não rola venda de garagem porque seria um convite para um assalto. Fato, infelizmente. Vender, é quase doar porque não pagam nada por coisas comuns, moveis. Tvs etc…Então eu pelo menos costumo doar. Primeiro vejo se a faxineira quer. Caso contrário tem uma ong aqui em ribeirão que pega, recolhe, se precisar conserta e vende num bazar permanente a preços modicos. Eles cuidam de crianças e idosos e com o bazar chegam a lucrar cerca de 3.000/mes o que ajuda na despesas dos lares.
    Quand a gente organiza e joga fora ou da destino pra coisas inuteis abre espaço para o novo. Feng shui! kkkk Bjs da chará.

    [Responder]

  2. LuizC

    Sabe o que não entendo?

    Eles colocam as coisaradas da casa para vender em um bazar no quintal da frente da casa, que são os objetos descartados pelo programa como sendo inúteis e a maioria deles são duramente criticados pelo mau gosto estético e artistico.

    Então, como podem eles apresentarem um programa para organizar a casa e literalmente empurrar as tranqueiras para os vizinhos?

    Isso não é um contra-senso?

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @LuizC, kkkkkkkkkkkk cara, nunca tinha pensado nisso dessa forma kkkk perfeito kkkk.
    Bem, algumas coisas são horrorosas, porém úteis e são vendidas bem barato. As pessoas que compram nem sempre são vizinhos. Nos EUA tem muito disso nos bairros mais periféricos (e tranquilos).
    Mas vc tem toda razão…no fundo estão empurrando as tralhas para terceiros kkkkkk. (rindo litros aqui).
    Bjs

    [Responder]

  3. Davi Graeff

    Minha mãe é fã desses programas de decoração de casas, e eu vejo às vezes com ela.
    O que sempre deixa a nós dois pasmos, é a capacidade que esse povo tem de juntar tralha e fazer baderna, meu Deus!
    Olha que lá em casa sempre fomos CINCO pessoas, cada uma com seu gosto pessoal, e nem assim nunca conseguimos juntar tanta coisa e nem fazer uma zona tão grande quanto casas com apenas três pessoas fazem nesse programa.
    Eu sempre digo pra minha mãe que ao invés de se preocupar em organizar e embelezar a casa essas pessoas deveriam era se preocupar em juntar menos coisa inútil, isso sim.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Davi Graeff, Isso porque vc ainda não deve ter visto “Acumuladores”. São pessoas com problemas psiquiatricos e que não conseguem jogar nem o lixo fora…
    Pra mim, fora isso, o que vemos em geral são pessoas que tentam preencher um vazio interno com a posse e acúmulo de coisas. Confundem ter com ser. Terapia geral já !rsrsrsrs

    [Responder]

  4. Daniella

    Eu nunca vi mas imagino uma bagunça feita por vc. Eu sou a maniaca da arrumação aqui em casa. Mas tem coisas que nem a sua mãe conseguiria arrumar tal como seu escritório. A minha dica para esses lances “indomáveis” até mesmo para a mais voraz arrumadeira é uma boa e velha CAIXA com tampa. Tudo aquilo que vc não der conta, vc joga lá dentro e esquece dela. Vc não perdeu nem jogou fora, está la na caixa, guardando. De certa forma!!

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Daniella, KKKK olha, Daniella, meu caso não é tão drmático quanto narrei. Foi mais licença poética. Mas sou daquelas pessoas que guaredam papeizinhos, saca?! Mas se vc quiser passear em Ribeirão Preto e se incumbir de meu escritório, ja estou rifando essa arrumação! kkkk Se bobear vou registrar passo a passo e postar…quem sabe isso me da coragem?! kkkkk Beijos

    [Responder]

  5. Mariana

    Oii, também sou viciada em cada coisa em seu lugar! e principalmente na Niecy Nash pq adoro ela! Assisto dublado e tem sempre uma palavra que a Niecy fala (na dublagem claro) muito engraçada!!! Traduzindo para o portugues a palavra era engraçadíssima mais agora não lembro mais, começava com X se eu nao me engano, vc lembra?

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br