Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Cantinho do Castigo para Rafinha Bastos



Por Mafalda - 11 de outubro de 2011. Categorias: Sofá da Mona.

Se você já assistiu Supernany ou genéricos, sabe que o “cantinho do castigo” é um lugar (desprovido de qualquer distração) em que a criança malcriada deve permanecer, digamos, por alguns minutos (por exemplo, se a criança tem 5 anos, ela fica 5 minutos e assim por diante) até “se acalmar” e depois conversar com o responsável e compreender que o que fez foi inaceitável (palavra usada pela diva Jo Frost, a supernany original).

Assistindo o desenrolar do bafafá de Rafinha Bastos e CQC, devido a uma piada de péssimo gosto proferida pelo jornalista e comediante sobre Wanessa (ex-Camargo) grávida e seu bebê, a sensação que tenho é de que Rafinha acabou indo parar no “cantinho do castigo”. Para piorar ainda mais, basta lembrar que o marido da cantora em questão (Marcus Buaiz) é um dos patrocinadores do programa. Rafinha acabou mordendo a mão que o alimenta… Vixi!

Supernany Jo Frost: “Inaceitável, Rafinha, inaceitável!”

Primeiro veio a Mônica Iozzi, uma simpatia de menina. Ontem, graças ao Dia das Crianças, veio Oscar Filho, já  que é sempre zoado por sua baixa estatura, o que remete ao universo infantil (O que? O bullying?). E semana que vem? Rafael Cortez?
Não aprecio o senso de humor de Rafinha, embora ache algumas de suas tiradas ótimas. É uma questão de química, mais que de inteligência. Notei que ele foi perdendo a mão. Na verdade, foi pesando a mão. Isso não costuma funcionar no Brasil, embora tenhamos muitos comediantes desse tipo (e com sucesso) nos EUA. Brasileiros gostam de rir dos outros, jamais de si mesmos. Gostam de zoar com a mulher dos outros, mas não me venha com piadas envolvendo sua patroa. Curioso, não?

Vídeo com a declaração de Rafinha:

Mais curioso ainda é perceber que o próprio comediante não leva numa boa perguntas sobre suas declarações. Em recente entrevista à Mônica Bérgamo (Folha de São Paulo), ele a mandou (como dizer?) “praticar felação em seu grosso e bem vascularizado órgão genital” (desculpem, foi o melhor que deu pra fazer com a frase original). Por que tamanha grosseria? Porque foi indagado sobre as piadas usadas em seu show envolvendo o ator Fábio Assunção e o comercial da Nextel.

Não sei a idade de Rafinha, mas esse “cantinho do castigo” está bem prolongado para os padrões habituais (se é que existem).  E embora o próprio comediante brinque com o assunto em seu atual show de stand up, divulgou-se agora que Rafinha pediu demissão da BAND. Sim, isso mesmo. Simultaneamente, já começaram os boatos de que já estaria sendo sondado pela Record e pela Rede TV.

Daí eu me pergunto: a gente não vive numa democracia? Não acabou a censura? Tudo bem, a piada é de péssimo gosto e nem engraçada foi, mas… e daí? Obviamente era uma PIADA. Ruim, mas uma piada. Não era uma ameaça, lógico. O episódio do Rafinha me fez parar para pensar que existe sim censura no país. E uma das piores. A censura velada imposta por quem banca as atrações, pelos patrocinadores. Você pode ridicularizar um pobre servidor público no “Proteste Já” (que melhorou MUITO com o comando do Oscar Filho), mas fazer uma piada escrota com a mulher de um de seus chefes não. Resumindo: passo a desconfiar de tudo que é dito agora no programa. E ainda mais sobre o (auto) senso de humor de Rafinha…

E você, leitor? O que achou de todo esse rolo? Escreva pra gente!

Clique no retângulo acima para acessar o blog da Ju Teófilo

Veja também:

19 Comentários to Cantinho do Castigo para Rafinha Bastos

  1. Ronald

    A piada realmente foi de mau gosto. Mexeu com uma instituição totalmente decadente da sociedade, mas que ao menor toque saem das catacumbas as senhoras aposentadas da liga religiosa de Itapipoquinha do Sul para bravar justiça. Se a piada fosse com a Carla Bruni, ia ser só mais uma piada de mau gosto do Rafinha. Como foi com a “WANNESSA” CAMARGO, leia seu marido dono do barraco, o caldo engrossou. Além de mostrar a incoerência do programa, censurando o apresentador, ainda acabou com a visão de família feliz no CQC com a ala pró e contra Rafinha. Fora isso, o ego dele também anda meio popstar. Se ele tivesse pedido desculpas, acho que essa história não teria ido tão longe. Agora como cristo crucificado, apesar de judeu, ele é espionado pela fresta de outras emissoras. Nada mais natural, He is the man, top no Twitter e tudo mais. O líder da juventude XZWY, da nova mídia contra os velhos costumes. Mas ele esqueceu de uma coisa, as crianças crescem e não acham mais graça das piadas de antigamente. Fica a dica!

    [Responder]

  2. Diogo Lima

    Já falei em outros lugares, mas é o seguinte:
    Não tem como eu apoiar um cara que fala que comeria um bebe, uma criança, mesmo achando que isso seja piada, liberdade de expressão o cacete a quatro.
    O Rafinha Bastos ai é muito bom no programa ” A Liga” , agora como comediante eu particularmente sempre achei um lixo. Agora as pessoas estão percebendo isso.
    Não acho que seja censura não (coisa que eu abomino) tirar ess comediante ridículo do ar, acho sim que é o mínimo que a Band deveria fazer.

    [Responder]

  3. Mafalda

    Eu concordo com o Diogo. Para mim aquilo não foi piada, e foi um abuso da liberdade de expressão.

    Não acho que deveriam tê-lo afastado, mas sim um pedido de desculpas ao vivo do Rafinha. Assim como o Danilo Gentilli foi “bonitinho” pedir desculpas aos judeus, por uma “piada” infeliz sobre o holocausto.

    O fato de não terem feito isso, e só o afastado, só ajudou a dar fama de vítima, coitadinho e/ou herói de algo que não tem do que se orgulhar.

    Ótimo post para debate, Jú!

    Beijos,
    Mafalda

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Mafalda, Thanks,chefa! Eu me pergunto o seguinte: por exemplo, sou fã de South Park. Não perco. Vcs ja assistiram? E Family Guy? Sim, quem ja assistiu sabe como é. E eu adoro. É podre e absurdamente politicamente incorreto. Mas passa na TV a cabo. Isso permite limitar o acesso de menores a tais canais etc. Quando a gente pensa em TV aberta não deveria haver a mesma preocupação dos pais? Porque não acho o CQC um programa pra criança assistir. Acho que a idade é 16 ou algo assim. E num programa supostamente feito pra maiores, linguajar mais pesado pode rolar se for a proposta do programa. Obviamente que a escolha de assistir é sempre do espectador.
    Alguns assuntos, creio, são campos minados. Pode ser o cara mais engrçado do mundo, o mais simpático…se botar mãe e criança no meio, pronto! Nunca vi dar certo. E nesse caso tínhamos ambos os ítens!
    A piada do Rafinha foi mega escrota, concordamos,lógico.
    Mas lembro de umas reportagens do Felipe Andreoli em eventos esportivos (nos EUA?) em que ele beijava loucamente várias estranhas. Ninguém protestou pela imagem feminina ou algo assim. Porque? Porque eram estranhas. Porque era uma brincadeira do lugar etc. A piada do Rafinha foi uma merda. E pior. MErda para pessoas conhecidas, próximas. Convenhamos: existem cagadas e cagadas. Essa foi incrível. Nem ele acreditaria se contassem um mês antes…

    [Responder]

  4. Dionelson Silva

    Acho tudo isso um exagero, seja a piada de mal gosto(talvez até por uma má interpretação da mesma), seja o afastamento. O que mais me incomoda é o fato de até agora Marcelo Tas não ter se posicionado nem contra e nem a favor do colega de bancada.

    Ele que foi durante muito tempo, defensor da liberdade de expressão e que teve em um de seus personagens a excência para ser escolhido o apresentador do programa.

    Esse caso não foi o primeiro que acontece algo semelhante com o programa, lembro que nos primeiros programas ele deixou de ser ao vivo por causa de uma piada envolvendo o Grupo de Modelos/Atrizes pornôs Sexy Dolls, chamando-as de prostitutas. E no programa seguinte foi utilizada a mesma piada no pedido de desculpa. Na época a maioria achou engraçado e concordou com tal piada, o programa passou 1 mês sendo exibido com edição.

    Hoje parece que o único jeito de se fazer humor nesse país é o politicamente correto.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Dionelson Silva, Meu! É verdade! Agora que vc falou me lembrei tb. E pra vc ver que nem eram celebridades (??) como a Wanessa. Enfim… No Brasil, TV aberta não rola um programa desse ao vivo. E não falo pelos telespectadores. Obrigada pela lembrança! Bjs Ju

    [Responder]

  5. Crislaine Morais

    Realmente a PIADA foi de péssimo gosto. Mas quem acompanha o humorista já a algum tempo sabe bem da fama de “sem noção” que ele tem. Nada mais justa a punição que ele teve, porém a repercussão que o caso tomou foi grande demais. Aposto que se a piada fosse com alguém de fora da mídia não tinha atingido tal limite. Mas enfim, agora ele está pagando pela sua piada “mal pensada” e arcando com as consequências. Mas no Brasil as coisas são assim, políticos são levados na brincadeira e comediantes a sério. Vai entender …
    Enfim, parabéns pela bela coluna Juh! Bjs

    [Responder]

  6. Juliana Savicki

    Pra falar a verdade, ainda ñ tenho uma opinião definitiva sobre esse assunto pq sou fã do Rafinha: além de conterrâneo e torcedor do Internacional como eu, sempre o vi como um comediante inteligente, diferente do Marco Luque q só faz piadinhas bobas, do tipo q faz a gente rir por simpatia, ñ por qualidade!
    Além do mais, como disse a Jú, por pior q tenha sido a piada, foi só piada! Até pq toda essa galera do Stand By pega um pouco pesado nas brincadeiras tanto na TV qnto nos seus shows!
    Mas confesso q um pedido de desculpas mostraria humildade e arrependimento… e encerraria essa história.
    Não sei se ele ñ o fez por orgulho e estrelismo, ou por achar q um pedido assim demonstraria submissão à “censura velada” q agora ficou claro q existe…
    Enfim, é uma pena ele sair, mas quem sabe ñ vem coisa melhor por aí!! “Quando Deus fecha uma porta, abre uma janela.”
    bjos

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Juliana Savicki, Juliana (que nome lindo, aliás), vc tocou num ponto importante. Eu tb me sinto perdida, embora por outros motivos extra-sulistas (rsrsr), mas vc conseguiu definir o lance do Marco Luque. É isso. A gente ri por simpatia. Putz, obrigada. Vc achou a palavra certa!! E é verdade.
    Acho que talvez não foi dada a oportunidade do Rafinha escolher desculpar-se ou não. Então.. Acho que ele logo vai ter um programa dele em outra emissora, embora patrocinadores possam ter receio de embarcarem nessa.

    [Responder]

  7. Melissa

    Eu acho que não podemos rebater tudo a partir do argumento “liberdade de expressão”. Existe piada de mau gosto, sem dúvida, e eu nunca fui lá de achar graça em piada pesada… sempre achei incômodo ver os outros rindo de deficiências, de ofensas brutais. O meu problema com o Rafinha Bastos vem desde a piada sobre estupro (que mulher feia deveria agradecer) e se estende à polêmica declaração sobre comer (e ele quis dizer sexualmente, então foram duas parecidas) o bebê da Wanessa. A minha questão é: ok, claro que Rafinha Bastos jamais apoiaria um estuprador ou pedófilo, duvido (como muitos disseram e acho simplista demais) que ele seja a favor do “libera tudo”. O que acho complicado é fazer piada com violência. Ainda mais das hediondas. Não porque é um crime, não acho que a lei deva limitar o humor, mas porque é violento e acho que perdemos a noção do que realmente é este tipo violência. Não dá para virar piada, virar comum falar de estupro ou de violentar uma criança.

    A primeira (sobre mulheres feias), na época, me revoltou tremendamente… Inclusive, estive na Marcha das Vadias, pelo motivo mais cru e não pela polêmica do Rafinha Bastos, mas que acabou na porta do Comedians (do CQC). Contudo minha opinião é de que, neste caso, valia-se da liberdade de expressão. Afinal, foi dita no show DELE, no stand-up dele, ao qual as pessoas vão por livre escolha e pagam para ver. É lixo, mas é uma escolha. E escolham o lixo que quiserem! Rafinha tem todo direito de fazer piadas grotescas. Agora, quando se trata de um programa que não é composto apenas por ele (se assiste CQC por diversos motivos, entre eles os quadros ou demais apresentadores) não pode se pressupor que quem ligou a TV se comprometeu a aceitar tudo o que está no programa. Mais ainda, trata-se da TV aberta e muitas vezes não é um ato consciente a la “adoro Rafinha, vou comprar ingresso pro seu stand-up”, pode estar sintonizado ali por mais milhares de razões que não predispor-se a ouvir as babaquices de um Rafinha Bastos. E é aí, então, que acho complicado ridicularizar violência. Estando ela no horário que for, aliás, ainda é violência e não devia ter graça.

    Então não acho que tenha sido ruim afastarem ele. Oras, o programa não é dele. O programa é pago e acho admirável que alguém tenha achado inaceitável este tipo de comentário. Alguma espécie de filtro temos que ter, foda-se se é moralismo… cada um acha o que quer e a direção achou que ESTA piada havia sido de mal gosto. Também sei que tem o marido da Wanessa envolvido, mas não acho que seja de todo conspiratório, acho que a piada foi, sim, PESADA e muito mal aceita pelo público. Os que acharam graça, na minha humilde opinião, têm sérios problemas (não?) e todo direito de ir ver o Rafinha em seu stand-up. E aí a equipe do cara decide se vão cobrar ou não pelas piadas… Mas não em TV aberta, não gratuitamente e a esmo.

    Achei ótimo que alguém tenha sentido vontade de afastá-lo depois desta. Me mostrou que certas coisas ainda impactam o estômago das pessoas.

    Enfim, eis a minha looooooooooooonga opinião sobre… :)

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Melissa, Thanks, Mel!Bjs

    [Responder]

    No one Resposta:

    @Melissa, Escolham o lixo que quiserem para ver, entendam estupro como algo normalizado e comum, xinguem a mulher estuprada e digam que foi culpa dela, digam que foi só sexo, digam que ela realmente devia agradecer…

    Não é só porque algo não é para todo o público do mundo que não tem influência no mundo. Se nós somos criados e criamos a sociedade, por que uma coisa horrível e grotesca como dizer que mulher feia devia agradecer o estupro é menos pior porque foi dito para pessoas que queriam ouvir “”"”piadas”"”" grotescas?

    Se Rafinha falar para um negro voltar para a senzala em um stand-up dele, tudo bem? As pessoas escolheram ver aquilo então está menos pior? Aquilo não vai ter mesmo nenhuma consequência? Nada tem consequência se não é dito em público? Uma pessoa já racista não vai se sentir confortável ouvindo uma pessoa dizer isso, e sentir que tem “apoiadores”, que não está sozinha? Uma pessoa misógina não vai se sentir confortável ouvindo que mulher tem que agradecer uma violência se não se enquadra no violento padrão de beleza imposto pelos privilegiados? Não vai se sentir com “backup”? Não vai sentir que não está totalmente errada, que, se tem gente famosa dizendo a mesma coisa, ela não está sozinha?

    Muito complicado.

    [Responder]

  8. Phoebe

    Polêmicas à parte, só posso dizer uma coisa: muita saudade dos COMEDIANTES que costumávamos ter, que nos faziam chorar de rir e, muitas vezes, das coisas mais bestas. Piadas que quase sempre ultrapassavam bastante o limite do politicamente correto (quem não lembra de Jô Soares e Didi Mocó tripudiando de mulheres feias, nordestinos, negros, obesos, baixinhos, anões etc?), mas que estavam muito longe de serem violentas ou agressivas. Esses neo-”comediantes”, sinceramente, eu não vejo a menor graça. Essa turma do Pânico eu não consegui assistir a nem 10 minutos de programa, achei de mau gosto, invasivo, agressivo. Aquilo de ficar perseguindo celebridades, ao invés de me fazer rir, me fazia era ficar com raiva deles, imaginando o que eu faria se fosse a tal celebridade perseguida. Até guindaste eles usaram para conseguir filmar o apartamento da Carolina Dieckman, fizeram imagens do filho dela, uma criança, dentro da intimidade do lar. Detesto a atriz, mas iria lá rir disso? Quem gostaria de olhar pra fora e ver um guindaste com um imbecil te filmando dentro da sua própria casa? E depois surgiu o CQC, lembro de ter tentado assistir porque todo mundo falava bem e ainda diziam que era um humor mais maduro do que o do pânico. Achei a mesma coisa: não consegui ver mais do que 10 minutos.
    E olha que eu adoro humor trash e politicamente incorreto. Sou superfã do South Park e sempre ri muito com os Simpsons (e pra quem acha que Simpsons não é trash, basta lembrar que no episódio em que vêm ao Brasil, são mostradas hordas de macacos). Mas há uma linha que separa de forma bem nítida o humor trash da agressão pura e simples. Dizer que comeria uma mulher grávida e o seu bebê… Pode chamar isso de qualquer coisa, menos de humor ou piada, até em respeito aos verdadeiros humoristas.

    Ju, excelente o seu texto! Só acho que, no fundo, houve a mesma censura que existe em todos os meios de comunicação privados. Se o marido da Wanessa patrocina o programa, é óbvio que ninguém poderá falar da família dele por lá (e é óbvio que o pessoal devia saber disso, pois a essência desse programa de “humor” é humilhar e escorraçar as figuras públicas do país). Assim como uma afiliada da Globo que pertença ao Sarney jamais poderá elaborar uma matéria para mostrar os podres do seu governo no noticiário local. E é um tipo de censura compreensível… Eu demitiria a empregada aqui se descobrisse que ela fala mal de mim no prédio. Assim como pediria a demissão do tal Rafinha se fosse patrocinadora do programa dele e ele fizesse um comentário sobre “comer” (sexualmente falando) o meu filho.

    Bjs! :)

    [Responder]

  9. Ronald

    Acredito, realmente, que as pessoas têm o direito de dizer o que quiserem. Seja isso ruim, ou não. O que não posso é admitir a censura. Liberdade de expressão sim, um cara pode colocar um caixote no meio da rua e falar qualquer absurdo. A censura será feita por mim e por você, simplesmente passe ao lado. No caso do Rafinnha, desligue a TV, nem ligue ou troque de canal. Você pode não gostar do que a pessoa fala, mas não pode calar a boca dela. Quem somos nós para calarmos uma pessoa? Pequenos demais. Somos ainda as mesmas pessoas que corriam atrás dos hereges com toxas nas mãos? Não somos ainda capazes de censurar sem jogar as pessoas na fogueira?
    Discordo da Jú, CQC não é programa pra criança assistir. Passa depois das 21h. Se o programa faz sucesso entre as crianças a culpa é de quem, do Tas? Mais uma vez, a culpa é do pai e da mãe que não prestam atenção no que o filho está fazendo, não discutem e não colocam limites.
    As piadas do cara são grotescas? Ofendem minorias? Desvalorizam as mulheres? Porque diabos os shows dele são lotados? Provavelmente de pessoas chatas, carolas que estão ali pra jogar tomate no final do espetáculo, certo? A sociedade é muito hipócrita, enquanto ele falava de gente feia beleza. Falou da Wanessa Camargo, caiu a casa. Como eu disse no primeiro comentário que fiz, se a piada fosse sobre alguma artista internacional ela passaria batida. Para azar do Rafinha o marido da Wanessa, e pai da criança, tem muito poder na BAND.
    Antes q alguém se revolte, não, eu não achei legal o que ele falou.

    [Responder]

    Ju Teofilo Resposta:

    @Ronald, Obrigada pelo. Comentario. No entanto, se vc reler o post vera que ambos concordamos: o que a crianca ve na tv e responsabilidade de seus pais ou cuidadores. No mundo ha de tudo. E a educacao que recebemos que nos permitira filtrar o quero ou nao para mim. Hoje, penso que o que rolou foi um improviso do comediante. Pessimo e meio auto destrutivo. Deu no que deu. A saida de Rafinha foi do CQC ou da Band? E A Liga? Percebo que a tentativa do rafinha Bastos de se tornar um comediante do tipo boca maldita falhou. Quem fazia isso muito bem era o Juca Chaves. Rafinha e a turma do bolinha do stand up se mostrou, para mim, bem retrogrado e misogeno. Talvez reveja seus rumos. Faz falta na tv?? Pra mim nao. Bjs

    [Responder]

  10. Caio, The Eldar

    Oi Ju!

    Acho que nossas opiniões são parecidas… não iguais, mas parecidas, como segue:

    - Rafinha fez uma piada de péssimo gosto e de tremenda antice. E como no caso das SexyDolls poderia ter ficado só no pedido de desculpas, mas como nesse caso a atingida não era ex-atriz pornô, era uma celebridade casada com um patrocinador do programa, e a própria audiência respondeu diferente nos dois casos, ele foi punido.

    - ele tem já fama de ser pesado como vários comediantes de stand-up americanos, mas eles se moderam quando falam em tv aberta ou programas de classificação etária baixa. faltou um filtro ali, mas talvez num programa na tv fechada, com classificação etária alta fosse apenas polemico.

    - aliás, pode ser que o alvo seja estar livre para ser garoto propaganda do Comedy Central Brasil, que logo será lançado no nosso país. Nos EUA e na Austrália o Comedy Central é conhecido por ter classificação etária alta (portanto, função dos pais e guardiões de não deixarem os rebentos assistirem isso, ou Zorra Total, ou qualquer programa depois das 22h que não seja em canais infantis), que precisará de uma polemicazinha para chamar a atenção.

    Acho sim que o politicamente correto e a hipocrisia estão matando o humor de uma forma geral, pois é legal fazer piadas com os outros, mas não comigo. Também estamos perdendo a capacidade de rir de nós mesmos e ter uma visão crítica do limite do ridículo, mas isso já vai além do que está sendo discutido aqui…

    Abraços!

    [Responder]

  11. Raquel

    Bem, primeiro que eu não considero o Rafinha humorista (aliás, as coisas ultimamente andam tão sem graça que nem eu mesma sei mais definir o que cargas d’água é humor). Agora em relação ao que ele falou, olhando pelo lado ofensivo da “piada” a punição foi merecida, agora se levarmos em consideração o real motivo dele ter sido punido (porque mexeu com esposa de manolo importante) aí eu considero censura sim. Se fosse pra receber algum puxão de orelha que levasse por tudo que ele já falou por coletividades.

    [Responder]

  12. André Ruz

    Fico até um pouco sem jeito de escrever algum comentário depois de tantos tão profundos e legais!!
    Li todos, alguns eu concordo, outros nem tanto..

    Na minha opinião, o problema é colocar um programa ao vivo com humoristas de comédia em pé, que trabalham com improviso e tentam sempre fazer alguma piada criativa. Fazia parte do personagem do Rafinha falar q comeria qualquer coisa e tudo mais…. só que se tivessem pelo menos um delay de 5 minutos na transmissão, já resolveria 90% dos problemas do CQC.

    Em todo caso, excelente post, Ju!! Adorei!! e desculpe a demora pra comentar!!

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @André Ruz, Ah, seu lindo! Eu que agradeço sua atenção e carinho. Adoro ler seus comentários, vc é um cara ponderado (coisa rara!!). Valeu mesmo. Bjs

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br