Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Gatos



Por Rachel Barbosa - 6 de junho de 2010. Categorias: animais.

Sempre falo aqui sobre meus filhos caninos. Talvez vocês nem saibam que além deles, também tenho uma filha felina chamada Annita.

Em setembro ela completará 17 anos de idade e está comigo desde muito pequena. Na loja em que foi comprada disseram que tinha 2 meses, mas acredito que tivesse apenas 1 mês de vida.

Tem muita gente que fala que não gosta de gatos e eu não entendo porque. Quer dizer, até imagino quais sejam os motivos.

No Egito Antigo os felinos eram cultuados e até mumificados. Séculos mais tarde os coitadinhos foram associados às bruxas e às mulheres, e passaram a ser perseguidos pela Igreja e odiados pelas pessoas. Ainda que não tenham consciência disso, o pré-conceito histórico tem sido transmitido de geração a geração, desde aquela época.

Outro argumento comum entre os que não gostam dos gatos é que são traiçoeiros, que atacam sem aviso. Eu, que convivo com cães e gatos, posso afirmar com toda certeza que felinos são tão traiçoeiros quanto cães podem ser. O que leva a essa impressão é que cães são mais espalhafatosos que os discretos gatos, por isso é mais fácil perceber pelos sinais corporais quando um canino está ficando irritado. Mas basta um pouco de observação para aprender que um pequeno movimento das orelhas pode transmitir muitas mensagens.

A independência dos gatos também incomoda as pessoas, ainda que não de forma consciente. Os cães precisam dos humanos e demonstram isso todo o tempo. Os humanos se acham importantes ao lado dos cães. Já os gatos são mais independentes, o que não quer dizer que não precisem dos humanos, mas estes acabam se sentindo ignorados.

Aliás, a capacidade dos gatos de ignorarem as pessoas quando não estão a fim é algo impressionante! Na RioVet desse ano fui visitar a exposição de gatos de raça. Logo na entrada havia uma bichana linda, toda branquinha. Parei para admirá-la e naquele instante ela resolveu que era hora do banho. No meio do salão, barulhento e cheio de gente, a gatinha começou a se lamber meticulosamente como se não houvesse ninguém mais no mundo! Nós humanos, deveríamos desenvolver essa capacidade de concentração. Seríamos muito mais produtivos no trabalho.

Mas voltando a falar da Annita, ela agora é uma senhora e já não faz muito além de comer, dormir e tomar um solzinho. Por isso acabo escrevendo mais sobre os cães, que são novos e estão sempre aprontando. Annita já teve a fase dela também.

Quando me casei, o maridão dizia que não gostava de gatos, embora jamais tivesse convivido com um. Mas como Annita já estava comigo há 7 anos, ele não teve outra saída além de aceitá-la. Durante anos ele deu a impressão de que a ignorava, mas aí ela ficou doente e flagrei o maridão fazendo carinho e cochichando para a gata “você vai ficar boa”.

Se você é daqueles que diz que não gosta de gatos, mas nunca conviveu com um, dê uma chance. Você irá descobrir que ter um bichano em casa é como ter um pequeno pedaço de vida selvagem. A beleza de um gato caminhando ou brincando de caçar uma bolinha, não pode ser superada pelo mais lindo cão do mundo.

Rachel Barbosa
http://caoamado.com.br

P.S.: na foto, uma garra da minha pequena selvagem.

Veja também:

3 Comentários to Gatos

  1. Ila Fox

    Gosto de animais em geral. Qualquer um. Quando criança adorava cães, por serem mais divertidos para brincar e tal. Mas daí veio a adolescência, e aquela necessidade de ficar quietinha no quarto, na minha. Desde então entendi e me apaixonei por estes felinos.

    Tenho dois gatos pretos (adotados da rua, uma longa história, cheguei a fazer um post sobre eles – http://www.ilafox.com/2009/09/les-deux-chats-noirs.html).

    A minha teoria sobre pessoas que não gostam de gatos, é que elas não conviveram o suficiente com um. Tem também aquela frase que diz:

    “”Nada é mais incômodo para a arrogância humana do que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece. O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência e obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor, só as saudáveis”

    beijos!

    [Responder]

    Rachel Barbosa Resposta:

    @Ila Fox, lindos seus bichanos!

    [Responder]

  2. L. R. Maruo

    Parabéns pelo post, Mafalda.

    Ja tem pelo menos 25 anos que temos sempre o convivio contínuo de gatos na casa em que moro. Já passram gatos que conviveram pouco tempo conosco assim como gatos que passaram pelo menos uma década e meia com a minha família.

    Com certeza são independentes e sabem muito bem adestrar os humsnos que habitam com eles os seus lares. Não sei de você, mas os meus gatos sempre me esperam na porta de casa na hora em que chego. Claro que sempre ganham uns carinhos por isso, mas todos os dias estão lá. Tem um dos gatos que quando começa a saltar muito no colo das pessoas, quer comida, e mostra os dentes para a minha mae quando quer o leite. Inteligência? Acho pouco para esses bichos.

    Outra coisa de falar que o bicho é traiçoeiro é pura balela. Somente quando o gato parece estar viajando um pouco que ele fica um pouco estranho.l E com certeza acredito que sejam bichos mais companheiros que os cães. Uma das gatas de casa, sempre está acompanhando a minha mãe.

    Mais uma vez, parabéns pelo post.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br