Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Coisas mais chatas do mundo parte 2


Autor: Mafalda ~ 3 de agosto de 2010. Categorias: Ponto Gê.

paris_hilton

Oi, tudo bem? Sim?! Quem bom… olha comigo é assim….

Hoje eu acordei como todos os dias… cabelo entranhado, bafo e dor de cabeça. Não tomei café da manhã, porque café me da azia. Gostaria de tomar café, mas não consigo. Deve ser por isso que não engordo uma grama. Sim sim, todo mundo vive me dizendo que adoraria ser magra como eu, mas só quem fala é quem não é.

Resolvi então, tomar um suco de laranja, claro que não natural, quem tem tempo para fazer suco natural de manhã cedo. Eu já acordo faltando cinco minutos pra me atrasar, se tiver que fazer suco natural ainda. Tenho que acordar duas horas antes. Agradeço por não ter que pegar trânsito, ainda, para ir ao trabalho. Aqui onde moro, para pegar transito só se eu entrar atrás de um enterro.

Bom, dane-se o suco, tomo um achocolatado. Teoricamente era pra eu conseguir engordar, mas tudo bem. Depois do ritual, acorda, enrola mais um pouco, levanta, toma alguma coisa, valendo até refrigerante sem gás, escova os dentes e vai trabalhar, eu finalmente chego no escritório.

De manhã o tempo passa mais rápido. Era pra ser bom, mas o dia não termina de manhã, então ainda vem a parte da tarde que é mais longa. Que raiva. Depois de muito trabalhar e atender umas dez ligações erradas. – É do Frigosil? Não! –Me vê três postas de bacon… – Desculpe aqui não é do Frigosil, – É da onde?

Putz! Tu não queria o Frigosil? Aqui não é… para que quer saber de onde é então?! Desocupa a linha que tenho mais telefonemas errados para atender.

Depois de um dia assim, chego em casa podre e com raiva do Frigosil. Queria fazer academia, no final do dia, meu sonho é poder dizer por ai que estou no auge da minha forma física e psicológica, mas nunca chego lá em nenhum dos dois.

Mas tenho potencial, sempre fui assim, uma guerreira. To sempre em busca do meu máximo. Do melhor de mim. E não quero ser só um rostinho bonito não. Quero conquistar todos os meus objetivos. Já falei para vocês dos meus objetivos?!

Está de saco cheio de ler, eu falando de mim?

Pois é…tem gente que é assim o tempo todo. E é sobre isso que quero falar. Uma das coisas mais chatas do mundo, junto com as filas, tema abordado em outro post. Quero falar das pessoas que só falam de SI.

Abro uma ressalva para lembrar que: quem fala de si, já está falando dela própria, quem diz ‘de si mesmo’ está comentando um pleonasmo, outra coisa muito chata.

O que para muitos é uma qualidade, para uma pessoa chata, ser perseverante é um defeito. Todo chato é perseverante. Jamais desiste. Nem mesmo o silêncio é capaz de calá-lo. E os chatos que só falam de si então.

O maior erro que se pode cometer diante de um autodialogador é perguntar se está tudo bem com ele. Jamais, em hipótese alguma, nem sob a mira de uma arma, pergunte: tudo bem e com você?! Pronto, vai começar um discurso daqueles… É daqueles ali de cima…

Com gente que descreve todo o seu dia, gente que já perdeu a família inteira, cada um de uma doença diferente, quando não são eles que tem todas as doenças, gente que está pegando mais mulher que o maníaco do parque, que está ganhando mais dinheiro que político brasileiro, que está investindo mais que bolso de valores.

Para um chato que só fala de si, a vida boa ou uma merda não importa, o que importa é contar ao mundo, abrir o coração para todo mundo, mesmo que você tenha acabado de conhecer a pessoa na fila do banco. Está ai a combinação perfeita para um atentado terrorista, fila de banco e gente falando de si em voz alta.

Se ninguém detonar eu aperto o botão.

Pense nisso antes de sair por ai dando uma de Bruna Surfistinha, abrindo-se para todo mundo.

Beijos Gê

Para ler o post Coisas mais chatas do mundo – parte 1- Clique Aqui!


Ponto Gê: nem a pau, Juvenal…


Autor: Mafalda ~ 24 de novembro de 2009. Categorias: Ponto Gê.

Não, não e não.
Nada disso.
Fora de cogitação.
Não existe a possibilidade.
Nem a pau, Juvenal.

Dizer ‘NÃO’ é uma tarefa complicadíssima para muitas pessoas. Muitas mesmo. Não para mim. Sempre tive muita facilidade de trabalhar a palavra. Na verdade, eu adoro trabalhar essa palavra. Dizer NÃO representa descanso, tranqüilidade e ausência de problemas. Dentro do meu mau-humor hereditário, dizer não é rotina em minha vida. Isso não me torna uma pessoa negativa, certo? Não?

Na maioria das vezes, um SIM representa uma série de coisas ou acontecimentos que você nem imaginava antes de dizer a palavra. Agora um NÃO, no máximo vai te levar a um ‘porquê’, e para facilitar o diálogo é só emendar, “Porque não”. FIM. Simples como hidrogênio (H).

Tenho uma lástima muito grande para com as pessoas que não sabem dizer não. Muitas vezes falta até a minha compreensão para isso. Mas estive pensando, como aquelas pessoas que sempre dizem SIM, lidam com situações que deveriam dizer NÃO.

Dessa forma resolvi eleger algumas situações que suas respostas devem ser uma das alternativas citadas no início deste texto. Vamos lá.

O marido diz:
-Amor, a minha mãe pediu…

Você:
Não, não e não.

Nada disso.
Fora de cogitação.
Não existe a possibilidade.
Nem a pau, Juvenal.

- Amor, você não acha que este vestido está curto demais?
- Não.

- Amor, vou ficar até mais tarde na empresa. Tenho uma reunião importante. Ok?
- Nada disso.

- Amor, sabe aquela sua amiga solteira? Então, sabe aquele meu amigo…
- Não existe a possibilidade.

- Amor, eu estou um pouco cansado hoje, (domingo tem corrida na televisão), quem sabe se nós deixássemos esse almoço com a sua mãe para outro dia.
- Fora de cogitação.

- Amor, você promete que vai no shopping, mas não vai comprar nada?
- Não existe a possibilidade.

- Amor, esse vai ser meu último copo, prometo?
- Nem a pau, Juvenal.

- Amor, tem certeza que você não sabe onde está aquela camiseta que eu trouxe de Porto Seguro? Aquela escrita: Salvo as lindas e afogo as feias?
- Não, não e não.

- Amor, traz uma cervejinha gelada pra gente, o jogo já vai começar.
- Não existe a possibilidade.

- Amor, a empregada ligou. Ela não vai poder vir e tu sabes que hoje é dia do poker com os caras, então se tu pudesse…
- Nem a pau, Juvenal.

E a clássica…

- Amor, o problema sou eu, não você.
- Disso tenho CERTEZA.

Para essa pergunta, estão todos autorizados a dizer SIM.

Um beijo





Busca

© 2007-2020 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br