Porque fazer humor e podcast é uma arte

































Mona Pop – Pitty


Autor: musicmoon ~ 25 de agosto de 2009. Categorias: Mona POP.

Depois de quatro anos sem lançar um álbum de inéditas, a cantora baiana Pitty lançou agora no último dia 11 de agosto Chiaroscuro, o terceiro de estúdio. O nome foi escolhido de acordo com a preferência dos fãs, que mandaram seus votos por celular. Entre as opções disponíveis estavam “Chiaroscuro” e “Entre o preto e o branco”.

Nascida em Salvador, Pitty foi criada em Porto Seguro. Passou por algumas bandas baianas independentes e, além de cantar, já tocou bateria. Ela está para completar 32 anos em outubro e está na carreira solo desde 2003.

Em seis anos de carreira, já ganhou em torno de 38 prêmios, como por exemplo no Video Music Brasil, da MTV, que a escolheu três vezes seguidas como vocalista da banda dos sonhos. A banda que acompanha a artista é formada atualmente por Duda (bateria), Joe (baixo) e Martin (guitarra). O primeiro single do novo disco é Me Adora, que foi lançado em julho passado.

Suas canções em geral falam sobre pessoas e tudo o que diz respeito a elas. Nas palavras de Pitty, “uma investigação sobre o ser humano como um todo”. Eu normalmente gosto das letras dela, principalmente pelo seu tema não ser muito abordado no cancioneiro brasileiro. Temos uma tradição muito forte de cantar nossos sentimentos de amor e sofrimento, e poucos expoem o ser humano a uma análise um pouco mais detalhada.

Também é, musicalmente, uma artista que me agrada bastante. Vemos por aí muita música não óbvia, que não remetem a algo já ouvido… mas isso é difícil de vir junto com música gostosa de ouvir. E Pitty junta isso muito bem. Além da bela voz, claro. Mesmo tendo esse estilo mais pesado, ela tem uma voz firme sim, mas limpa e de um timbre muito bonito, com bastante projeção e bastante técnica. Uma ótima artista brasileira da nossa geração.

Beijos,

Luana


Fora de Moda: Pin Ups


Autor: Mafalda ~ 25 de fevereiro de 2009. Categorias: Mona POP.

Eu sou Queiroz, e hoje estou aqui para falar das pin ups girls, algo aparentemente fora de moda, mas que está sendo visto como um novo estilo para as jovens fãs de Amy Winehouse e Pitty.

Qual é a origem das pin ups?

O termo documentado pela primeira vez em 1941, referia-se a desenhos que imitavam muito bem as imagens de fotos de mulheres sensuais em roupas intimas de preferência de espartilho e meia calça.

A Betty Boop é um bom exemplo de pin up. Mas, talvez por terem se cansado de verem apenas desenhos de mulheres para pendurar na parede, começaram a contratar modelos para serem pin ups.

A maior representante das modelos pin ups, é sem dúvida Bettie Page que faleceu no dia 11 de dezembro, do ano passado. A Bettie Page era considerada o símbolo da mulher independente do pós-guerra. Acontece que Bettie tinha que disputar nada mais, nada menos com Marilyn Monroe, o que fez uns considerassem a loira a pin up criada pela mídia e a morena a pin up subversiva.

É engraçado pensar nos dias de hoje que a Bettie Page chegou a ter que depor por terem sido suas fotos consideradas apologia ao sadomasoquismo, pelo então presidente do senado Carey Estes Kefauver.

Mas, o que é uma pin up hoje em dia? Além das já citadas Amy e Pitty, vemos muitas adolescentes com vestido com saia godê e os ombros e braços com belas tatoos. Se você garota que está lendo esse texto quiser se tornar uma pin up é bem simples, basta vestir aquele vestido que você usou para aquela festa anos 60, após ir claro no tatuador adornando seus braços e ombros com belas imagens que você está dentro da parada.

Afinal se até a Eliana “Dedinhos” pode, você também pode.

Queiroz

http://escritosmalditos.blogspot.com/

http://www.movieyou.com.br/voce/





Busca

© 2007-2020 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br