Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Steve Jobs e sua maior criação



Por Mafalda - 8 de outubro de 2011. Categorias: Mona em Família, Mona POP.


Steve Jobs com sua filha Lisa

Este post não irá ressaltar a brilhante mente criativa de Steve Jobs , como muitos outros posts e matérias em portais já o fizeram muito bem! Mas irá falar um pouco da vida pessoal e familiar do Gênio da Apple.

Lendo algumas matérias na internet, alguns detalhes me chamaram a atenção. Detalhes valiosos que podem servir como aprendizado para nossa vida, muito mais que um ipod, ipad, iEtc.

Aos formandos de Stanford, disse Jobs: “  Tudo começou antes de eu nascer. Minha mãe biológica era jovem e não era casada; estava fazendo o doutorado, e decidiu que me ofereceria para adoção.“  Isso aconteceu em 1955. Será que hoje em dia a jovem doutoranda teria optado pela adoção?  Se observarmos a visão da maioria no mundo atual,  talvez a decisão da mãe de Jobs fosse outra, e o mundo não conheceria Steve Jobs, muito menos suas criações.

Curiosamente, desculpem a minha “viagem” e acredito que psicólogos também terão uma viagem parecida ou até maior que a minha, mas Steve escolheu como logo e marca de sua empresa uma Maça Mordida.  No inconsciente coletivo esta maçã mordida é o símbolo da tentação, do pecado. E Jobs era o fruto disso, um fruto rejeitado. Não sei se ele perdoou os pais biológicos por esta rejeição, mas pelo que li nos jornais, ele não quis manter proximidade e nunca encontrou-se com seu pai.

Em um trecho de uma matéria que saiu na G1 e em outros portais, sobre o relato do médico que acompanhou os últimos dias de Jobs:
“…a maior fatia de seu tempo era destinada à família. “Perguntei se ele gostava de ter filhos”, disse Ornish ao “New York Times”. “Steve disse que era 10 mil vezes melhor do que qualquer coisa que ele já tivesse feito.” “Ele não queria desperdiçar um minuto com coisas que ele não achava importante.”

Jobs, ainda novo, com 20 e poucos anos, teve uma filha chamada Lisa, que a principio ele não reconheceu e não quis conhecer.  Porém, um dos primeiros computadores que criou, batizou de Lisa. Quando a filha era adolescente, chamou-a para passar as férias com ele, e quando Lisa entrou na faculdade, passou a morar com o pai, a madrasta e seus meio-irmãos. Steve incentivou-a não só na faculdade, mas também a se tornar escritora como a tia: Mona Simpson, a irmã biológica que Jobs manteve contato e proximidade.

Para Steve Jobs, sua maior criação foram seus filhos. E não é preciso nenhum gênio para realizar isso. Os filhos também mudam nossa visão e modo de se relacionar na vida, são uma revolução pessoal. Não significa que Jobs era um paizão presente. Tanto que ele resolveu contratar um escritor para fazer sua biografia, para que os filhos o conhecessem, justamente por passar mais tempo na empresa do que em casa.

Porém, Jobs não se despediu do mundo cercado dos seus aparelhos inovadores, mas sim de sua família: aqueles que o amam e ele ama. E é isso que realmente importa, no final das contas, para alguém se sentir feliz e levar consigo o amor daqueles que sentirão falta e saudades da pessoa que ele realmente era, e não aquilo que ele fez ou deixou de fazer.


fonte da imagem: http://www.dailymail.co.uk/news/article-2046031/Steve-Jobs-death-Apple-boss-tangled-family-inherit-8-3bn-fortune.html


Jobs e sua familia

 

 

 

Veja também:

11 Comentários to Steve Jobs e sua maior criação

  1. Keera Moon

    Quando a gente sabe que estamos no fim da nossa vida? Hoje em dia esse momento pode ser agora. Com tanta violência, doenças, guerras, conflitos, etc não se pode prever quando vai acontecer a nossa morte. Esperar as férias, um feriado para curtir e aproveitar a companhia da sua família e dos nossos amigos será a atitude mais correta? Minha mãe tinha uma mania de guardar roupas de cama e mesa para ocasiões especias, quando meu avô, o pai dela, morreu, ela tirou muitas dessas coisas dos armários onde estavam guardadas e passou a usar diariamente. Ela me disse, “Filha as ocasiões especiais tem que ser feitas agora, e não esperar que elas aconteçam. Amanhã podemos não estar aqui para vivê-las.”
    Preciso dizer mais? Um abraço e boa viagem Mr.Jobs.

    [Responder]

  2. André Ruz

    Esse vai fazer falta no nosso mundo…

    [Responder]

  3. Maria Lima e Silva

    O Mauro Santayana escreveu um texto interessante sobre o
    papel político do Steve Jobs, no link:
    http://www.maurosantayana.com/2011/10/tecnologia-arte-e-politica.html

    [Responder]

  4. Will

    Perdemos uma grande mente revolucionaria, sentiremos falta espero que seus ensinamentos foram absorvidos por toda a equipe da Aple para cada vez mais no surprienderem…

    “Stay hungry. Stay foolish” – Steve Jobs

    [Responder]

  5. Rafael Kaen

    Quando vi aquele discurso que ele fez para os formandos da faculdade americana, suas palavras me tocara, achei muito bonito tudo que ele falou e concordo com o que foi dito naquele dia!
    Espero que o pensamento dele faça com que a apple cresça ainda mais e que surgam mais mentes criativas como ele!

    [Responder]

  6. Rebecca Agra

    Sem dúvida uma grande personalidade e uma pessoa que nunca deixou de aprender.

    =)

    [Responder]

  7. Ricardo Ferro

    Belo texto, Mafalda.
    Lembrou-me um fato recente.
    Há um tempo precisei com urgência ser encaminhado a um hospital e havia risco de precisar de uma cirurgia de emergência.
    No pouco tempo que eu teria para pensar naquilo, tive a companhia de minha irmã mais velha ao meu lado. Ela me viu chorar e perguntou se era dor. Eu respondi que não, era apenas medo de não conseguir sobreviver àquele momento e não poder ter estado mais tempo – e naquele momento, inclusive – com minha filha e meu filho, pequenos ainda. O medo de morrer não me veio por correr o risco de desaparecer, mas sim por não poder estar acompanhando meus filhos no caminho de crescimento deles. Pedi a minha irmã que qualquer que fosse o desfecho daquela situação, que ela estivesse ao lado de minha filha menor, cuidasse dela por mim.
    Parece melodramático demais lembrar disso agora, mas na iminência de ver-me distante dos que amo, senti, naquele momento, a importância que podem ter pra mim e a que eu posso ter pra vida deles.
    .

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Obrigada, Ricardo.

    São nestes momentos que a gente vê que muitas coisas se tornam tão bestas e sem importância, não é? Senti muito isso, não faz muito tempo, quando tive problemas de saúde na família.
    Que bom que tudo correu bem e você está firme por aqui!:)
    Um abração!

    [Responder]

  8. Ronald

    “A morte é a curva da estrada,Morrer é só não ser visto…”. Sempre que penso na morte é essa frase que me vem na cabeça, a brevidade da vida é um fato irreversível e mesmo assim não aceitamos esse fato. Steve Jobs viveu intensamente, tanto que sua vontade e busca chegaram até nós em forma de revolução. Como profissional de TI não tenho como deixar de perceber a importância que ele teve na área, as mudanças que ele possibilitou e participou. Mas acima de tudo, ele era humano. Talvez poucos dos heróis que se mostrou dessa forma, com seus erros, suas derrotas, sua doença terminal. A diferença dele para outros grandes da área é que ele não dizia, tome você vai usar isso. Não, ele dizia, olhe pra isso, eu pessoalmente supervisionei a criação disso e acho que você vai achar muito útil. Ele te convencia de usar uma coisa que em nenhum momento você precisava, mas que ao descobrir que existia passava a ser indispensável. A relação com a filha, Lisa, também demonstrou esse lado humano. Ao rejeitá-la ele agiu como muitos pais fazem, ao se arrepender fez como poucos. Muitas coisa a dizer sobre Jobs, ficam aqui meus 20cents nessa discussão.

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Muito bom seu comentário, Ronald! Valeram os 20cents de contribuição.
    Abs

    [Responder]

  9. sueli

    Acabei de ler a biografia de Steve Jobs, é fantástica, são 600 páginas que a gente não quer parar de ler. Tudo que a Apple é hoje se deve a genialidade de Jobs, claro com a colaboração sempre dos melhores engenheiros. Se quer saber tudo sobre Jobs leia o livro é de Walter Isaacson e vale a pena.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br