Porque fazer humor e podcast é uma arte
































O caso das trigêmeas de Curitiba e a bebê rejeitada pelos pais



Por Mafalda - 4 de abril de 2011. Categorias: Mona em Família.

Estou lendo um livro que traz o embate entre Materialistas e Espiritualistas.

E vendo este caso das trigêmeas de Curitiba, fico imaginando o que os Materialistas irão dizer sobre isso.

O pai recusou uma das meninas nascidas, pelos aparentes motivos que saíram nos jornais e nas tvs: ele queria só duas crianças e a terceira estava com problemas de saúde.

Pensando melhor, a história está mal contada, pois o médico disse para a imprensa que o casal sabia desde o inicio da gestação que eram 3 crianças. Como o caso está correndo em segredo na Justiça, tem outras partes da história que não sabemos.

Mas vamos pegar de exemplo o que saiu na mídia: os pais rejeitaram a filha mais fraca, com problemas nos pulmões. No livro que estou lendo, os Materialistas e evolucionistas acreditam que não há alma, não há livre-arbítrio, que nossas vontades são apenas conexões cerebrais e que nossas ações e decisões: pessoais e coletivas, determinam nossa evolução como espécie humana.  Os materialistas e evolucionista ainda tentam explicar (sem muito sucesso) pessoas que fazem caridade, e que dedicam sua vida para cuidar dos outros, em detrimento próprio, pois isso vai contra a “evolução”. Dizem eles que este tipo de pessoa a “evolução” está fazendo com que diminua.

Eles estudam os animais, e segundo sua convicção o ser humano seria apenas um animal melhor evoluido.E eu lembrei desta parte do livro e  do caso da bebê rejeitada, porque os animais também rejeitam seus filhotes mais fracos.

Não digo aqui de jeito e maneira nenhuma que sou a favor da idéia de humanos imitarem animais irracionais  e rejeitarem os filhos. Não aprovo, aliás eu não sou do time dos materialistas, muito pelo contrário. Antes que entendam errado. Aliás, já acho uma falta de humanidade  o congelamento de embriões não implantados (quando não são descartados).

Mas fico imaginando o que os materialistas pensam sobre este caso.  Afinal com o tamanho do escândalo geral, como a falta desta humanidade na decisão de abandonar uma das filhas: a mais fraca, como o sentimento público vai direto contra a teoria de que somos simples animais melhor evoluídos, feitos só de matéria.

Beijos,
Mafalda

Veja também:

5 Comentários to O caso das trigêmeas de Curitiba e a bebê rejeitada pelos pais

  1. Maxoel Barros Costa

    Há vários casos na natureza onde ocorre solidariedade ou colaboração entre indivíduos, inclusive entre espécies diferentes. A descrição de Evolução do texto é compartilhada por quem não conhece o assunto. O Altruísmo é estudado como uma característica biológica e nem é exclusividade dos humanos (Dois livros bons que falam sobre o tema e que recomendo: “O Gene Egoísta”, de Richard Dawkins, e “A Origem da Solidariede”, de Matt Ridley). Inclusive, o Dawkins afirma que os seres humanos são os únicos animais que podem tomar decisões que nada tem a ver com a sua origem biológica, incluindo aí não rejeitar filhos mais fracos e até mesmo optar por não ter filhos.

    A verdade é que há uma tendência generalizada em categorizar as boas ações de humanas e culpar o lado animal pelas ruins, quando há exemplos claros de que ambas fazem parte da natureza humana. Vários estudos com primatas revelam que há, sim, exemplos onde os mais fortes defendem os fracos. O caso da bebê rejeitada é filhadaputice pura e simples, característica bastante humana.

    [Responder]

    Mafalda Resposta:

    Sim, é verdade Maxoel. O ser humano pode ser filhodaputa e cruel como nenhum outro animal.

    Mas sobre o livro em questão e o altruísmo, eu lembrei também de animais que ajudam outros, pássaros que chocam ovos de outras espécies, adoções de uma espécie por outra, seguindo um instinto materno e de proteção,mas acredito que o autor estava falando da pessoa que dedica toda sua vida, seu trabalho a ajudar outros, sem ter aí no caso um instinto.

    O livro chama-se “O cérebro espiritual”, e é escrito por um neurocientista, Ph.D, da Universidade de Montreal. Muito interessante, recomendo também. :)

    Abs

    [Responder]

  2. Ronald

    Pensei bem no que escrever sobre esse assunto, sinceramente não consegui pensar em nada. Fico totalmente descrente da raça humana quando vejo esse tipo de notícia, uma mãe (nem falo sobre o pai) deixar selecionar quantos filhos levar para a casa. Vamos na quintanda, pega ai duas bananas. Desde quando maternidade virou supermercado?

    [Responder]

  3. Ruz

    Isso é muito estranho.. nem dá pra acreditar que é coisa de uma familia moderna.. Fazer isso com um filho é demais.. porém, um casal que bota filho no mundo pra ficar pedindo esmola por aí também não é muito diferente..

    [Responder]

  4. Santos

    Estou na fila de espera para adoção. Se for indeferido o pedido de reconsideração na Justiça, e se tiverem dificuldades em adotar, eu e minha esposa aceitamos.

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br