Porque fazer humor e podcast é uma arte

































O dia em que levei três foras!


Autor: Mafalda ~ 7 de julho de 2010. Categorias: Ponto Gê.

mulher de saco cheio

Tem dia que a gente levanta e nem sabe o que nos espera.

Pensando melhor, deveria ter prestado mais atenção aos sinais. Pela manhã, minha gata tinha rasgado os sacos de lixo e feito a maior bagunça pela casa. Fui limpar, escorreguei e cai na sujeira, inclusive sujando meu cabelo que no dia anterior tinha feito uma super hidratação e escova. Fui tomar banho e no banheiro só tinha shampoo sem sal, que deixa meu cabelo uma porcaria.

Tudo isso deveria ter sido o suficiente para eu entender que os astros não estavam a meu favor, não que eu entenda alguma coisa de astros, só que era evidente minha má sorte do dia!

Pela tarde resolvi ligar para o gatinho, com voz ligeiramente apaixonada, e convidar para um programinha a dois.  Ele não atendeu, mas 10 minutos depois mandou mensagem dizendo que estava com saudade mas hoje não poderia me ver. Não estamos num relacionamento propriamente dito, então isso foi o suficiente para acreditar que não era minha noite de sorte.

Lá pelas 19 horas recebo uma mensagem no celular do ocupadíssimo gato com foto dele no bar com um amigo, mostrando o copo de chopp.

O sangue subiu, pensei em pelo menos 3 formas de acabar com a vida dele (entre elas o empalamento). Lembrei que deveria respirar. Concordei que mandar e receber mensagem enganada é a pior merda que existe!

Respondi a mensagem: “Agora já tenho uma foto sua pelo menos”. Isso porque eu prefiro dar o troco pessoalmente, por isso mante-lo sentindo-se seguro de que não estava brava fazia parte do plano.

Ele fingiu que tinha brincado comigo e disse que estava com saudade! -.-’

Fui lamentavelmente trocada por sei lá quem. Um fora.

Mas pensei que em outro dia me vingaria do cretino mentiroso. Naquele dia eu só queria uma atençãozinha.

Como tudo na vida precisa ter duas opções, parti para leves provocações do meu príncipe encantado da adolescência que é sempre uma boa companhia de conversas no MSN – apesar do encanto dele ser uma história complexa que explico outro dia.

Fazia tempo que nós não conversávamos, mas resolvi puxar papo só para esnobar mesmo. Ele começou com gracinhas e comecei a cortar.

Minha surpresa maior foi quando ele começou a ficar irritadinho: disse que não iria mais falar nada, que a amizade continuava e não queria meu mal, mas sabia que estava na hora de se afastar de mim (?!).

Fiquei BEGE!!  Era impressão minha, ou eu estava recebendo meu segundo fora da noite?

Como meu dia estava quase acabando, resolvi emendar um “você quem manda, chefe” e efetuei o devido bloqueio no príncipe encantado.

Desisti de sair e puxei papo com um amigo/casinho, ainda no MSN …  que miséria de vida viu, deveria ter saído.

O amigo/casinho convidou-me pra ir à casa dele, graciosamente esquivei do convite, mas ele resolveu fazer a pergunta fatal e estragar o espírito leve da conversa. Questionou-me qual o motivo de nunca aceitar ir à casa dele. Disse que não estava querendo ser o jantar dele.

Ele ficou irritado, disse que não convidaria mais, grosso de marca maior. Pronto, TRÊS foras redondos!

Olha, esse negócio de se fazer de boba e manter vários casinhos para só alguns momentos não dá sempre tão certo quanto se planeja!

Abrindo a agenda para dois novos contatos, já que do gatinho do chopp eu ainda não desisti.

Geraldina





Busca

© 2007-2020 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br