Porque fazer humor e podcast é uma arte
































MTV 20 anos – uma divisora de águas



Por Phoebe - 20 de outubro de 2010. Categorias: Mona POP, Sofá da Mona.

Agora em outubro a MTV Brasil completa 20 anos. Quem é novinho e já cresceu na era MTV provavelmente não entende, mas quem já está na faixa dos 30 e viveu aquele momento, sabe o quanto ele foi especial.

Estávamos em uma época em que não existia internet, MP3 e Youtube. Acompanhávamos as notícias sobre música através das revistas – especialmente a Bizz, que depois se tornou Showbizz -, e pelo Fantástico (momento “teu passado te condena”). Lembro até hoje da expectativa que se formou antes da apresentação do clipe “Black or White” do Michael Jackson, a Globo anunciando dias antes que passaria o famoso clipe durante o Fantástico… Dentre os artistas brasileiros, praticamente não havia a produção de videoclipes, a não ser aqueles produzidos pela própria TV Globo. E a música em si era artigo raro: lembro de passar horas diante do aparelho de som, devidamente sintonizado na rádio Transamérica, esperando que tocassem alguma música em especial que eu gostaria de gravar na fita cassete. E essas gravações eram péssimas, claro, porque sempre vinham com a voz do locutor ou com uma vinheta anunciando o nome da rádio bem no meio da música.

Nesse cenário, a notícia da vinda da MTV para o Brasil soou como uma promessa de liberdade. Teríamos música de boa qualidade 24hs, com acesso aos melhores videoclipes internacionais e notícias sobre o cenário musical do Brasil e do mundo.

Só não esperávamos que a MTV viesse com tanta qualidade. Era uma verdadeira coleção de excelentes profissionais encaixados em programas com formatos inovadores. Claro que, como todo grupo de jovens, tratamos logo de eleger os nossos VJ’s preferidos e os nossos “musos” e musas inspiradores (a queridinha dos meninos era, de longe, a Cuca Lazarotto, e as meninas suspiravam por Gastão e Zeca Camargo – até então, Edgar Piccoli ainda não fazia parte do canal).

No embalo das comemorações, a MTV apresentará o Top 20 Brasil com Cuca Lazarotto, Sabrina Parlatore e Sarah Oliveira. Ótima chance para matar a saudade das meninas!

TOP 20 Especial, com Vanessa Hadi, Cuca, Sabrina e Sarah

Dia: 20/10 – quarta-feira, às 16h30, com 2hs de duração, no canal da MTV

Para ficar perfeito, faltava apenas um especial com Gastão, Edgar e Thunderbird!

Saiba mais sobre a programação de aniversário! http://mtv.uol.com.br/20anos/

Beijos da Phoebe!


A primeira geração de VJ´s da MTV Brasil – a foto é do excelente post de Zeca Camargo na G1 falando do começo da MTV. Clique aqui para ler.

Veja também:

8 Comentários to MTV 20 anos – uma divisora de águas

  1. @bookeatingboy

    Este post é, na minha opnião, uma comemoração à nostalgia que gerou os #mtv20anos, isso sim!

    Foi exclusivamente elogiado e mencionado o passado, de quando era legal assistir MTV. Bons tempos aqueles…

    #nerdnadepressão assistindo #MTV20anos

    Hahahahahah

    [Responder]

  2. Ronald

    Sim, é coisa de velho. Mas faz muitos anos que não assisto mais a MTV. Antes havia uma diversidade maior de conteúdo, hoje ele se foca desesperadamente naquilo que está na moda. Basta ser top 10 no Twitter ou super-comentado no facebook que lá está com clipe e entrevista na MTV. A MTV já teve ao mesmo tempo programa de Rap, Black, Rock pesado, Rock alternativo, POP. Bons tempos em que o Zeca Camargo vinha com suas entrevistas históricas, como aquela com o Renato Russo. Hoje, vemos Mariana Lua entrevistando P-Lu e P-Lanza, lamentável.
    Sei que não dá pra tocar Smiths e Cure a programação inteira, mas que falta faz o Fábio Massari, as notícias, os especiais. Enfim, mudança nem sempre é pra melhor.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Ronald,
    Ronald, eu assisto coisas não musicais na MTV, ironicamente (Furo, 5a categoria, Comedia MTV, Fudencio e Katylene). Do ponto de vista de música mesmo, faço minhas suas palavras. Creio que para sobreviver no mercado, a emissora precisou captar um público mais e mais jovem. E nisso, nós ficamos “passados” para a emissora. Acho que a idéia não é mais informar e educar o ouvinte como nos tempos do velho Massari. Galerinha não quer isso, não dá audiência. Infelizmente, pra sobreviver, muito bons progrmas saíram da grade. Tempos de Restart ganhando VMB…sinf snif..

    [Responder]

  3. Mafalda

    A Eubalena ADORA Restart!!!! :D
    Falando sério, eu gosto do Furo MTV – é parecido com a Rádio Monalisa de Pijamas. Eu não sabia disso, tinha visto no jornal quando iam estrear e depois de muito tempo que fui ver.
    Foi uma boa surpresa!
    Acho que a MTV está virando um Canal de entretenimento, não só musical. Assim como também acontece com sua versão americana, que tem até um reality show sobre jovens mães.
    Bjs

    [Responder]

  4. Ronald

    É estranho, mas o mesmo aconteceu com as rádios rock de São Paulo. A 89FM era a minha preferida, mas no começo de 2000 ela caíu assustadoramente de qualidade e hoje é o que é. Meu último refúgio foi a Brasil 2000 que também não demorou muito para ir pro buraco. Lembrando que Fábio Massari e Kid Vinil eram responsáveis pela programação musical da Brasil 2000 naquela época. Certa vez perguntei pra um dos locutores da 89FM porque aquela mudança na programação, ele foi bem claro: pra que a rádio não fosse vendida para uma igreja qualquer. Hoje em dia não ouço mais rádio. Enfim, coisas do mercado.

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @Ronald,
    ROnald, essa radio segmentada migrou pra internet. Mas no carro vc nao sintoniza mais coisas tão boas qto nosso velho tempo (embora vc deva ser bem jovem ainda). Eu moro em RIbeirão PReto, interior de São Paulo de desdr 1990. Qdo cheguei aqui, vibrei com radios como Transamerica (parecida com a antiga Antena 1/ Campinas) e mesmo o inicio da Joven Pan. Tínhamos SObrinhos do Athaide, tinhamos musicas bacanas acontendo. Tb tinha a critica da presença pequena da MPB na programação. Bom, mas tinhamos a Melody aqui etc neste nicho. O que ocorreu nesse tempo? De um dia pro outro, a Transamerica passou a transmitir programa religioso. As outras radios sambaram pra sobreviver. E houve (o pior!) um boom de axé e musica sertaneja. Aqui em RIbeirão, se vc curte rock e musica com mais qualidade, é como se fosse alguem com visão no meio do livro ENsaio sobre a Cegueira do Saramago! rsrsrs. É muito difícil até achar um lugar pra sair legal, ainda mais numa faixa etário acima de 30. Eu vejo hoje um processo de ditadura da juventude, da estética (sertaneja, pop colorido, axé, eletronica) muito definido. Talvez o que esse pessoal sentia na época dos bons tempos das rádios de rock. Talvez estejamos vivendo a vingança da massa sem bom gosto (porque nosso gosto é sempre o melhor rsrsr) que foi oprimida pelo rock durante um tempo…será?
    Gosto muito dos seus comentários!Sempre me fazem parar pra pensar e é irresistível, preciso responder com um comentário quw fica gigante rssrs! Valeu, apareça sempre!
    Abraços

    [Responder]

  5. Ronald

    Eu sempre me pergunto se estou velho demais, ontem mesmo conversei com meu irmão sobre isso. Das pessoas que ainda vivem uma época que não é mais essa, um saudosismo desmedido. Acho que meu tempo de punk-rock passou, e o que aprendi com ele é a base de como vejo a vida hoje. Queria muito ter vivido no pós-punk e ter outra visão da vida, mas não vivi. Meu tempo sempre foi o do grunge e mesmo ouvindo punk e pós-punk a minha vida toda sei que não é minha vida, pois não respirei o ar daqueles tempos.
    Hoje, olhando a programação da MTV penso como meus avós: é o fim do mundo. Que tipo de formação pode ter uma pessoa que ouve Restart? Saimos de um tempo em que a música fazia algum sentido, falava sobre a nossa vida, pra cair num vazio sentimental. A minha preocupação não é o que as pessoas ouvem hoje, mas como elas vão encarar a vida amanhã. Vi na MTV certa vez o porcaria do Badauí xingando uma senhora porque ela achou ruim dele estar passeando com seu cachorro na calçada, e esse mesmo animal (leia como quiser) mijava e cagava na calçada. Esse é o respeito que teremos pelos velhos daqui alguns anos? Esse tipo de pessoa é que são os formadores de opinião de amanhã? Pois bem, a discussão é essa pra mim.

    [Responder]

    Phoebe Resposta:

    @Ronald,

    Verdade, Ronald. Também questiono bastante isso, mas acho que ainda há esperança. Uma boa surpresa, ao menos para mim, foi o seriado Glee. Ver pessoas jovens discutindo temas sérios e importantes com uma abordagem divertida (como sexualidade, morte, fé, desilusões amorosas, homossexualismo, caráter etc), e com um bom pano de fundo musical, foi gratificante. Através do Glee, tive acesso a muitas músicas que eu não conhecia e acabei gostando, e que vim a descobrir depois que eram de novos artistas que, só de ouvir falar o nome, eu já revirava os olhos, como a tal da Lady Gaga! rs! E eles fazem uma mistura, há músicas novas mas também uma excelente reedição de músicas e artistas mais antigos, passando por U2, Bon Jovi, Queen, Beatles, Rolling Stones e até mesmo artistas que eu nunca considerei ouvir por puro preconceito, como a Barbra Streisand. Em um dos episódios da 2a temporada, a atriz principal canta “Papa can you hear me?”, fui às lágrimas durante a execução da música, é muito emocionante! Há reedições de canções de grandes musicais americanos, como a “Defying Gravity”, belíssima; no episódio “Duets” tem uma música de Victor/Victoria. Houve até um episódio em que abordaram músicas idolatradas nos anos 90 e que hoje são consideradas trash, como “U Can’t touch this” e “Ice, ice baby”, falando justamente sobre isso, sobre como uma música considerada ruim pode se tornar interessante.
    Enfim, hoje a minha referência musical, a minha “MTV dos anos 90″, é o seriado Glee – e acredito que o seriado atraia o público dos anos 90 justamente por isso. É através dele que acompanho as novidades do cenário musical e aproveito para matar a saudade de antigas músicas que eu costumava ouvir.
    Bjs!

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br