Porque fazer humor e podcast é uma arte
































Amy Winehouse no Summer Soul em São Paulo



Por Mafalda - 18 de janeiro de 2011. Categorias: Curtindo a Vida, Mona POP.

Estive no Summer Soul em São Paulo no dia 15 de janeiro. São Pedro foi camarada, noite linda e de temperatura agradável. O acesso ao Anhembi foi tranqüilo e o policiamento bem presente. Fiquei animada e pensei: “beleza, vai ser bem organizado”.

No Summer Soul, bandas brasileiras de pouca fama tocaram antes. Ignorei. Eu me programei para chegar para o show da Amy e pronto. Acabei tendo grata surpresa com o show da Janelle Monae, que se iniciava quando cheguei. Som dançante, melódico, um soul com apelo pop. Janelle é dessas que cantam, dançam e capricham no videoclip. Intervalo, aguardamos Amy. A entrada prevista pra 23:15 teve um atrasinho, coisa pouca.

Lá vem Amy, tímida para os próprios padrões, vestido lindo preto-e-branco com alça, bololô indefectível. Cumprimenta a platéia com um “olá”.  O show pode ser dividido em dois. A Amy da primeira parte foi um pouco tímida, esqueceu algumas partes de uma música, coisa pequena. O som do festival não ajudava muito, estava baixo. Defeitos nos telões irritaram a platéia em vários momentos. Após um intervalinho, Amy volta poderosa. Um deleite pra quem é fã de talentos raros como Amy. Ninguém poderia interpretar aquelas canções como ela. Amy e sua obra se misturam e se confundem. A apresentação durou cerca de uma hora. Eu sou fã de Amy há muito tempo e não me decepcionei com seu show. Valeu muito mesmo.

Se a turnê no Brasil marca um reinício para Amy, tudo indica que ela caminha para uma retomada, deixando no passado um comportamento que atrapalhou imensamente sua carreira. Não, Amy não virou uma “boa moça”. Ela sempre vai aparecer mostrando um peito aqui, levando um tombo ali, enfim, levando la vida loca. Mas talvez ela agora tenha mostrado que ainda agüenta uma agenda apertada de shows. Torço, mas só o tempo dirá.


Olha eu aí, com sede e feliz na platéia da Amy!

Todavia… Sempre há um porém… Como descrever a estrutura do festival? Não fiquei na área VIP. Fiquei na platéia. Capacidade máxima, éramos 30.000 pessoas. Ao chegar, começo do segundo show, não havia mais cerveja. Mas o detalhe curioso é que a cerveja continuou a ser vendida. Então você comprava e quando ia retirar não tinha. Não havia devolução do dinheiro sem discussão e até briga. Um segurança do evento, “resolvia” as pendengas relativas ao assunto, gritando “cala a boca” para os consumidores que queriam receber o dinheiro de volta. Outra técnica usada foi o fechamento da janelinha no guichê de venda de fichas. No final do show da Amy, alguns ambulantes de fora do evento, não sei como, estavam por lá vendendo copos de água quente a módicos R$5,00.

A cerveja patrocinadora do evento, descobriu a pior maneira de marketing que eu já vi para distribuir as “vinte” caixas de cerveja que levou ao evento. Andava pela multidão com um carrinho do qual se erguia uma placa enorme com o nome da cerva. Essas placas obstruíram a visão de muitos na platéia. Péssima idéia, o carrinho era enorme, dificultando a mobilidade. Além disso, não havia latas/latões para lixo em lugar algum e você tinha que andar sobre um mar de latas e copos vazios onde quer que fosse. Tombos, tropeços, segura daqui e dali.

Na saída, pegar um taxi era um dos trabalhos de Hércules. Andamos muito tempo até encontrar um taxista que nos “aceitasse”. Motivo: queríamos ir para a Barra Funda, próximo do local. A maioria dos taxistas ou cobrava mais que o dobro para fazer a corrida ou rejeitava. Só aceitavam corridas para zona Sul, segundo alguns. Achei estranho. De onde venho, a gente entra no carro e depois informa onde quer ir. Se for um quarteirão ou cem, escolha minha. Achei preocupante em uma cidade que abrigará jogos da Copa, um comportamento tão deselegante da maioria dos taxistas. Será que o serviço de táxi em São Paulo é assim mesmo? Depois reclamam das ruas lotadas de carros com apenas uma pessoa dentro…
Vocês foram? Como foi pra vocês? Deixem seus comentários !


Clique no retângulo acima para acessar o blog da Ju Teófilo

Veja também:

7 Comentários to Amy Winehouse no Summer Soul em São Paulo

  1. rubia franco

    que invejiinha viu a amy,festivais normal preços altos e empurra empurra no SWU era 10,00 um pão com hamburguer 6,00 um refri! mas fala sério deve ter valido mto a pena ter visto amy!

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    @rubia franco, Rubia, eu sou mega fã (veja a camiseta que eu tava rs) de longa data mesmo, antes do estouro mundial. Torço muito pra que ela retome, como disse. Pra mim foi um momento histórico que valeu muito. Dá um look no meu blog que tem mais umas fotinhos e mais comentários sobre Amy.
    No próximo dela nos encontraremos lá, hein?! Bjs

    [Responder]

  2. Midori

    Ju, fico feliz pela Amy, mas que coisa mais tibúrcia e de amadores dos organizadores e patrocinadores de um show tão grandioso assim… Será q a Amy tomou toda a cerva????! Bjo.

    [Responder]

  3. fabbio

    fala serio ne…..oque eu vi foi um show de uma amadora,que nao tem respeito algum pelo seu publico…….banda pessima,um conjunto totalmente desarmonico,uma cantora que ao menos lembrava de suas propias letras,desafinafa muito…..fui ao show e foi uma decepçao….entendo muito bem de musica e de som….oque amy fez so foi subir no palco bebada,drogada..que deprimente….so o bagaçu…..feia…desequilibrada…meu me deu revolta ate…..p ela foi o dinheiro mais facil que embolsou,afinal se fosse fora do brasil os criticos e fans tinha caido matando.mais como e brasil ficam um bando de pessoas que nao entendem nada de som.musica..pra falar que foi um bom show???p quem gosta das polemicas e estilo de vida dela foi otimo mesmo,ve-la totalmente acabada proximo de um fim…..pois musicalmente falando,ate a britney spaers com seus playbacks teria sido melhor..me poupem…..ser fan nao precisa ser cego!!!

    [Responder]

    Ju Teófilo Resposta:

    Apesar de ser fã desde antes de sua fama mundial e trocer muito para que ela consiga retomar (como pessoa e como artista), não creio creio ter fechado os olhos às falhas do evento e da própria Amy. Não, não tenho formação musical, não sou musicista. Só curto música como a maioria dos 30.000 ali presentes. Meu texto aqui não teve a pretensão de criticar tecnicamente, foi só o relato de uma pessoa que foi e sobre o que sentiu por lá. Amy não está em forma. Sofre de enfisema pulmonar, nunca mais terá a potência original. Quem acompanha sua carreira não esperava mais do que ela ofereceu. Não dava para esperar a Amy em seu apogeu, entende? Quem foi com essa idéia, decepcionou-se muito mesmo. Daqui pra frente, isso é o que Amy poderá dar. Eu curti muito pelo momento histórico, de vê-la cantar do jeito que fosse. Honestamente, não consegui sentir a banda tão ruim como colocado por vc e o rapaz da Folha de São Paulo. Também não acho que o fato de sermos brasileiros nos faça tão cordatos rsrsrs. Amy está numa turnê na periferia – Brasil, Dubai etc pra tentar reconsquistar a confiança do grande circuito e recuperar parte da grana que perdeu nos últimos tempos. O show de São Paulo foi o ultimo de uma maratona para alguém como ela. Eu já previa que não seria o melhor, dada sua agenda. Era meio óbvio.
    Musicalmente falando (repito, sou leiga) não dá pra citar Britney Spaers. Música e Britney são como água e óleo rsrsr. Mas respeito seu show, sua dança etc. É outro estilo. Podemos comparar com o show anterior da Janelle, cheia de vitalidade e potencia vocal. Daí um contraste imenso obviamente. Bom, como eu disse, foi só uma visão da experiência e cada um tem um ponto de vista. Bjs

    [Responder]

  4. Ruz

    Gosto demais da Amy! Mas sou super desconfiado desses shows, pq eu quase sempre me ferro, ou pq fico com fome, ou sede, ou até vontade de ir ao banheiro e invariavelmente todas as coisas são muito caras..

    Mesmo assim deve ter valido a pena.. eu chutaria a placa da cerveja longe.. que má organização…

    [Responder]

  5. Cristina

    Não fui ao show, mas o meu comentário é mesmo sobre a palhaçada que os shows de São Paulo estão se tornando…
    Bom, pagar uma fortuna pra tomar uma água virou rotina, já desisti de achar ruim. Agora, esse negócio dos taxis é algo que me irrita absurdamente!! Em dias normais, vc anda um quarteirão de taxi e o taxista não reclama! Aí chega dia de show e os caras tem a cara de pau de cobrar 200 reais pra levar alguem do Estádio do Morumbi para a Av. Paulista!!! Eu não consegui um táxi para ir embora do estádio no show do Bon Jovi porque ´´era muito perto´´! Isso deveria ser fiscalizado e proibido! Claro que não vai ser, mas como você disse no post, a Copa do Mundo provavelmente vai ser algo vergonhoso nesse sentido!

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br