Porque fazer humor e podcast é uma arte
































A Princesa e os Negros do Brasil



Por Mafalda - 20 de novembro de 2011. Categorias: Mona POP, Monalinda da Semana.

Ao longo do século dezenove somente nove mulheres estiveram à frente do Governo de seus países. Uma dessas mulheres foi a Princesa Isabel, filha do Imperador Pedro II, herdeira do trono brasileiro. Ela o substituiu três vezes como chefe de Estado, na condição de Princesa Regente.

Ela era abolicionista desde muito tempo, uma vez que foi educada pela Condessa Luiza de Barral, uma mulher emancipada para a época, que tinha um pai abolicionista. A Princesa fazia festas abolicionistas em Petrópolis e seus filhos faziam jornaizinhos abolicionistas. Ela promovia libertações em Petrópolis e financiava alforria de escravos com seu próprio dinheiro além de apoiar a comunidade do Quilombo do Leblon que cultivava camélias brancas, símbolo do abolicionismo.

Seu ato mais importante foi a assinatura da Lei Áurea, que libertou os escravos, em 1888. Por isso, ela é lembrada em nossa história como a redentora. A Abolição também precipitou a proclamação da República, que não hesitou em banir a família real. A princesa morreu no exílio, em 1921, sem nunca mais ter retornado ao Brasil.

“Mil tronos eu tivesse,
Mil tronos eu perderia
para libertar os escravos do Brasil!” -
Princesa Isabel em resposta ao Barão de Cotegipe, ao avisá-la que tinha perdido o trono após libertar os escravos, no dia da assinatura da Lei Áurea.


Veja também:

1 Comentário to A Princesa e os Negros do Brasil

  1. anônimo

    Pena que a história não é tão bonita quanto parece.

    Em conversa com uma pessoa, entramos neste assunto da história de nosso pais, e uma das coisas faladas foi exatamente sobre Isabel e sua assinatura, e esta pessoa disse que nesta época o Brasil passava por uma crise, onde faltava alimento até para os nobres, então a briga para libertar os escravos iniciou pois uns queria manter a escravatura e outros queriam liberta-los para diminuir o custo com cuidados [alimentação] dos escravos, então esta lei ao final foi assinada, libertando os escravos, desta forma foram expulsos das fazendas os que não foram assassinados, é após serem libertos, os que praticavam qualquer crime eram mortos, pois o objetivo não era liberta-los mais sim diminuir custos então desta forma a crueldade contra os negros não mudo com a libertação, talvez fico até pior.

    A história do Brasil não é nada bonita, como é mostrada nas escolas.

    Outro exemplo é a comemoração da morte de Tiradentes, que o único pais que comemora a morte de um traidor é o Brasil, pois Inconfidência Mineira foi para libertar Minas Gerais pois os burgueses da época não queriam pagar os impostos para a coroa, e dos 25 mais ricos que fizeram a inconfidência [Que significa traição/traidor, pois é o contrario de uma pessoa confidente/confiável] Tiradentes o mais pobre de todos foi o que morreu em exemplo para os outros.

    Não posso falar muito pois não tenho provas para apresentar e nem links para te passar, mais procura saber sobre a existência de um livro chamado.

    A HISTÓRIA PROIBIDA DO BRASIL

    De acordo com esta pessoa só existe 2 impressos, um esta em uma biblioteca acho que na Itália e outro ainda esta no pais, sendo este livro proibido até hoje pelo governo brasileiro e esta pessoa teve a chance de ter este livro em mãos, tendo que juram que nunca iria falar sobre este livro na época.

    Não sei se existe uma versão digital deste livro rodando na internet, mas se tiver deve esta na Deep Web, pois na internet visível acho que não tem, mas no lado oculto quem sabe.

    Até mais…

    [Responder]

Deixe seu comentário:





Busca

© 2007-2016 Monalisa de Pijamas - Todos os direitos reservados. Contato: mafalda [arroba] monalisadepijamas.com.br